Publicidade

Por Shoptime

Reprodução/Asus

Investir em um computador de alta performance é essencial para diversos profissionais ou empresas, em áreas de atuação que exigem agilidade e desempenho. Ao invés de personalizar um desktop, um notebook gamer pode ser uma opção de alto desempenho que atenda a essas necessidades, com o bônus da mobilidade. O Shoptime fala um pouco mais sobre isso a seguir.

Profissionais como designers, arquitetos, engenheiros, publicitários da criação, editores de foto e vídeo, artistas visuais, criadores de conteúdo, produtores de games e até mesmo gestores e líderes de TI dependem da eficiência e da performance do seu computador para fazer um dia de trabalho render.

Com um notebook de entrada nas mãos, de configurações mais simples e baratas, atividades como essas e muitas outras vão atrasar qualquer processo e até provocar prejuízos reais para uma empresa ou um novo projeto.

Para usuários de Windows e Linux, os notebooks gamers se colocam como uma opção interessante para profissionais com alta demanda de performance, porque costumam reunir uma configuração com processador de qualidade, placa de vídeo dedicada, armazenamento em SSD, boa quantidade de memória RAM e tela com alta resolução.

Configurações ideais em notebook gamer

Um notebook gamer que atenda as necessidades de um designer, um arquiteto ou um editor de vídeos deve, necessariamente, contar com um processador potente de última ou penúltima geração, como um Intel Core i7 ou AMD Ryzen 7. São chips com alta velocidade de execução e boa quantidade de núcleos, que conseguem rodar jogos triplo A ou softwares demandantes com menos gasto de energia, enquanto o sistema operacional segue fazendo outras operações sem travamentos no background.

Junto ao processador, para atividades que envolvam o processamento de recursos gráficos, é essencial ter uma placa de vídeo dedicada, também de última ou penúltima geração, para tirar proveito de toda a potência do processador.

Falando da NVIDIA, os últimos lançamentos são da Série 30 das placas GEForce RTX. Segundo a marca, elas utilizam arquitetura NVIDIA Ampere com novos núcleos RT, núcleos Tensor e multiprocessadores de streaming para recursos gráficos realistas, com Ray Tracing (traçado de luz, sombras e reflexos nas imagens) e recursos de inteligência artificial.

No caso da AMD, as placas Radeon RX Série 6000 são as mais recentes e prometem a arquitetura inovadora AMD RDNA 2 para notebook, com experiências de jogos com taxa de frames alta e recursos avançados para criação de conteúdo, além de otimização no consumo de energia.

Uma boa combinação de processador e placa de vídeo também é importante para que esse profissional consiga trabalhar conectado a um monitor externo de alta resolução.

O notebook não apenas precisa ter uma tela com qualidade acima do Full HD, como deve ter capacidade para projetar a um display 2K/QHD ou 4K/UHD, mantendo abrangência e fidelidade de cores, sem perda de desempenho.

Tudo isso é tão importante como escolher um modelo com desejáveis 16 GB de memória RAM e armazenamento em SSD de alta velocidade, para o trabalho fluir sem problemas, principalmente, em operações simultâneas e uma rotina multitarefas. A opção por upgrade facilitado, principalmente para memória RAM, é também necessária, para que o notebook possa passar por atualizações e ser utilizado por mais tempo.

Mobilidade e aquecimento

Os gaming laptops costumam ser maiores e mais pesados do que outros modelos em razão da tela, normalmente de 14 polegadas ou maior, e de seu sistema de energia e resfriamento, que é reforçado e conta com bateria de maior capacidade. Muitos modelos vêm com uma fonte maior e mais pesada do que em outros segmentos.

Com isso, você pode esperar um computador mais difícil para carregar por aí e um consumo de energia bem mais alto do que o de outros notebooks. É fácil achar laptops para gamers com mais de 2 kg.

O design pensado para o desempenho costuma complementar o sistema de resfriamento dos notebooks gamers, para que possam trabalhar sem problema por horas e horas, sem travamentos por superaquecimento.

Obviamente, esse sistema é menos robusto e eficiente do que coolers e resfriadores com líquido usados em desktops. Então, todo acréscimo de saída de ar, ventiladores, canaletas e elevações do corpo do notebook conta para manter o equipamento mais frio.

Em alguns modelos, o modo avançado de refrigeração consegue baixar a temperatura do notebook em até 20°C, o que vai fazer diferença para a performance em um jogo com alta demanda gráfica ou com um programa muito exigente, por exemplo, renderizando um vídeo.

Por que não um Macbook?

Se, ao invés de um PC com Windows ou Linux, a escolha for por um notebook da Apple, o profissional terá menos opções, mas essas deverão atender com sucesso às suas necessidades.

Isso porque o processador M1 Apple Silicon, lançado em 2020, apresenta desempenho superior a praticamente todos os concorrentes disponíveis para computadores portáteis até a geração atual, como o Intel Core i7 e o AMD Ryzen 7. Em alguns casos, compensando até mesmo a falta de uma placa de vídeo dedicada.

Atualmente, o consumidor encontra os modelos de 2020 do Macbook Air e do Macbook Pro equipados com chip M1, com CPU de 8 núcleos e GPU de 7 núcleos; e os modelos Pro de 2021 que vêm com o processador M1 Pro e M1 Max, com CPU de até 10 núcleos e GPU de até 32 núcleos, com desempenho muito maior.

O novo Macbook Air 2022 e Macbook Pro 2022, recentemente anunciados, vão chegar às lojas com o processador M2 Apple Silicon, que a marca anuncia ter desempenho 40% melhor do que o M1 regular.

Visite o Shoptime para pesquisar as opções de notebook gamer e conferir os computadores em oferta.

Você pode comprar pelo site ou baixar o app Shoptime, que tem vantagens exclusivas e permite acompanhar a sua entrega.

Shoptime
Mais do TechTudo