Sistemas Operacionais

06/06/2011 16h54 - Atualizado em 14/07/2011 06h43

Mac OS X Lion deixa o sistema da Apple mais próximo do iOS

Bruno do Amaral
por
Para o TechTudo

Anunciado em outubro, o OS X Lion teve lugar de destaque na apresentação desta segunda-feira (6) da Apple na WWDC 2011, conferência para desenvolvedores para a plataforma da empresa que aconteceu em San Francisco, Estados Unidos. Entre mais de 250 novos recursos, dez novidades foram mostradas com maior destaque. E o que deu para perceber claramente foi a intenção de aproximar ainda mais o sistema operacional para Mac do iOS, que equipa o iPhone, iPod touch e iPad.

Mac OS X Lion (Foto: Divulgação)Mac OS X Lion (Foto: Divulgação)

Uma das principais novidades é a integração com comandos por gestos (utilizando o touchpad sensível ao toque múltiplo dos MacBooks, por exemplo) para aproximar telas ou trocar entre aplicativos abertos. Funciona exatamente como navegar na internet em um iPhone: tudo é intuitivo, com animações fluidas e sem engasgos. “Barra de rolamento? Quem precisa delas?”, pergunta Phil Schiller, vice-presidente de marketing de produtos da Apple.

Outra herança do iOS é o recurso de tela cheia, que pode ser acessado a partir de um botão na parte superior direita do sistema. Com ele, não há mais a persistente barra de ferramentas. É bem semelhante também à função apresentada pela Microsoft para o Windows 8, que compartilha a interface entre desktops e tablets. Já o “Controle de Missão” mostra todos os apps abertos, facilitando o gerenciamento, enquanto o Launchpad permite o acesso em uma grade de programas.

A Mac App Store, loja de aplicativos para o sistema da Apple, agora está embutido no Lion, e conta com maior segurança para a compra de softwares. Schiller afirma que é a plataforma que mais vende programas para PC, inclusive à frente de grandes varejistas como Best Buy e Walmart.

Para quem morre de medo de perder documentos por falta de energia ou um travamento repentino, a Apple agora oferece a função Resume, que abre o arquivo do ponto de onde parou da última vez, e o Auto Save, que elimina completamente a necessidade de ficar salvando tudo a cada alteração. Com este último recurso, inclusive, é possível acessar versões anteriores do documento, podendo copiar e colar trechos entre diferentes modificações e também salvar cópias. Tudo isso porque o Lion só grava as informações mudadas, deixando em arquivo as alterações anteriores.

AirDrop

Outro recurso inédito é o AirDrop, que permite compartilhar arquivos utilizando a nuvem, em vez de ficar repassando pendrives entre máquinas. Para tanto, basta arrastar o arquivo ao usuário que se deseja. Ele recebe uma notificação e já pode começar a baixar no esquema peer-to-peer (como em torrents, sem conexão com servidores, apenas entre as duas máquinas). Não há necessidade de configuração alguma e é simples de usar, segundo Schiller.

Mail

O Mail também foi modificado, mostrando mensagens agrupadas, barra de favoritos para organizar contatos e conversas e muitas semelhanças com o Gmail, mas com a possibilidade dos comandos por gestos multitouch. A busca também foi melhorada: é possível procurar por pessoas, assuntos ou por data – ou ainda combinar os três parâmetros. Os resultados escondem as respostas e mensagens encaminhadas que possam ser redundantes.

Mail no Lion (Foto: Divulgação)Mail no Lion (Foto: Divulgação)

Preço e disponibilidade

Schiller disse que essas novidades são apenas parte de uma grande lista de melhorias, que incluem assistente de migração a partir do Windows, FileVault 2, FaceTime embutido, servidor Lion e outros recursos ainda não especificados. O sistema operacional OS X Lion estará disponível a partir de julho apenas para download por meio da App Store para Mac. O arquivo tem 4 GB, custará US$ 29,99 e poderá ser instalado sem reinicialização na máquina (ou em “todos os seus Macs pessoalmente autorizados”).

Via: Engadget

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares