Celular
Publicidade

Por Katarina Bandeira, para o TechTudo

Reprodução/Katarina Bandeira

A memória RAM virtual - também conhecida como RAM Plus - é um recurso de extensão de armazenamento que vem sendo cada vez mais utilizado nos celulares das grandes fabricantes. Marcas como Samsung e Xiaomi disponibilizam a função em alguns smartphones, como os aparelhos da linha Galaxy, no caso da sul-coreana, e alguns modelos da linha POCO, Redmi e Mi, do lado da chinesa. O recurso utiliza a parte livre da memória do celular para expandir a RAM e, assim, aumentar o desempenho do aparelho. A Apple também anunciou recentemente tal função para o iPad.

A fabricante do iPhone revelou a funcionalidade durante a apresentação do novo iPadOS 16, no início de junho. A atualização do sistema operacional trará, para aqueles dispositivos que estiverem equipados com os processadores M1 ou M2, a Virtual Memory Swap. Segundo a maçã, o update usará o armazenamento do iPad para oferecer até 16 GB de memória para ajudar no funcionamento dos aplicativos mais pesados, tal como fazem os telefones Android.

Galaxy A53 da Samsung — Foto: Divulgação/Samsung

Como funciona a memória virtual

A memória RAM (que em inglês significa “memória de acesso randômico”), é um tipo de componente que guarda dados em uso pelo sistema, permitindo rápido acesso a essas informações sempre que necessário. Para fazer sua expansão virtual, o smartphone poderá alocar virtualmente uma quantidade de memória interna do celular — definida pela fabricante — na memória RAM e, assim, ajudar na performance do aparelho durante o uso de aplicativos mais pesados.

A memória RAM virtual não é nativa dos aparelhos e passou a ser disponibilizada após atualizações de software. Ou seja, tudo vai depender do quão atualizado está o sistema operacional do usuário e, mesmo assim, ainda não é uma função liberada para todos. O tamanho disponível varia conforme o smartphone. No caso da Samsung, por exemplo, o Galaxy A52S pode usar até 4 GB extras, mas o Galaxy A53 pode utilizar até 8 GB a mais via RAM Plus.

No caso da Apple, que disponibiliza memória extra para os iPads, somente os modelos iPad Pro de 11 polegadas (3ª geração), iPad Pro de 12,9 polegadas (5ª geração) e iPad Air de 5ª geração, todos equipados com processadores próprios da gigante, poderão usar o recurso. A Xiaomi é mais democrática, com mais de 30 aparelhos compatíveis, incluindo Xiaomi Mi 11, Redmi Note 10 Pro 5G, Poco F3, entre outros.

iPadOS 16 da Apple traz várias janelas sobrepostas em uma única visualização — Foto: Divulgação/Apple

Vantagens de usar a RAM virtual

Entre as vantagens de habilitar a memória RAM virtual está a possibilidade de rodar vários aplicativos ao mesmo tempo, sem travamentos, uma vez que o sistema faz a distribuição do armazenamento de acordo com a necessidade do aparelho — mas, claro, dentro do limite estabelecido pela fabricante. Apps mais pesados, que exigem mais dos smartphones, poderão ser baixados e utilizados sem engasgos.

Nos aparelhos Android, a escolha da quantidade de memória plus é feita pelo usuário nas configurações de memória, mas não pode ser desativada. No celular Galaxy A53 5G, da Samsung, por exemplo, é possível escolher usar 2 GB, 4 GB, 6 GB ou 8 GB, o que impede que o sistema consuma mais armazenamento interno do que o usuário está realmente disposto a liberar.

RAM Plus pode ser acessada nas configurações de memória do Android da Samsung — Foto: Reprodução/Katarina Bandeira

Desvantagens de usar a RAM Virtual

Apesar das vantagens de desempenho, há algumas limitações que o usuário deverá considerar antes de ativar uma quantidade significativa de RAM virtual. A primeira delas é que, mesmo com o acréscimo de memória RAM, o desempenho não é igual ao da versão física. Também não há como desabilitar a função em aparelhos que sejam compatíveis com o recurso.

Ou seja, se seu telefone tem um armazenamento interno de 128 GB, ao menos 2 GB estarão comprometidos com a memória RAM virtual do aparelho, diminuindo o espaço para 126 GB. Além disso, o uso da função para usar um app mais pesado pode causar a diminuição do desempenho de outros aplicativos, executados em segundo plano.

É importante ressaltar que, para usar o recurso, o celular precisa ter o espaço da memória interna livre, ou seja, ele não pode estar ocupado por arquivos de qualquer natureza ou sistemas. Caso o contrário, a função não poderá ser ativada. No site da Samsung, a própria fabricante avisa sobre a limitação “RAM Plus é uma tecnologia que usa parte da memória interna do smartphone como memória RAM. É necessário ter espaço disponível na memória interna”, dizem as letras miúdas no site da fabricante.

Lançamento da Xiaomi, Mi 11 já vendeu mais de 1 milhão de unidades. — Foto: Divulgação/Xiaomi

Como descobrir a quantidade de memória virtual no seu celular

Para conferir se a memória RAM virtual está habilitada em aparelhos da Samsung, basta acessar Configurações > Assistência do aparelho e bateria > Memória > RAM Plus. Lá é possível ver e até mesmo escolher a quantidade de memória interna que será disponibilizada, variando de acordo com o modelo do aparelho.

Para aparelhos da Xiaomi, o caminho é quase o mesmo: Configurações > Configurações adicionais > Extensão de memória e habilite a função. Nos aparelhos de ambas as fabricantes é necessário reiniciar o celular após a ativação ou escolha da quantidade de memória RAM virtual utilizada. No caso do iPadOS, da Apple, apesar de ter sido anunciado, o recurso só estará disponível quando o novo sistema operacional for disponibilizado aos novos aparelhos, o que deve ocorrer no segundo semestre.

Com informações de Samsung e Apple

Qual o melhor Xiaomi? Confira os 3 celulares mais potentes no vídeo abaixo

Qual o melhor Xiaomi? Conheça os 3 celulares mais potentes em 2022

Qual o melhor Xiaomi? Conheça os 3 celulares mais potentes em 2022

Mais do TechTudo