Internet

07/04/2011 12h28 - Atualizado em 14/07/2011 06h55

Google está desenvolvendo versão do Chrome OS para tablets

Bruno do Amaral
por
Para o TechTudo

O Android pode não ser a única escolha do Google para equipar tablets. De acordo com detalhes do código fonte do Chrome OS divulgados nesta quinta-feira (7), a empresa planeja também equipar os aparelhos com o sistema operacional baseado na nuvem, incluindo a adequação à interface touchscreen.

Tablet com Chrome OS (Foto: Divulgação)Tablet com Chrome OS (Foto: Divulgação)

Mas não é segredo que o Google queria colocar o Chrome OS em tablets, já que a própria empresa exibiu conceitos de arte mostrando como seria essa versão do sistema operacional. A novidade é que pedaços do código fonte do software indicam que a companhia planeja, provavelmente em um futuro próximo, finalmente incluir a plataforma. “Estamos comprometidos em um trabalho open-source ainda em estágios iniciais para o formato tablet, mas não temos nenhuma novidade para anunciar no momento”, disse um representante da gigante da web ao site Cnet.

As mudanças notadas no código são comandos otimizados para sites reconhecerem a interface touchscreen no navegador, um teclado virtual também em browsers, a arrumação de itens para facilitar a utilização com o toque na tela e uma nova página de abas retrabalhada com animação (como indicado no código CSS do software). Tudo isso era inexistente no sistema operacional até antes de março, quando o programa estava voltado somente para notebooks.

Nada disso significa necessariamente que o Google deixará de priorizar o Android como o sistema para tablets, pelo menos por enquanto. Com a chegada dos mais recentes aparelhos com a versão 3.0, também chamada de Honeycomb, a empresa está finalmente se equiparando ao iPad e seu iOS em termos de usabilidade na superfície de tela maior do que smartphones. O Chrome OS, por outro lado, ainda está em estágio inicial de desenvolvimento e não possui previsão de chegada ao mercado.

O sistema é também muito baseado em aplicativos que rodam na “nuvem”, o que demanda não só uma boa conexão, mas também uma interface que consiga lidar bem com diferentes plataformas. Se por um lado várias ferramentas da empresa já estão otimizadas dessa forma, como o Gmail e YouTube, ainda falta muito para que usuários de tablets possam ter uma experiência tão rica quanto em desktops e notebooks. Mas isso seria uma grande mudança de direção em relação ao modelo de apps fechados da Apple, e poderia revolucionar o desenvolvimento destes programas.

Via: Cnet

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares