Jogos de aventura

22/06/2011 13h45 - Atualizado em 14/07/2011 06h40

Rise of Nightmares aparece em vídeo assustador

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

É um pouco estranho entender a lógica por trás do pensamento da Sega. Durante o maior evento de videogames do ano, a E3 2011, a empresa mostrou apenas um trailer teaser de seu novo jogo, Rise of the Nightmares, sendo que ele utiliza exclusiva e extensivamente o periférico de captação de movimentos da Microsoft, o Kinect, o qual era o grande destaque da companhia na feira. Só agora ela resolveu mostrar um trailer do jogo em ação, e parece assustador o bastante para ter impressionado se fosse apresentado antes. 

Rise of Nightmares (Foto: Divulgação)Rise of Nightmares (Foto: Divulgação)

Este é um jogo que definitivamente não é recomendado para os jogadores mais jovens, assim como esse trailer, transbordando sangue, desmembramentos, decapitações, e tudo mais que a classificação da ESRB, órgão que classifica a faixa etária adequada para os jogos, já havia previsto quando classificou o jogo há algum tempo. 

A mecânica do título lembra bastante o estilo de outra franquia da Sega, House of the Dead, especialmente o capítulo mais recente desenvolvido pela Headstrong Games, House of the Dead: Overkill para o Nintendo Wii. A grande diferença é que dessa vez, ao invés de atirar em hordas de mortos-vivos, você utiliza armas diretamente ligadas aos gestos das suas mãos. 

Entre as armas mostradas no vídeo, temos uma faca comum, um facão e até uma serra elétrica, todas deverão ser utilizadas através de gestos captados pelo Kinect. A violência é realmente destaque no meio da ação, fazendo valer seu título como primeiro jogo do periférico com a classificação Maduro, para jogadores acima de dezessete anos, quando foi anunciado. 

 

Via Destructoid

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares