Home Theaters
Publicidade

Por Igor Nishikiori, para o TechTudo

Divulgação/Dolby

O Dolby Digital é uma tecnologia que permitiu que o som surround dos cinemas fosse transportado para os lares por meio dos home theaters. Desenvolvida nos anos 1980, ela foi aplicada comercialmente pela primeira vez no filme "Batman, o Retorno", de 1992.

Desde então, o Dolby Digital já passou pelas eras do Laserdisc, DVD, HD-DVD e Blu-ray, e atualmente está presente nas principais plataformas de streaming — além dos cinemas, é claro. A seguir, você confere alguns detalhes sobre a tecnologia surround, a diferença para o rival DTS e como usufruir do Dolby Digital no conforto da sua casa.

Dolby Digital se tornou padrão em som de cinema — Foto: Divulgação/Dolby

O que é o som surround?

Um sistema surround é composto por diversos canais distribuídos pelo ambiente para criar uma sensação de som tridimensional. Em geral, o sistema conta com ao menos cinco caixas principais (sendo três dianteiras e duas traseiras) mais uma caixa subwoofer para reprodução dos sons mais graves. Por isso, esse sistema é conhecido como 5.1 — mas há também sistemas com mais canais, chegando a números como 11.2.

A vantagem do som surround é que ele cria uma sensação de imersão bastante realista. Em cenas de ação, por exemplo, é possível acompanhar o som de um helicóptero ou de um carro se aproximando da tela de forma bastante fiel à realidade.

Com diversos canais distribuídos pelo ambiente, som surround oferece mais imersão e realismo aos filmes — Foto: Divulgação/Dolby

Antes restrito aos cinemas, a tecnologia surround tornou-se mais popular nos anos 1990, principalmente com o lançamento de receivers e kits de caixas para home theaters. Com isso, tecnologias surround, como o Dolby Digital, passaram a ser integradas aos tocadores de DVD e de Blu-ray. Mais recentemente, até consoles de videogame e smartphones passaram a reproduzir som surround.

A tecnologia avançou de tal maneira que não é obrigatório ter um home theater com várias caixas para aproveitar da tecnologia surround. Existem headphones e soundbars que emulam a sensação de som tridimensional usando a tecnologia Dolby Atmos ou DTS:X. A sensação não é a mesma de um sistema 5.1 real, mas é uma opção para quem não tem tanto espaço.

O que é o Dolby Digital?

O Dolby Digital foi o primeiro sistema de compressão de áudio digital capaz de reproduzir som surround. Criado pela empresa de engenharia de áudio Dolby Labs, o Dolby Digital se tornou padrão da indústria desde que estreou comercialmente com o filme "Batman, o Retorno", de Tim Burton.

Em 1995, a tecnologia (que originalmente era chamada de Dolby AC-3) foi lançada para uso doméstico com o Laserdisc do filme "Perigo Real e Imediato". Pouco tempo depois, foi adotada também por emissoras de televisão e por empresas de canais a cabo dos EUA e passou a ser integrada aos primeiros tocadores de DVD.

Dolby inovou ao levar o sistema 5.1 para dentro das casas — Foto: Divulgação

O que torna o Dolby Digital interessante é sua capacidade de se adaptar ao sistema de som do usuário. Graças à tecnologia downmix, um filme com som surround 5.1 pode ser reproduzido normalmente em uma TV estéreo (2.0). Isso acontece porque o algoritmo da Dolby remixa o arquivo de áudio original para o formato do dispositivo. Assim, um disco de DVD só precisa de uma única faixa de áudio para ser reproduzida em qualquer tipo de aparelho.

As versões do Dolby Digital

Com o avanço da tecnologia, o Dolby Digital também foi evoluindo. Por causa do filme "Star Wars: Episódio 1: A Ameaça Fantasma", de 1999, foi desenvolvido o Dolby Digital EX, que adicionou dois canais extras ao Dolby Digital, criando os sistemas 6.1 e 7.1.

Depois, veio o Dolby Digital Plus, voltado para discos de HD-DVD e Blu-Ray. Como esses formatos possuem maior capacidade de armazenamento em comparação aos DVDs, a Dolby aumentou as taxas máximas de reprodução para até 1,7 Mb/s (Megabits por segundo) de bitrate.

Dolby Atmos oferece uma experiência mais imersiva, com caixas colocadas no teto — Foto: Divulgação/Dolby

Pouco tempo depois, foi lançado o Dolby TrueHD. Diferente das versões anteriores, essa tecnologia é capaz de reproduzir arquivos sem compressão (lossless) com bitrate de até 18 Mb/s, além de uma taxa de amostragem de 192 kHz e 24 bits de profundidade. Ele é rival direto do também popular DTS-HD Master Audio — ambos estão presentes em muitos discos de Blu-ray e são as opções com menor compressão.

A versão mais recente do sistema é o Dolby Atmos, que adiciona caixas no teto para dar verticalidade ao som e criar uma espécie de bolha sonora que envolve o telespectador. O diferencial dessa tecnologia é que o som de um objeto pode ser manipulado de forma tridimensional para criar uma sensação ainda maior de imersão.

Dolby x DTS

O Digital Theater Systems, também conhecido pela sigla DTS, é um sistema de compressão de áudio digital concorrente do Dolby. Ele foi criado em 1993 e ganhou fama mundial por ter sido escolhido por Steven Spielberg para reproduzir os sons do filme "Jurassic Park".

A principal diferença entre os dois sistemas está no nível de compressão. O DTS consegue reproduzir taxas maiores e com mais bitrate do que o Dolby. Em discos Blu-ray, o DTS suporta arquivos com até 1,5 Mb/s, enquanto o Dolby aguenta apenas 640 kbits/s. Nos DVDs, a diferença é um pouco menor: 768 kbits/s contra 448 kbits/s.

DTS é o principal concorrente do Dolby — Foto: Divulgação/DTS

Nos formatos de alta resolução, a diferença é mais significativa: o DTS-HD reproduz 6 Mb/s, enquanto o Dolby Digital Plus chega a 1,7 Mb/s. Já o DTS-HD Master Audio alcança 24,5 Mb/s contra 18 Mb/s do Dolby TrueHD.

Na teoria, quanto mais bitrate um arquivo possui, melhor é a qualidade do som. Porém, a Dolby defende que seus codecs são mais eficientes e conseguem eliminar com mais precisão os ruídos que não são escutados pelo ouvido humano. Assim, a tecnologia deles seria capaz de comprimir arquivos em tamanhos menores mantendo a qualidade do som.

Fora essa parte técnica, há a questão do suporte. Até o momento, o sistema Dolby é mais dominante nas plataformas de streaming, estando presente em serviços como Netflix, Amazon Prime Video e Disney+. Já o DTS está disponível em poucos serviços de streaming, a maioria deles na Ásia, como a Rakuten TV e a iQiyi.

Como usar o Dolby Digital?

Smart TV ou tocadores de Blu-ray precisam ser compatíveis com o sistema Dolby — Foto: Fernanda Fialho/TechTudo

Para ter um som de cinema em casa, é preciso apenas ter uma fonte compatível (uma smart TV ou um tocador de Blu-ray, por exemplo) e um sistema de som surround. A conexão entre as partes pode ser feita por meio do cabo HDMI (tanto a fonte quanto o sistema precisam ter a tecnologia HDMI ARC), do cabo óptico ou do cabo coaxial digital (S/PDIF).

Por fim, é preciso que o conteúdo reproduzido também seja compatível com o sistema Dolby Digital. Nem todo filme e série disponível nas plataformas de streaming conta com áudio 5.1. O mesmo vale para alguns discos de DVD e Blu-ray, principalmente de filmes ou séries mais antigos.

Com informações de What Hi-Fi, PC Mag e Digital Trends

No vídeo abaixo, conheça cinco dicas para usar melhor a sua caixinha de som

Caixa de som Bluetooth: cinco dicas para usar melhor

Caixa de som Bluetooth: cinco dicas para usar melhor

Mais do TechTudo