Video game

04/04/2011 15h55 - Atualizado em 14/07/2011 06h56

Grupo hacker declara guerra contra Sony

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

Desde o ano passado a Sony está envolvida em processos contra os hackers George “Geohot” Hotz e Graf Chokolo, este último menos divulgado, mas enquanto os dois hackers tem se defendido perante um tribunal conforme manda o figurino, o conhecido grupo chamado Anonymous está tomando as dores dos companheiros e declarando guerra contra e empresa.

Grupo Anonymous em protesto contra a Igreja de Cientologia, em Hollywood (Foto: Divulgação)Grupo Anonymous em protesto contra a Igreja de Cientologia, em Hollywood (Foto: Divulgação)

A mensagem no site do grupo diz: “Parabéns, Sony. Você agora recebeu a total atenção do Anonymous. Suas recentes ações legais contra nossos companheiros hackers, Geohot e Graf Chokolo, não apenas nos alarmou, mas foram consideradas completamente imperdoáveis”.

Como mencionamos em outras ocasiões, foi realmente espantoso o nível de informação ao qual a empresa teve acesso, considerando que se tratava de um caso civil e não criminal, tendo quebrado a privacidade de milhares de usuários que meramente interagiram com os hackers de qualquer forma.

A Sony teve acesso aos IPs, números de conexão que permitem rastrear a localização de uma pessoa, de vários usuários que fizeram doações ao hacker, baixaram seus arquivos ou mesmo viram seu vídeo no YouTube. O grupo chamou as ações de “abuso do sistema judicial em uma tentativa de censurar informação sobre como seu produto funciona”.

"Você vitimou seus próprios consumidores meramente por possuírem e dividirem informação e continua a mirar em cada pessoa que busca essa informação. Ao fazê-lo você violou a privacidade de milhares. Isso é informação que eles estavam dispostos a ensinar ao mundo de graça. A mesmíssima informação que você deseja suprimir pelo bem da ganância corporativa e completo controle dos usuários. Agora você sentirá a ira do Anonymous”, encerrava o comunicado.

As acusações do grupo não são exatamente meras conjecturas, conforme a empresa está respondendo a um processo pela remoção da função Other OS do PlayStation 3, no qual era permitido instalar Linux no console e utilizá-lo para funções diversas. Segundo o grupo hacker, trata-se de: “uma filosofia corporativa que negaria aos consumidores o direito de usar os produtos pelos quais eles pagaram, e legalmente possuem, na maneira de sua escolha”.

Outros alvos do grupo já incluíram os governos do Irã, Egito, o Bank of America e a Igreja de Cientologia. A Operação Sony é apenas um estágio de uma operação maior, traduzida livremente como Operação Dando o Troco.

Via Edge
 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares