Fabricantes

15/03/2011 19h47 - Atualizado em 14/07/2011 06h59

Gameworld 2011 - Palestra da Nintendo, Sony, Microsoft e NC Games

Cesar Crivelaro
por
Da GameWorld 2011

O evento Gameworld 2011, realizado em São Paulo nos dias 11, 12 e 13 de março, contou com uma variedade de games, jogadores, novidades e tecnologia à disposição de todos. No evento, vários profissionais da área estavam presentes com as últimas novidades do mercado de jogos de 2011.

Entre essas personalidades, o evento conseguiu reunir uma das 4 pessoas mais importantes para o mercado de games do Brasil: os executivos da Nintendo, Microsoft, Sony e NC Games. Cada um deu uma posição da empresa perante o Brasil, dos investimentos no país e das perspectivas, além de exclusividades garantidas.

Nintendo investirá nos portáteis no Brasil (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)Nintendo investirá nos portáteis no Brasil (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)

NINTENDO – Bill van Zill

Bill van Zill apresentou todas as preocupações e estratégias da empresa no Brasil. Segundo Bill, o país tem um grande reconhecimento lá fora, por ser um dos maiores mercados consumidores emergentes do mundo. Por ser líder do BRIC (Bloco econômico dos países emergentes Brasil, Rússia, Índia e China) e ser o 2º país mais populoso do continente americano, a Nintendo encontra no país uma grande perspectiva de investimento. Van Zill também encontrou na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016 momentos econômicos favoráveis para o desenvolvimento do país.

Estes planos de investimento já existem. Como a Nintendo já tem história no Brasil, Bill van Zill encontra agora o país em uma situação econômica favorável para estimular o mercado nacional, melhorando o desempenho já existente. “Os brasileiros são muito criativos em todas as áreas. A idéia da Nintendo é canalizar essa criatividade de acordo com os princípios da empresa para desenvolver ainda mais o mercado produtor”, disse ele, em sua palestra.

A Nintendo quer investir nos portáteis no Brasil: primeiro focar no DS e, posteriormente, no Nintendo 3DS. Ainda sem uma data específica do seu lançamento nem o valor inicial do produto, a empresa promete fazer um grande lançamento do portátil em nosso país, ainda mais quando o Nintendo 3DS tem a opção da linguagem portuguesa do Brasil. Além disso, os softwares adquiridos pela Nintendo eShop poderão ser comprados por reais, além do portátil já ter mais de 30 títulos disponíveis em seu lançamento.

SONY – Anderson Garcias

A Sony, ao contrário da Nintendo e da Microsoft, tem uma história oficial curta no país (somente em outubro de 2009 foi lançado o Playstation 2 no Brasil). Mas a Sony já está compensando esta ausência no mercado com grandes lançamentos para 2011. Teremos, oficialmente lançados no Brasil e distribuídos pela NC Games, Motostorm Apocalipse e Socom 4 (ambos compatíveis com 3D e o Move), inFAMOUS 2 (que está quase confirmado para ter dublagem e tradução em português brasileiro), Resistance 3 e o Uncharted 3 (que também há uma grande probabilidade de ser lançado com dublagem e tradução no português brasileiro).

Sony quer diminuir timing de lançamentos para até 3 dias (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)Sony quer diminuir timing de lançamentos para até 3 dias (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)

A Sony possui várias iniciativas em 2011 para o Brasil, além dos lançamentos de jogos, para desenvolver ainda mais o mercado interno. Tornar o preço mais competitivo é fundamental, então a Sony Brasil apóia as propostas do Jogo Justo, que visa colocar os valores a preços acessíveis e estimulando a economia em todas as áreas que envolvem os games. Há também o projeto de reduzir o timing entre os lançamentos oficiais dos jogos nos Estados Unidos e aqui no Brasil para, no máximo 3 dias. Jogos como God of War III e Killzone 3 tiveram seu timing reduzido a 5 e 3 dias, respectivamente, o que gerou uma boa campanha.

Há também outros projetos que a Sony pretende investir que vão muito mais além do game como produto. Ela pretende criar campanhas para conscientizar e educar o consumidor, mostrando todos os problemas trazidos pelo comércio informal. A Sony também visa estimular propagandas de jogos em diferentes veículos e informação (não apenas em revistas especializadas) para atrair o público casual e promover a cultura de games.

MICROSOFT – Guilherme Camargo

A Microsoft tem uma história oficial bastante satisfatória no Brasil. O XBox 360 foi o primeiro console da atual geração a aparecer no país, em 2006. O país conta com 40 títulos lançados oficialmente, além de 13 acessórios e 6 jogos localizados (com dublagem e legenda em português brasileiro).

O Brasil possui dados interessantes para a Microsoft, como a procura pelo Kinect. Hoje o acessório tem mais de 10 milhões de unidades vendidas e teve um esgotamento de estoque em todo mundo, como também ocorreu aqui no país. A XBox Live brasileira é a 1ª em migração de contas e em número de assinaturas de forma mais rápida que ocorreu entre todas as existentes. O que resta à Microsoft é investir nela com bons preços (tornando-os melhor ao bolso do brasileiro), ter uma boa migração (garantir todos os achievements e vantagem do usuário) e ter um bom portifólio (criando vínculos e patrocinando o ecossistema de games com as empresas thirds).

Os maiores desafios para o futuro do XBox 360 no Brasil é enfrentar a carga tributária (a Microsoft apoia o Jogo Justo para uma adequação de impostos) e criar associações com a ABES, o governo e a indústria. Outro desafio é vencer a pirataria, com conscientização do consumidor e utilizando os games na educação e tecnologia do país, desenvolvendo o mercado de trabalho. “Inserindo os jogos na cultura brasileira, o respeito pelo mercado e por todo o desenvolvimento é algo garantido no futuro”, confirmou Guilherme Camargo.

Desenvolver o portifólio da Live Brasileira é uma das metas para o Brasil.  (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)Desenvolver o portifólio da Live Brasileira é uma das metas para o Brasil. (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)

 

NC GAMES – Cláudio Macedo

A NC Games é a distribuidora oficial de games no Brasil de muitas produtoras ao redor do mundo. Criando parcerias com várias desenvolvedoras, a NC Games é representante de mais de 20 publishers. Cláudio Macedo, CEO da distribuidora, apresentou valores dos mercados de games mundial e nacional.

Em 2010 este mercado gerou 80 bilhões de dólares ao redor do mundo. A sua concentração é distribuída no globo da seguinte forma: 30% concentra-se na Europa, 35% na Ásia e 35% na América. O Brasil gerou 950 milhões de dólares ano passado com jogos, em uma base instalada de 20 milhões de unidades de consoles. Este mercado, entretanto, é 50% informal; ou seja, por contrabando e pirataria.

Parcerias com produtoras garante um bom catálogo de jogos pela NC Games (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)Parcerias com produtoras garante um bom catálogo de jogos pela NC Games (Foto: Octávio Lobianco / Nerdice.com)

O videogame, no Brasil, é visto como objeto de desejo por todas as classes. Portanto as produtoras estão explorando as diferentes classes sociais, uma vez que todas estão com maior poder de consumo e estão dispostas a pagar por uma experiência em games. Veja abaixo a relação de posse de plataformas e de classes sociais no Brasil:

A NC Games concorda com as grandes produtoras Nintendo, Microsoft e Sony com a conscientização do usuário por meio de reduções tributárias e inserção dos games na tecnologia e na educação da população brasileira. Assim há o desenvolvimento da cultura de games no país que possui uma grande expectativa de crescimento por meio das produtoras estrangeiras.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares