Video game

13/06/2011 15h14 - Atualizado em 14/07/2011 06h42

O que é a Maldição do Terceiro Console?

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

A indústria de jogos é relativamente recente quando comparada a outras formas de entretenimento e ela anda até bem devagar, em ciclos de aproximadamente 5 em 5 anos, e como os antigos, em seus tempos primitivos, a maioria das pessoas ainda acredita em maldições.

Muitos já devem ter ouvido falar da Maldição do Terceiro Console, que antes era apenas uma brincadeira, mas começou a fazer sentido depois de um tempo. Mas afinal, o que ela é e por que acontece? Há uma explicação lógica para tal.

Playstation 3 (Foto: Divulgação)Playstation 3, o terceiro console que perdeu a liderança (Foto: Divulgação)

Primeiro, vamos determinar sua origem. A Maldição do Terceiro Console conta de uma impossibilidade de se manter na liderança por três gerações seguidas. A Nintendo lançou o Nintendo 8 Bits, o Super Nintendo e caiu com o Nintendo 64, o terceiro console.

Então a Sony lançou o PlayStation 1 e o PlayStation 2 e muitos começaram a se lembrar da maldição. Qual não foi a surpresa quando o PlayStation 3 teve um desempenho horrível comparado a seus antecessores que eram líderes isolados de mercado. Estava comprovado, a maldição existia.

Mas tomando um pensamento mais racional, o que é realmente aconteceu? A resposta está em ambos os livros que o presidente da Nintendo disse que sua estratégia com o Nintendo Wii e Nintendo DS eram baseados: The Innovator’s Dilemma e A Estratégia do Oceano Azul.

Em The Innovator’s Dilemma (que não foi publicado no Brasil) descobrimos o que é a Maldição do Terceiro Console e em A Estratégia do Oceano Azul vemos como é possível revertê-la, como Satoru Iwata fez.

Nintendo DS Lite (Foto: Divulgação)Nintendo DS Lite, o primeiro a vencer a maldição (Foto: Divulgação)

Após o GameBoy e o GameBoy Advance, se a Nintendo lançasse um terceiro portátil com os mesmos conceitos dos dois anteriores contra o PlayStation Portátil da Sony,
teria perdido a geração e sua liderança. Ao invés disso ela lançou o Nintendo DS e vendeu mais do que nunca. Antes dele, nunca um terceiro console havia mantido, que dirá expandido, o mercado de seu antecessor. Isso porque os ciclos de três representam fases distintas representando sucesso, mais sucesso e fracasso. Ascensão, apogeu e queda. Um movimento que parece ilógico, mas que Clayton M. Christensen, da Harvard Business School, estudou em The Innovator’s Dilemma.

Logo no primeiro capítulo, “Por que grandes companhias podem falhar”, Clayton explica: “Precisamente porque essas firmas ouviram seus clientes, investiram agressivamente em novas tecnologias que proveriam seus clientes com mais e melhores produtos do tipo que eles queriam, e porque eles estudaram cuidadosamente tendências de mercado e sistematicamente alocaram capital de investimento em inovações que prometiam o melhor retorno, eles perderam sua posição de liderança”.

Nintendo Wii (Foto: Divulgação)Nintendo Wii (Foto: Divulgação)

Christensen mostra vários exemplos de empresas que perderam sua liderança (algumas nem sobreviveram) quando uma nova força entra no mercado e muda os valores deste. Como quando a Sony entrou com o PlayStation e criou uma ruptura do modelo de negócios da Nintendo e da Sega.

No entanto, Christensen atribui erroneamente a ruptura à mudanças de valores tecnológicos. Seria como considerar a vitória do PlayStation devido ao CD, a do Nintendo DS devido à tela de toque e a do Nintendo Wii aos controles de movimento. Em A Estratégia do Oceano Azul, W. Chan Kim e Renée Mauborgne explicam que não se trata de uma inovação tecnológica, mas uma inovação de valor.

A Maldição do Terceiro Console é uma pirâmide. Um console começa com uma larga base, evolui para o segundo console com menos clientes e então chega ao topo, já com apenas um grupo seleto. Nesse ponto, ele perde para outro console, que está em sua base e torna a subir a pirâmide. O Nintendo 64 era o topo da pirâmide da Nintendo e o PlayStation a base da pirâmide da Sony.

Justamente por estarem na liderança, as empresas tomam decisões que levam à sua ruína contra novatas no ramo, explica Christensen. Hoje a Apple está com um mercado de jogos maior do que tudo que já foi visto, com Angry Birds tendo números de vendas absurdos, mas para a Nintendo, Sony ou Microsoft, não era interessante explorar um mercado de jogos de US$ 0,99 e agora estão sofrendo uma ruptura em seu modelo de negócios por estes.

Isso significa que de acordo com os estudos desses analistas, o Nintendo 3DS pode ser derrubado por uma concorrente por ter características de terceiro console e um dia chegará também a vez da Apple encarar esse vudu.

No fim das contas a Maldição do Terceiro Console é a personificação de uma das frases que abre o livro A Estratégia do Oceano Azul: “Não existem empresas excelentes para sempre”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Felipe Rigo
    2012-07-28T22:18:56

    não tem nada a ver o PS3 SÓ NÃO VENDE MAIS POIS É MUITO CARRO

  • Jonas Louredo
    2011-06-15T20:41:05

    E eu perdi preciosos minutos do meu tempo lendo isso. "Maldição do terceiro console"... Sério?

  • Thiago Claro
    2011-06-14T17:42:38

    Concordo, mas tem um erro, o DS não foi o terceiro portátil da nintendo, sim o Virtual Boy, game boy, game boy color e Virtual Boy - depois vem o game boy advanced - que foi um fracasso sem limite. Assim dando continuação a maldição da 3º geração.