Sistemas Operacionais

27/05/2011 18h03 - Atualizado em 14/07/2011 06h45

Microsoft lucra mais com aparelhos Android do que com celulares Windows Phone 7

Thássius Veloso
por
Do Tecnoblog

Chegou a hora de desmistificar aquela história de que o Android é a plataforma móvel gratuita do Google. Pode até ser que o Google libere seu código gratuitamente para os fabricantes parceiros, mas ainda assim eles têm custos para utilizar o sistema. Um analista do CitiBank descobriu que a HTC paga US$ 5 a cada vez que vende um aparelho rodando Android.

Windows Phone 7 (Foto: Divulgação)Windows Phone 7 (Foto: Divulgação)

E sabe quem embolsa esse dinheiro? Ninguém menos que a Microsoft, liderada por Steve Ballmer. As duas empresas assinaram um acordo no ano passado que previa o pagamento de uma taxa para cada vez que a HTC utilizasse o Google Android em um aparelho.

Ao contrário do que você poderia imaginar, porém, a taxa não é por usar o Android, mas sim por utilizar propriedade intelectual (leia-se: patentes) registradas pela Microsoft. A empresa tem um amplo arsenal de papeis devidamente oficializados sobre diversas funcionalidades que são comuns em dispositivos móveis.

Estimativas dão conta de que a HTC vendeu 30 milhões de aparelhos rodando Android. Caso o cálculo esteja certo, a Microsoft leva uma bolada de US$ 150 milhões apenas dessa fabricante. E não para por aí: a MS está buscando na justiça o direito de cobrar de outros fabricantes pelo licenciamento. No caso, a taxa deve variar de US$ 7,50 e US$ 12,50 por unidade.

Ainda segundo estimativas, foram vendidos 2 milhões de smartphones rodando Windows Phone 7, o sistema mais recente da Microsoft, no mundo. A empresa cobra US$ 15 de taxa a cada unidade vendida, o que dá uma receita total de US$ 60 milhões. Em outras palavras, o Android gera mais receita para a MS que o Windows Phone 7.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares