Video game

21/06/2011 17h17 - Atualizado em 14/07/2011 06h40

Exclusivo para a PSN, Amy promete trazer de volta o gênero survival-horror

Bruno do Amaral
por
Para o TechTudo

Já ouviu falar de Paul Cuisset? O francês foi o criador do aclamado game Flashback em 1992, que trouxe animações fluidas e cenários desenhados a mão e é tido como um dos mais influentes do final da era 16 bits. Agora ele volta com o jogo Amy, exclusivo da PlayStation Network e que promete trazer de volta o gênero de survival-horror (ou terror-sobrevivência, se preferir). O conceito do título foi divulgado pelo blog oficial do PlayStation nesta segunda-feira (20).

Amy (Foto: Divulgação)Amy (Foto: Divulgação)

A história se passa em 2034, quando o aquecimento global proporcionou inúmeros desastres naturais e, consequentemente, novas doenças. Para piorar as coisas, um cometa atinge a pequena Silver City. A personagem principal, Lana, acorda após o impacto, o que a faz descobrir que a cidade virou praticamente um inferno com a maioria da população transformada em espécies de zumbis por conta de um vírus misterioso.

O problema: a tal doença já infectou Lana. A solução: localizar equipamentos médicos nos cadáveres dos soldados pelas ruas ou simplesmente ficar perto da estranha garotinha Amy, que, por alguma razão, é imune ao vírus e ainda pode curar momentaneamente a protagonista ao se aproximar dela. A menina não fala, mas as expressões faciais dela mostram medo e tristeza. Até porque os zumbis estão atrás dela.


A única solução é ficar sempre ao lado da garota e tentar escapar da cidade infectada. Amy é apenas uma criança, então ela não vai ajudar muito em combates, mas pode explorar locais independentemente e até mesmo chamar a atenção para coisas que você deixou passar. Aperte o botão R1 no controle para segurar a mão dela, o que vai aumentar sua energia e permitirá sentir a vibração pelo DualShock que representa o coração dela – quanto mais rápido, mais medo e, consequentemente, mais perigoso será o local.

Não que Lana seja também uma Lara Croft: ela é uma mulher comum, sem grandes habilidades de luta ou super força. Por isso, algumas vezes o melhor será se esconder para evitar os inimigos, seja dentro de um armário, seja debaixo de uma mesa. Mas é possível se aproveitar do contágio – quanto mais sinais da doença, mais ela passará sem problemas pelas hordas de “zumbis” (o blog do PlayStation jamais se refere aos inimigos dessa forma, mas é o que mais parece). No entanto, os soldados ainda estarão atrás da dupla, então é melhor ter cuidado.


Se nada der certo para tentar evitar os inimigos, o combate será necessário. O que Lana pode fazer é encontrar o que tiver pela frente para utilizar como armas: bastões, canos ou qualquer objeto que possa potencializar os danos. Ela só poderá carregar um item por vez, e estes terão de ser pequenos. Ou ainda utilizar o cenário, eletrocutando alguém perto de uma fonte de água e eletricidade, por exemplo.

“Com Amy, estamos trazendo os conceitos inovadores de Paul aos donos do PS3 com uma nova filosofia de desenvolvimento que acaba com o hiato entre jogos inovadores e indies da PSN com os títulos bastante ambiciosos em Blu-ray”, diz Djamil Kemal, da produtora Lexis Numérique, no blog. Isso porque, apesar de ser ofertado via download, o game promete técnicas gráficas processadas em tempo real, como reflexos nos olhos da personagem principal.

Exclusivo para a rede da Sony no PlayStation 3, Amy ainda não tem data de lançamento. Resta torcer para que este herdeiro de Silent Hill vingue a tradição de Paul Cuisset para bons e inspirados games. Se bem que ele foi responsável também por Shaq Fu…

Via: PlayStation Blog

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares