04/04/2011 18h20 - Atualizado em 14/07/2011 06h56

Com falta de suporte em Too Human, produtora enfrenta Epic Games perante um júri

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

Há algum tempo a Silicon Knights, criadora do game Too Human, havia entrado com um processo acusando a Epic Games, que vende a Unreal Engine 3 para desenvolvedores, de ter negligenciado suas obrigações, não dando suporte quando necessário, para, ao invés disso, trabalhar em seu próprio jogo, o Gears of War. A Epic Games disse que as acusações não tinham fundamento, mas o tribunal discordou.

Too Humam (Foto: Divulgação)Too Humam (Foto: Divulgação)

A principal alegação da Silicon Knights é que o tempo de desenvolvimento de 4 anos para Too Human teria sido excessivamente longo porque a Epic Games teria dado falsas expectativas sobre a capacidade da Unreal Engine 3, a engine gráfica vendida pela empresa (o pacote de efeitos visuais utilizados para fazer os gráficos de um jogo).

Ela também acusa a Epic Games de ter priorizado o desenvolvimento de seus próprios jogos, na época o Unreal Tournament e o Gears of War, ao invés de oferecer suporte.

Denis Dyack, chefe da Silicon Knights comentou: "Quando a Epic foi a público sobre nosso caso pela primeira vez, eles disseram que nossas acusações não tinham fundamento. Duas cortes federais separadas, até agora, já discordaram com a Epic e determinaram que o caso tem fundamento". E continuou: "A Silicon Knights sempre quis ter nosso foco em fazer jogos, e não em processos. Essa determinação nos permitirá ter o nosso dia no tribunal, perante um júri, para revelar publicamente a conduta da Epic. Nós estamos muito confiantes de que o júri verá a verdade por trás das ações da Epic", disse Dyack.

Após os problemas enfrentados com a Silicon Knights, a Epic Games também resolveu fazer alegações contra a empresa, dizendo que eles teriam utilizado partes da Unreal Engine 3 sem autorização, assim como teria apresentado-a a terceiros, o que lhes era proibido pela licença.

Talvez argumentando um pouco em defesa à Epic Games, o título Too Human já tinha um ciclo de desenvolvimento grande antes mesmo de escolherem a Unreal Engine 3 para adaptá-lo a atual geração, e a fraca recepção da crítica e do público ao jogo nada teve a ver com tempo de produção ou os gráficos, mas sim com a qualidade, que não era condizente com o que se esperava.

Apesar de o processo seguir em frente, algumas das acusações da Silicon Knights foram desconsideradas pelo tribunal. Toda essa batalha começou em julho de 2007, e somente agora chegará aos tribunais. Ironicamente, quase o tempo de desenvolvimento de Too Human.

Via Eurogamer.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares