Internet

12/05/2011 14h50 - Atualizado em 14/07/2011 06h49

Facebook admite que contratou empresa para fazer campanha anti-Google

Dorly Neto
por
Para o TechTudo

Quando você tem um problema na sua empresa, seja qual for, qual a melhor solução: tentar resolvê-lo de modo a agradar seus clientes ou dar um jeito de apontar o dedo para a concorrência e mostrar que eles possuem os mesmos erros? Para Mark Zuckerberg, o badalado empresário criador do Facebook, a segunda opção pareceu ser mais razoável, e foi o que ele fez.

Facebook (Foto: Divulgação)Facebook (Foto: Divulgação)

O Facebook, nos últimos tempo, passou por diversas críticas em relação a privacidade do seu produto, visto que ele lida com dados pessoais de mais de 500 milhões de pessoas. Julian Assange, criador do site Wikileaks, chegou a dizer que o Facebook é a maior máquina de espionagem do governo americano já utilizada.

Essa notícia vazou quando um jornalista divulgou que foi abordado por uma empresa de relações públicas chamada Burson-Marsteller. Ela desejava vender uma pauta sobre as vulnerabilidades de privacidade do Google, a maior empresa da internet e uma das principais concorrentes do Facebook. A empresa, num primeiro momento, recusou a dizer qual ou quais clientes a contrataram pra fazer esse trabalho, porém, depois, revelou que o cliente tratava-se do Facebook.

Mas, para retratar-se, ela disse que seu cliente estava “realmente preocupado” com as atitudes do Google em relação as suas redes sociais, como o fato de todas as informações estarem ligadas ao Gmail. Não se sabe o que essa informação vai repercutir entre as duas empresas, principalmente por que o Google ainda não se pronunciou sobre o assunto. Porém, podemos esperar um aumento da concorrência entre as duas. Quem sabe não são lançados novos produtos? Quem sai ganhando somos nós.

Via: SlashGear

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares