23/06/2011 19h37 - Atualizado em 14/07/2011 06h40

Executivos do OnLive acreditam que sua tecnologia pode ser a solução para o avanço gráfico dos games

André Luiz de Mello Pereira
por
Para o TechTudo

O OnLive surgiu como uma forma de todo mundo poder jogar os games mais recentes, lançados para PCs, sem precisar de uma máquina da NASA, por exemplo (Crysis, estou olhando para você). O mecanismo, de certa forma, é bem simples. O jogo fica instalado numa central da empresa, e na sua casa você precisa apenas de um computador que consiga rodar vídeos e uma boa conexão de internet.

O OnLive Game System com seu controle (Foto: Divulgação)O OnLive Game System com seu controle (Foto: Divulgação)

Os comandos feitos no seu computador (através de mouse + teclado/ joystick) são enviados ao servidor do OnLive, que os reproduz e envia para você apenas a imagem. Ok, explicando dessa maneira é meio estranho, mas é basicamente você jogando à distância, recebendo na sua casa a imagem do que está fazendo. Isso de fato funciona muito bem, se você é americano.

Eu cheguei a testar o aplicativo para PCs, e de fato é impressionante ver um Batman: Arkham Asylum, você clicar nele e já começar a jogar. O problema é que como os servidores se encontram nos EUA, o lag dificulta muito a jogatina em outros países.

Por isso as declarações do presidente da OnLive, Steve Perlman, parecem um tanto exageradas. Segundo ele, no futuro, jogos que tem gráficos tão avançados como os do trailer de Batman: Arkham City, precisariam de máquinas muito caras, logo, a tecnologia usada pela companhia seria a solução.

Ok, concordo que seria muito mais fácil ter apenas um aplicativo ou o aparelho OnLive para instalar em alguma TV, ao invés de gastar muito dinheiro montando um PC potente, ou comprando um novo videogame, mas a tecnologia evolui. Quando chegarmos ao ponto onde um jogo tem um gameplay com gráficos como o do trailer que você vê aí embaixo, PCs e consoles já evoluíram muito. Será basicamente o que temos hoje em dia, só que melhor.

Claro que o Perlman está vendendo sua empresa, é esse o seu trabalho, mas colocar o OnLive como o futuro dos games é no mínimo leviano. Quer saber por que ele não poderá ser o futuro? OnLive precisa de uma conexão bruta pra rodar como se deve, com uma imagem cristalina e gameplay fluido. Uma queda na internet e pronto, acabou seu jogo.

Outro exemplo: você está no Brasil. Não tem servidores da OnLive aqui, mas digamos que sejam instalados alguns. Você ainda precisaria de uma internet de uns 10mb pra rodar direito. E todos nós sabemos como é a nossa internet, salvo algumas raras exceções.

O OnLive tem potencial? Tem, e muito, só que pra ser mais uma forma de se jogar, não como o “matador do PC/Console Gaming” como eles querem que você acredite.

via Eurogamer

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Rodrigo Santini
    2011-06-24T10:34:36

    Não concordo que a opinião do executivo da OnLive seja leviana. Ele não ofendeu, nem menosprezou nada, nem ninguém. Pegou pesado, caro reporter. Sobre a tecnologia, ficou realmente muito bom. A jogabilidade é a mesma dos consoles ou PC. Consegui jogar algumas vezes, aqui de SP, usando uma conta americana e com meu Virtua de 5 MB. Claro que, por ficar nos EUA, a imagem perde bastante. Mas a oferta de demos é muito boa, é possível jogar por uma hora por jogo, sem restrição de fases ou mapas. Eu apostaria que eles irão tomar um bom pedaço do mercado, pela simplicidade e custo baixo que tem.