Wearables
Publicidade

Por Katarina Bandeira, para o TechTudo

Divulgação/Ray-Ban

Mark Zuckerberg, CEO da Meta (ex-Facebook), apresentou novidades para o Ray-Ban Stories, óculos inteligentes criados em parceria com a famosa marca Ray-Ban em 2021. Dessa vez, o acessório smart, que é capaz de gravar Stories e postá-los nas redes sociais, passará a ter uma integração com o WhatsApp. Proprietários do wearable – vendido apenas em dez países ao redor do globo – poderão realizar chamadas, além de ouvir e enviar mensagens, com criptografia de ponta a ponta, usando o mensageiro da gigante.

Numa postagem em seu perfil no Facebook, Zuckerberg também revelou que usuários dos óculos smart em breve poderão responder diretamente às mensagens do Messenger ou WhatsApp usando comandos de voz. O produto, que continua sem previsão de chegar ao Brasil, segundo apuração do TechTudo, é vendido em três modelos diferentes. Ele custa US$ 299 no exterior, o equivalente a R$ 1.610.

Mark Zuckerberg com Ray-Ban Stories — Foto: Reprodução/Mark Zuckerberg

Visual do Ray-Ban Stories

O Ray-Ban Stories é apresentado na versão clássica, chamada de Wayfarer, mas também brinca com modelos mais ousados, como no caso do redondinho Round ou do contemporâneo Meteor, que dá uma repaginada no visual dos anos de 1960 dos óculos. Cada versão conta com opções de lentes solares e transparentes, além de mais de 20 combinações de cores.

Na parte de áudio, os óculos inteligentes vêm equipados com um conjunto de alto-falantes e de três microfones instalados nas bordas das hastes, próximos à orelha do usuário. É nas perninhas do produto que está instalado o botão de captura de imagens e também um touchpad – uma área sensível ao toque – para comandos de música e volume.

Apesar de não ser visível a olho nu, o Ray-Ban Stories também conta com um processador Snapdragon otimizado, feito especialmente para o produto - que ajuda no funcionamento dos recursos.

Ray-Ban Stories tem duas câmeras de 5 megapixels — Foto: Reprodução/Facebook

Câmera do Ray-Ban Stories

As câmeras de 5 MP estão discretamente instaladas no canto superior das lentes dos óculos, dando uma perspectiva de primeira pessoa – o chamado POV – às imagens gravadas pelo dispositivo. Como uma forma de tentar garantir a privacidade das pessoas, uma luz de LED fica ao lado da lente e acende com o intuito de avisar quando o usuário estiver tirando uma foto ou gravando um vídeo.

Ao colocar os óculos no rosto é possível fazer as capturas com as mãos livres, via comando de voz, ou usar o botão de captura integrado à lateral do dispositivo.

O Ray-Ban Stories pode gravar até 60 segundos de vídeo, podendo alternar para 30 segundos nas configurações do aplicativo Facebook View, que está disponível para iOS 13, Android 8.1 e versões posteriores. As imagens podem ser compartilhadas pelo app ou salvas no rolo da câmera do telefone. Dessa forma, o usuário consegue enviar fotos ou vídeos para Facebook, Instagram, WhatsApp, Messenger, Twitter e outros aplicativos.

Estojo de carregamento do Ray-Ban Stories — Foto: Divulgação/Ray-Ban

Bateria e armazenamento

O armazenamento de 4 GB permite que o Ray-Ban Stories registre mais de 500 fotos e grave mais de 15 vídeos de 60 segundos cada. A resolução média das fotos é de 2592 x 1944 pixels e os vídeos podem ser gravados com no mínimo 1184 x 1184 pixels a 30fps (quadros por segundo), o que tem conquistado elogios da imprensa especializada pela qualidade das imagens em um produto tão compacto quanto óculos de sol.

A duração da bateria também é um ponto de destaque do aparelho, com uma média de 3 horas, dependendo da intensidade de uso. Assim como os óculos tradicionais, o modelo criado pela Meta acompanha estojo que serve tanto para guardar o dispositivo, quanto para recarregá-lo por meio de USB-C. Segundo a empresa de Zuckerberg, um estojo totalmente carregado pode garantir mais de três dias consecutivos de uso de óculos.

Ray-Ban Stories custa US$ 299 — Foto: Reprodução/Facebook

Recursos adicionais

Para quem duvida da qualidade das imagens, o dispositivo conta com recursos como HDR e Low Light Fusion – para capturas em locais com baixa iluminação –, além de estabilização de vídeo e redução de ruídos em fotos. De acordo com a Meta, o Ray-Ban Stories usa inteligência artificial para aprimorar fotos e vídeos.

A conexão deste Ray-Ban com outros aparelhos se dá tanto via Wi-Fi quanto Bluetooth 5.0.

O fantasma da privacidade

As polêmicas do passado fizeram com que a Meta tentasse antecipar o modo como as pessoas devem usar o Ray-Ban Stories. Admitindo que precisa também educar os próprios usuários para evitar eventuais transtornos de privacidade, a empresa criou um guia do que é ou não apropriado na hora de usar o aparelho. Nele, a Meta aconselha o consumidor a respeitar que nem todo mundo gosta de ser filmado ou fotografado, além de evitar o uso em consultórios médicos, banheiros, escolas e locais religiosos.

Além disso, a empresa garante que não acessará as mídias sem o consentimento do usuário, nem usar o conteúdo de fotos e vídeos para anúncios personalizados. É possível desligar a captura de imagens e, em caso de perda dos óculos, não é possível que terceiros acessem as imagens, que ficam criptografadas e inacessíveis sem as credenciais pessoais do Facebook.

Só o tempo dirá se a postura da Meta e a luz de LED serão suficientes para manter a companhia longe de polêmicas.

Ray-Ban Stories Meteor — Foto: Divulgação/Ray-Ban

Preço do Ray-Ban Stories

Atualmente, o Ray-Ban Stories está disponível em mercados dos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Irlanda, Itália, Reino Unido, Espanha, Áustria, Bélgica e França. Os óculos podem ser adquiridos nas lojas online oficiais da Ray-Ban. O modelo mais básico custa US$ 299, o que dá R$ 1.610 em conversão direta e sem impostos.

Ficha técnica do Ray-Ban Stories

  • Câmera principal: dupla (5 MP)
  • Processador: Snapdragon (não especificado)
  • Armazenamento (memória interna): 4 GB
  • Capacidade da bateria: Até 3 horas de uso contínuo ou 3 dias com estojo de carregamento
  • Preço de lançamento: US$ 299
  • Data de lançamento: 9 de setembro de 2021

Com informações de Meta (1/2) e Ray-Ban

Tudo que você precisa saber sobre o 5G; confira no vídeo abaixo

Tudo que você precisa saber sobre o 5G

Tudo que você precisa saber sobre o 5G

Mais do TechTudo