Plataformas online

08/06/2011 15h40 - Atualizado em 14/07/2011 06h43

Ex-hacker afirma que a Playstation Network ainda não está segura

André Luiz de Mello Pereira
por
Para o TechTudo

Durante um mês, a Sony foi alvo de escrutínio geral por ter deixado as portas da Playstation Network, rede online do PS3 e PSPs abertas do jeito que deixou, o que gerou um dos maiores ataques hackers conhecidos pelo público. Apesar de ser vítima, a empresa teve sua imagem manchada perante seus consumidores, e desde então tem lutado para recuperar sua confiança. 

PlayStation Network estará de volta na Ásia neste final de semana  (Foto: Divulgação)PlayStation Network estará de volta na Ásia neste final de semana (Foto: Divulgação)

Todos os serviços da PSN foram restaurados essa semana, inclusive a sua loja, e as promessas de que melhorias foram feitas para evitar possíveis novos ataques foram feitas. Pois segundo o especialista em segurança na internet Gregory Evans não acredita nessas promessas. 

Gregory Evans é considerado um dos maiores hackers do planeta, e passou 2 anos preso e teve que pagar aproximadamente 10 milhões por ter hackeado empresas como AT&T, MCI and Worldcom. Hoje, é autor de 8 livros sobre o assunto e presta consultoria para várias empresas multinacionais, visando melhorar a segurança de suas redes. 

Em entrevista ao site Industry Games, ele contou que a Sony fez o certo ao abrir para o público que havia sido hackeada, buscando proteger seus clientes, e que praticamente todos os dias grandes empresas são hackeadas, mas que não buscam as autoridades por medo da má publicidade que um acontecimento pode trazer. Ele complementa com a afirmação que aproximadamente noventa por cento das empresas da lista Fortune 500, das quinhentas empresas mais importantes dos EUA, já foram hackeadas. 

Evans comenta o fato de que a partir do momento que você acessa a internet e preenche seus dados, está sujeito a ter alguém acessando-os. Ele diz que o que aconteceu com a Sony pode muito bem acontecer com a Microsoft e sua Live, e que não existe uma rede 100% segura. O fato da Sony ter tido sua rede invadida com facilidade agravou as coisas, mas nada impede que a Live, mais ou menos segura que a PSN, possa sofrer um ataque semelhante ou talvez pior em breve. 

PlayStation Network (Foto: Divulgação)PlayStation Network (Foto: Divulgação)

Para complementar, o especialista avisa que não acredita na eficiência da nova rede de segurança da Sony pelo simples fato de que os profissionais que trabalham nela não são preparados para esse tipo de coisa. Segundo Evans, o ideal para que a rede fosse protegida de verdade, seria trazer o inimigo mais pra perto. Colocando profissionais que são hackers, e que testariam a ferramenta de várias maneiras, fora de um ambiente controlado, a Sony, e qualquer outra empresa, poderia ter uma vantagem em cima dos criminosos. 

O alerta foi dado. É sempre importante cuidar dos nossos dados quando acessamos a internet. Essa é praticamente uma regra básica de uso dela. O que aconteceu com a Sony foi uma fatalidade. Ela e seus consumidores foram vitimados por criminosos que, seja para “fazerem seus nomes”, punir a empresa ou de fato se apropriar de dados de seus consumidores, e isso não pode ser esquecido. Assim como aconteceu com ela, outras empresas podem sofrer do mesmo mal. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares