Publicidade

Por Rodrigo Fernandes, para o TechTudo


Golpes envolvendo pagamentos via Pix têm crescido nas redes sociais. É o que afirma um recente levantamento da empresa de cibersegurança PSafe. O relatório identificou uma rede de perfis falsos com mais de 600 mil seguidores que usa a promessa de dinheiro fácil como isca para roubar dados confidenciais das vítimas. A prática, conhecida como “Robô do Pix”, configura estelionato virtual, porque busca induzir as vítimas a realizar transferências bancárias ou fornecer informações sensíveis. Após capturarem dados pessoais e financeiros, os criminosos os utilizam em fraudes e processos de clonagem de cartão.

O novo relatório da PSafe, compartilhado em primeira mão com o TechTudo, foi apurado entre maio e junho deste ano. Segundo a empresa, as contas utilizadas pelos criminosos para aplicar os golpes ultrapassam o número de 365 mil curtidas. Dados do Google Trends, entretanto, indicam que a fraude do robô do Pix ocorre pelo menos desde janeiro deste ano, prometendo prêmios falsos de até R$ 30 mil.

Rede criminosa que promete dinheiro via Pix para roubar dados têm mais de 600 mil seguidores — Foto: Ana Letícia Loubak/TechTudo

Pix e Picpay são a mesma coisa? Veja no Fórum do TechTudo

Como funciona o golpe do Robô do Pix

Uma das estratégias dos criminosos é divulgar posts com falsas promoções, em que a vítima deve fazer um Pix inicial, com uma quantia mínima, para receber automaticamente de volta um valor 10 vezes maior. O dinheiro, porém, nunca é revertido. As peças de divulgação usadas pelos golpistas dizem que o valor a receber seria referente a investimentos em criptomoedas.

Em outros casos, a vítima é direcionada para sites maliciosos, onde deve inserir dados pessoais e bancários, inclusive os números do cartão de crédito. As informações são armazenadas pelos criminosos, que as utilizam em fraudes posteriores e em processos de clonagem de cartão.

Falsa oferta de retorno de Pix promete dinheiro fácil — Foto: Divulgação/PSafe

Outra tática comum é marcar perfis aleatórios em publicações que avisam sobre um suposto prêmio em dinheiro a receber, oriundo de um falso sorteio. Para fazer o resgate do tal valor, a vítima precisa clicar em um link e preencher um formulário com seus dados pessoais. Neste momento, os criminosos capturam os dados e praticam fraudes.

Segundo a PSafe, a prática vem sendo rastreada desde o início do ano. Em outras ocasiões, os golpes utilizavam até mesmo perfis falsos com o nome de plataformas de streaming para capturar vítimas. As contas tinham mais de 654 mil seguidores e ainda divulgavam anúncios pagos em buscadores na Internet.

Captura de tela de sites fraudulento oferecendo supostos prêmios em Pix mediante compra — Foto: Divulgação/PSafe

“De janeiro a junho deste ano já bloqueamos quase 12 milhões de tentativas de estelionato virtual, que são golpes que tentam induzir as vítimas a realizar algo, como transferência bancária ou fornecimento de dados sensíveis, com o objetivo de obter ilicitamente alguma vantagem. Isso quer dizer que, por dia, tivemos mais de 65 mil tentativas. É um número bem alarmante”, disse o executivo-chefe de segurança da PSafe, Emilio Simoni.

Como se proteger

Os especialistas da PSafe orientam os usuários a desconfiar de promoções que prometam dinheiro “fácil”, principalmente aquelas que solicitam pagamento adiantado ou transferência para receber o suposto prêmio. Também é preciso tomar cuidado com ofertas que exigem preenchimento de formulários de dados pessoais ou sensíveis para a obtenção do brinde.

Além disso, é necessário ficar atento a URLs desconhecidas recebidas por WhatsApp, SMS, Messenger ou em redes sociais, mesmo que tenham sido enviadas por pessoas conhecidas. Em relação ao Pix, a recomendação é sempre informar chaves aleatórias quando precisar receber dinheiro de desconhecidos, e nunca compartilhar o CPF ou o número de telefone.

Veja também: quatro lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

4 lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

4 lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

Mais do TechTudo