Jogos de ação

26/01/2011 15h01 - Atualizado em 14/07/2011 07h05

Especial Dead Space 2: Entenda por que o game é tão adorado

Maurício Huffel
por
Para o TechTudo

O gênero terror é um tema muito explorado por filmes, jogos e entretenimento há bastante tempo. Desde o século passado, a abordagem deste tema ocorre de forma frequente. Seu surgimento foi no final do século XIX, com os primeiros filmes em preto e branco sendo criados por Georges Méliès (1861-1938). Na época, o ilusionista teve a idéia de tirar várias fotos com a câmera posicionada no mesmo local, e notou que ao captar diversas fotos em sequência, conseguia representar o movimento de uma pessoa. A partir de seu invento, o “figura” aí, passou a explorar isto e criar os primeiros filmes.

Georges Méliès  (Foto: Divulgação)Georges Méliès (Foto: Wikipedia)

Em 1896 ele criou um filme chamado “Le Manoir du Diable” (A Casa do Diabo), considerado, por muitos, como o primeiro filme de terror produzido.

Utilizando sobreposições de imagens capturadas por sua câmera, e depois de colocá-las em sequência, o visionário – e um pouco “doidão” para a época – Méliès criou efeitos especiais, e por conta disto, é considerado o “pai dos efeitos especiais” – não é para menos, afinal de contas, estas façanhas ocorreram em meados de 1890! (confira logo abaixo).


Pois bem, desde esta época até os dias de hoje, o tema terror é constantemente explorado. A cada dia vemos novas mídias utilizando este gênero para divulgar seu conteúdo – seja ele digital ou até mesmo analógico.

Agora vamos à pergunta: por que as pessoas gostam tanto de terror? A resposta é um tanto complexa, mas podemos arriscar a resumí-la em uma palavra: sensação.

Temas que abordam o gênero terror desencadeiam, pelo menos em sua grande maioria, uma série de sensações ao seu espectador, entre eles: medo, euforia, ansiedade, alívio e até mesmo bem-estar. Sim, isto mesmo! Durante uma “seção” de terror, seja ela onde for, nos deparamos com uma sequência de sensações, que por fim, se encerram com uma sensação de alívio em saber que tudo aquilo visto, não é um acontecimento real, ou então, que todo aquele terrorismo se encerrou ali, de fato, no momento em que a cena teve seu fim.

freddy (Foto: Divulgação)Freddy Kruegger, um dos maiores ícones dos filmes de terror (Foto: Divulgação)

Superficialmente falando, é por conta da junção de todas estas sensações que o entretenimento à base de terror, a cada dia, ganha novos adeptos – e com os jogos isto não é diferente.

Dead Space é um dos poucos jogos que aborda o tema terror com maestria. Produzido pela Visceral Games, sediada na Califórnia e que tem como sua detentora a EA Games, o game teve o lançamento de sua primeira versão 2008 e foi aclamado pela crítica.

Com uma boa influência da série Resident Evil produzido pela Capcom – game que popularizou o termo “survival horror” (terror e sobrevivência) – a produtora investiu pesado na criação de Dead Space, e não pecou em sua excelência.

O game conta a história do engenheiro Isaac Clarke, que é enviado para o espaço para consertar uma nave espacial. Ao chegar até ela, se depara com sua tripulação praticamente extinta, sendo alvo de monstros e criaturas horripilantes.

Com comandos bastante simplificados, bons gráficos e uma jogabilidade fluída, Dead Space foi uma grata surpresa do ano de 2008 – tanto por resgatar com sucesso o gênero terror nos jogos de videogame, quanto por possuir um bom conjunto de funcionalidades e características que garantiram seu sucesso.

dead space (Foto: Divulgação)cena de Dead Space (Foto: Divulgação)

 

Um dos principais destaques de Dead Space, além da junção do terror com ficção científica, é a sua jogabilidade. Uma das grandes queixas da série Resident Evil, é o fato do protagonista não poder andar e atirar ao mesmo tempo, algo muito simples, mas que a Capcom optou por não usar em sua série – talvez com a intenção de aumentar ainda mais a dramaticidade de seu jogo e seus momentos de “terror e sobrevivência”.

Já em Dead Space, a Visceral identificou isto em suas pesquisas, e então acrescentou esta função à jogabilidade de seu game, o que de fato trouxe uma boa dinâmica ao jogo, aumentando ainda seus momentos de ação – afinal de contas, nada melhor do que, ao virar uma esquina e se deparar com um monstro nada amigável, poder enchê-lo de tiros e, ao mesmo tempo, se afastar dele.

Sim, isto é algo simples, mas que fez muita diferença em Dead Space. Mas isto é apenas um dos detalhes, ainda há uma boa dose de ficção científica, ambientes com gravidade zero e com total exclusão do som ambiente, que fazem com que o jogador possa realmente se sentir em uma exploração no espaço, ao comandar Issac na busca de seus objetivos.

dead space (Foto: Divulgação)dead space (Foto: Divulgação)

 

Aliado a isso, uma história envolvente e cercada de muito suspense, monstros e uma boa dose de susto, fizeram com que Dead Space vendesse 1, 4 milhões de unidades, e entrasse para o “hall” dos grandes jogos do gênero. Pois, se há um jogo que faz com que o jogador tenha todos estas sensações descritas aqui, sem dúvida, este é Dead Space.

Portanto, se você ainda não o jogou, jogue! Essa semana tivemos o lançamento oficial de sua continuação – Dead Space 2 – e que você saberá mais em breve, na análise que o TechTudo está preparando. Aguarde!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares