Placas
Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


As placas de vídeo dependem de memória RAM própria para funcionar. Nelas, esse tipo de memória gráfica se chama VRAM e realiza funções semelhantes às memórias DDR do computador. Contudo, ela apresenta algumas especificidades, em especial relacionadas à velocidade de processamento e da troca de dados com o restante do sistema.

Embora não sejam os únicos, tanto a quantidade quanto a velocidade da VRAM são bons indicadores de performance para avaliar as capacidades de uma GPU. Consequentemente, eles podem ser fatores determinantes para o desempenho do seu PC. A seguir, você vai entender melhor o que é a memória das placas de vídeo, como ela funciona e como se diferencia da RAM convencional do seu PC.

Memória de vídeo auxilia processamento de gráficos — Foto: Divulgação/Nvidia

VRAM

VRAM é o tipo de memória RAM usado em placas de vídeo. Assim como a versão que é acessada pelo processador do PC, a VRAM é conectada ao processador gráfico da placa e serve como espaço para guardar informações importantes da máquina.

Quando você roda um jogo no computador, toda informação que determina as texturas dos modelos e objetos que você vê na cena ficam retidas na memória VRAM. Se você está jogando em alta resolução, como em 4K, essas texturas têm um nível de qualidade grande e ocupam muito espaço. Para a GPU, seria inviável requisitá-las do disco, mesmo havendo um SSD de alta velocidade. Por isso, faz mais sentido ter uma memória RAM por perto para que as texturas possam ser carregadas mais rapidamente e sejam exibidas na tela sem que você perceba a transição.

Outro cenário para entender a VRAM está na edição de vídeo. Ao editar, os dados da timeline relacionados aos próximos instantes do vídeo em que você trabalha são guardados na memória RAM. Quanto maior for o espaço e a velocidade da VRAM, mais ágil será o processo de edição do seu material.

VRAM vs RAM

VRAM (ao redor da GPU) se caracteriza pela alta velocidade — Foto: Divulgação/Nvidia

VRAM é um tipo de memória RAM que basicamente funciona da mesma forma. Ela oferece acesso rápido a dados usados durante a execução de apps e, como a RAM convencional do computador, é resetada sempre que a máquina é desligada.

Há alguns diferenciais mais técnicos que também são relevantes. Em uma placa de vídeo, os dados dispostos na VRAM podem ter centenas de megabytes, dependendo da aplicação. Nela, no entanto, não é tão importante que a memória tenha agilidade em responder. Contudo, é fundamental que o processamento interno da memória seja rápido para encontrar os dados e encaminhá-los ao processador gráfico.

Em resumo, se na RAM o que conta é tempo de resposta, na VRAM é a força bruta do tráfego intenso de informações. Hoje, por exemplo, há placas de vídeo capazes de trocar mais de 900 GB por segundo com o processador gráfico.

Não é possível, contudo, adicionar mais memória VRAM à placa de vídeo — Foto: Divulgação/Nvidia

É possível aumentar a quantidade de VRAM?

Ao contrário da memória RAM do computador, que pode ser substituída com a compra de pentes de maior capacidade e velocidade, a RAM de uma placa de vídeo é fixa. O usuário não tem a opção de trocar ou aumentar a quantidade de VRAM de uma placa gráfica.

Isso não chega a ser um grande problema. O total de memória geralmente é corretamente dimensionado pelo fabricante para atender as necessidades de cada modelo de GPU. Questões como a velocidade com que a VRAM consegue trocar dados com o processador gráfico — a chamada largura de banda — são até mais importantes do que a quantidade de espaço em si.

Com informações de How-To Geek, Lifewire e Make Tech Easier

No vídeo abaixo, veja como descobrir o modelo da sua placa-mãe

Como descobrir o modelo de sua placa-mãe

Como descobrir o modelo de sua placa-mãe

Mais do TechTudo