Video game

23/03/2011 12h13 - Atualizado em 14/07/2011 06h58

Level-5 pretende conquistar o ocidente

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

Um dos estúdios de maior destaque no Japão nos últimos dez anos, a Level-5 não caiu no gosto dos japoneses por mera sorte, sempre tendo feito jogos que se encaixam ao estilo deles. Responsável por séries como Professor Layton, Inazuma Eleven (Super Onze) e recentemente os últimos capítulos de Dragon Quest, agora a Level-5 pretende atacar o mercado ocidental.

Professor Layton  (Foto: Divulgação)Professor Layton (Foto: Divulgação)

O Chefe Executivo da Level-5, Akihiro Hino, em uma entrevista com a revista japonesa Nikkei Trendy, mencionou que o estúdio aberto pela empresa em Santa Mônica em Junho do ano passado não seria dedicado a localizar e lançar os jogos japoneses da empresa, mas sim para criar seus próprios jogos.

Akihiro Hino comentou: “Nós temos cinco membros na equipe no momento. Jogos que estão sendo planejados no escritório norte-americano estão sendo desenvolvidos naquela região. A equipe no escritório é em maioria japonesa, mas nós estamos usando um estilo de desenvolvimento onde nós colaboramos com a equipe local, então eu acredito que nós poderemos fazer algo que se encaixe bem com o mercado norte-americano”.

Logo em seguida ele confirmou a presença de por volta de vinte jogos no evento anual Level-5 Vision, em Agosto, incluindo esse jogo que está em desenvolvimento pelo estúdio de Santa Mônica. Provocou dizendo que no evento estaria presente um jogo semelhante ao criado pela parceria com o Studio Ghibli, o RPG Ni No Kuni para Nintendo DS e PlayStation 3.

Ainda no ano passado após a empresa ter anunciado que abriria esse estúdio em Santa Mônica, eles comentaram que também desejavam se instaurar na Europa em 2011. Será que Professor Layton finalmente visitará sua terra natal?

Via Edge

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares