Video game

30/03/2011 18h27 - Atualizado em 14/07/2011 06h57

Irem não produzirá mais jogos antigos da série Disaster Report

Dori Prata
por
Para o TechTudo

Muitas desenvolvedoras de jogos mostraram seu apoio as vítimas do terremoto seguido de tsunami que atingiu a costa nordeste do Japão há algumas semanas, principalmente com generosas doações em dinheiro. Mas algumas optaram por cancelar jogos que fizessem menção a desastres naturais, como foi o caso da Irem.

Disaster Report (Foto: Divulgação)Disaster Report (Foto: Divulgação)

Conhecida como uma das mais antigas produtoras japonesas, pela sua atuação nos arcades e por ter criado o shoot ‘em up R-Type, eles viram-se diante de um terrível dilema. Com a produção do quarto capítulo da série Disaster Report correndo a todo vapor, eles optaram por cancelar a sua produção.

Alegando o risco de não ser terminado a tempo de sua chegada as lojas, o que aconteceria em 10 de março, um dia antes do Japão ter sido atingido pelo desastre, o jogo foi adiado para a primavera do hemisfério norte. Nele assumiríamos o controle de um personagem que teria que sobreviver em uma grande cidade devastada por um terremoto e devido a semelhança com a realidade, a companhia optou por cancelá-lo definitivamente, mas a decisão poderá ser ainda mais extrema.

De acordo com uma rede de lojas do arquipélago, a Irem teria informado que não mais enviará cópias dos três jogos anteriores para as revendas e se a atitude poderia ser bem vista pelos parentes das vítimas, ela tem incomodado algumas pessoas que estão acusando a produtora de oportunista.

O problema é que após o cancelamento do Disaster Report 4, a procura pelos títulos anteriores aumentou consideravelmente e o valor cobrado pelo primeiro game, este lançado para o Playstation 2, já passa de US$ 155, com o segundo e o terceiro custando, respectivamente, algo em torno de US$ 85 e US$ 105.

via Andriasang

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares