Jogos de aventura

27/01/2011 18h37 - Atualizado em 14/07/2011 07h05

Preview: Child of Eden é uma experiência onírica

Cesar Crivelaro
por
Para o TechTudo

A descrição do conceito de seu projeto é uma poesia de 40 páginas, a última fase é a combinação de momentos de felicidades de jogadores, e a sua jogabilidade é uma mistura onírica de luz, som, movimento, cores e texturas. Child of Eden é muito mais do que “um título alternativo de Playstation Move e Kinect para jogadores hardcores”, é uma experiência multissensorial incrível.

O que é Child of Eden?

Child of Eden usa a mecânica simples de jogos de tiro de travar o alvo e disparar, e inova em camadas complexas de som, cor e imagens interrelacionadas. Neste game, você está preso dentro de um cyberespaço, lutando para salvar um universo digital do ataque de um vírus irracional. Child of Eden é muito mais complexo do que seus controles simples sugerem, é um jogo focado no orgânico e vivo, na mais profunda exploração da memória humana. Confira o conceito por trás do jogo no trailer abaixo:


Sua história é de uma cantora imaginária chamada ‘Lumi’. Ela nasceu no espaço em 2019 e está sempre observando a Terra, e pode ver o planeta por meio da mídia, nunca tendo uma experiência pessoal. Então, após a sua morte, cerca de 200 anos depois, alguns cientistas tentam recriar sua consciência em um mundo virtual. Eden é o que definiríamos de ‘internet do futuro’: em que há relatos sobre a Terra para as pessoas nascidas no espaço, e está organizada em diferentes “Arquivos” (que são os estágios do jogo) que tentam explicar o que é ser humano, como a sua história, sua cultura e suas relações inter e intrapessoais.

Children of Eden (Foto: Divulgação)Children of Eden (Foto: Divulgação)

 

Esses cientistas estão tentando reconstruir a Lumi neste Eden, mas um vírus consegue se infiltrar. Child of Eden conta a a tentativa de eliminar o vírus enquanto você passa pelos Arquivos. Quando o vírus é eliminado, a consciência, as memórias e a personalidade da Lumi reaparecem, fazendo-a cantar e, assim, alterando as cores e os ritmos do mundo de Eden. O lema de Child of Eden é “Esperança e Felicidade”, e esta mensagem é passada de forma tão intensa que os jogadores não encontrarão dificuldade em se envolverem nestes ideais.

Como surgiu a idéia para o jogo?

“No começo da produção escrevi um memorando”, explica Tetsuya Mizuguchi, diretor do projeto. “É um poesia, e tem 40 páginas. Qual a essência visual e emocional, e qual a história? Decidi isso quase no início. Todos na Q Entertainment leram o poema, e partimos daí.”

O foco de Mizuguchi passa por todos os níveis de explorações oníricas das preocupações humanas, com fases construídas sobre os mais diversos temas, desde a beleza, a evolução e até uma interpretação da paixão de forma inesperada. “Esta construção e mais espiritual e emocional; alguns elementos estão em perfeita sincronia, como som e imagem. Finalmente podemos usar vídeos para criar texturas em movimento, e podemos fazê-las se moverem de acordo com a música”, comenta o diretor do jogo. Veja abaixo um vídeo de pessoas apreciando o jogo:


Um mundo é uma construção de neon com contornos brilhantes e corredores estreitos, com uma bateria eletrônica como trilha sonora. Em um determinado momento, encontra-se um ambiente com pétalas de flores mortais feitas por fibra óptica enquanto acontece uma luta contra um chefe que parece um origami armado com equipamento de som. O Arquivo Beauty o coloca em uma corrida sobre encostas congeladas repletas de árvores de vidro, enquanto o Arquivo Evolution o manda para as profundezes aquáticas, em que medusas plásticas nadam pelas cadeias de DNA.

A Q Entertainment está transformando os conceitos de cada Arquivo em uma experiência audiovisual coerente. Os desenvolvedores criam os designs baseados na trilha sonora, ou mesmo também nas palavras-chave que foram dadas a cada Arquivo. Para o Arquivo Evolution, por exemplo, eles colocaram em ação organismos vivos mudando à medida que se progride. Além disso, há vários temas que emergem naturalmente ao longo de todo o jogo. Imagens da Terra serão mostradas em diversos momentos, além de cenas da história humana surgindo a todo momento.

Children of Eden (Foto: Divulgação)Children of Eden (Foto: Divulgação)

Kinect e Move: Experiência mais intensa

Junto com o foco artístico, há também uma nova forma de controlar o jogo. Felizmente, jogando com o Kinect (do XBox 360) ou com o Move (do Playstation 3), Child of Eden é uma experiência interessante. A mira flutuante é muito sensível quando controlada com um movimento da mão, e é possível selecionar alvos tanto com o movimento das duas mãos quanto por uma sequência de botões.

Quando um grande número de alvos é selecionado, tiros são disparados com um rápido movimento dos dedos ou acionando o gatilho do controle. Bater palmas ou um movimento brusco para trás faz com que o modo de tiro automático e de tiro manual se alternem. Os especiais são ativados ao levantar ambas as mãos ou agitar freneticamente o Move.

Child of Eden é um jogo de tiro surpreendentemente estratégico: o chefe do Arquivo Matrix, por exemplo, exige usar o tiro automático para acabar com um escudo de cubos voadores antes de poder mirar no centro brilhante que deve ser destruído com os tiros carregados.

Children of Eden (Foto: Divulgação)Children of Eden (Foto: Divulgação)

 

Apesar de todos os efeitos visuais e sonoros, Child of Eden é um jogo de tiro tipicamente estratégico. O chefe do Arquivo Matrix, por exemplo, exige um tiro automático para acabar com um escudo de cubos voadores antes de poder mirar no centro brilhante que deve ser destruído com os tiros carregados. “Tem inimigos que podem ser destruídos apenas com uma ou outra arma”, comenta o designer de fases Kengo Kobayashi. “Você precisa balancear isso e mudar constantemente. Isso nos permite adicionar, também na forma como as armas afetam os inimigos, a sinestesia que as pessoas esperam de nossos jogos. Cada arma dá a você uma resposta audiovisual diferente. À medida que purifica as coisas, a iluminação muda, suas armas criam reações diferentes e você verá mais da Lumi emergindo.”

Jogo também é feito pelos usuários

Journey é o último Arquivo. Todas as memórias da Lumi estão presentes. Quando você elimina o vírus do Arquivo, sua memória retorna, e entra em sintonia com a de todo mundo. Para tornar este Arquivo especial, a Q Entertainment usou a Tokyo Game Show para anunciar o “Projeto Journey”, um site que ofereceu a oportunidade aos fãs de enviar fotos de suas memórias mais preciosas da Terra para serem colocadas na última fase: uma mistura do jogo e de seu público.

Children of Eden (Foto: Divulgação)Children of Eden (Foto: Divulgação)

Em meio a inúmeros campos de batalha, tiros competições online, um dos maiores detaques da E3 do ano passado foi o próprio Child of Eden. A exploração que a Q Entertainment promete sobre as emoções humanas será algo mais imaginativo (e até mais humano) que qualquer título que está no mercado.

Não será apenas uma reflexão sobre as emoções humanas, mas uma experiência sinestésica que envolverá o jogador por completo: sua visão, para admirar a beleza do game; seus ouvidos, para apreciar a sincronia do som com o gráfico; e sua locomoção, para salvar o Eden do vírus e encontrar a felicidade humana.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares