Internet

02/08/2011 12h34 - Atualizado em 02/08/2011 19h50

Envio de imagens para o Facebook gera risco para os usuários

Rebecca Porphírio
por
Da redação
O PittPatt fez a identificação dos rostos. (Foto: Reprodução)O software usado foi o PittPatt. (Foto: Reprodução)

Um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh na Pensilvânia, Estados Unidos, descobriu que o Facebook pode estar sendo utilizado como ferramenta de identificação para expor informações confidenciais sobre os usuários.

A pesquisa revelou que um em cada três indivíduos envia imagens pessoais para o Facebook. Para testar os problemas que isso pode implicar, pesquisadores escolheram 93 voluntários e usaram apenas uma foto de cada um para rastreá-los na web. Usando um software disponível para o público, os estudiosos demoraram apenas três segundos para encontrar os voluntários na rede social. Munidos de informações pessoais escritas em seus perfis, os pesquisadores conseguiram os primeiros cinco números do seguro social de pelo menos um terço das pessoas.

Programa compara foto a banco de dados público. (Foto: Reprodução)Banco tem 261.262 imagens. (Foto: Reprodução)

A universidade utilizou a tecnologia de Reconhecimento Facial de Pittsburgh, com o software PittPatt, programa recentemente comprado pelo Google. As fotos dos 93 voluntários foram comparadas a um banco de dados público com 261.262 imagens disponíveis de rostos de pessoas, retirados de fotos enviadas para o Facebook. O sistema demorou apenas três segundos para encontrar pelo menos 10 possíveis resultados. E acertou de primeira em um terço das vezes.

O responsável pela pesquisa, professor Alessandro Acquisti, disse que a evolução da tecnologia está levando a uma vigilância democrática. Os pesquisadores acreditam que o facebook, hoje com mais de 750 milhões de usuários, já é o maior serviço de identificação do mundo. Eles acreditam que ladrões de identidade precisam apenas navegar na web por alguns minutos para encontrar fotos e descobrir tudo que precisam saber.

O surgimento do reconhecimento facial lançou uma corrida entre Google e Facebook. Em junho, o Google lançou o Google+, site de rede social que ele planeja integrar com o PittPatt. O Facebook, por outro lado, já permitiu que os usuários possam identificar os amigos em suas fotos.

De acordo com o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia, a quantidade de fotos que foram erroneamente identificadas por programas caiu de 79% em 1993 para 29% ano passado. Entrevistado pelo ‘The Wall Street Journal’, um porta-voz do Facebook disse que nenhum usuário é obrigado a enviar foto alguma para a rede se assim não desejar.

Via MailOnline

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Carolina Campedelli
    2011-08-03T08:55:50

    querida globo.com, se prefere contratar estagiários para fazer suas matérias de primeira página, que pelo menos então contrate estagiários de faculdades renomadas, e faça alguns testes com eles. porque fica feio, né? eu acho. matéria muito ruim, onde a matéria não condiz com o título.

  • ADEMIR BIANCONI
    2011-08-03T09:47:43

    Para bom entendedor, poucas palavras bastam. Boa matéria.

  • ADEMIR BIANCONI
    2011-08-03T09:44:44

    Para bom entendedor, poucas palavras bastam. Boa matéria.

  • Gustavo Dantonio
    2011-08-03T09:21:51

    Eu gostei da matéria. Respondendo o comentario de Isabela Maria: Se você encontrar a pessoa com a foto e descobrir apenas o nome inteiro e ela já prestou algum vestibular ou concurso público que tenha sido aprovado(a) seu nome aparece públicamente seguido de RG, com RG você consegue mais algumas coisas e assim por diante.

  • LUCIANO COELHO
    2011-08-03T09:17:21

    Realmente a matéria está muito mal escrita... E a cada época dizem uma coisa, era o Orkut, o Facebook... Quem está mal intencionado sempre vai achar uma forma de fazer algo...

  • Tereza Andrade
    2011-08-03T09:13:29

    Li a notícia original em inglês e, agora sim, deu pra entender. Eles tiraram fotos de 93 voluntários e depois o software PittPatt comparou-as a 261mil fotos de um banco de dados criado a partir de fotos baixadas do Facebook. A partir dessa comparação, era, então, possível identificar o perfil do facebook desses voluntários. A partir de informações disponíveis nos perfis do Facebook, com técnicas que não tem a ver com o PittPatt, e que fogem do foco da notícia, é possível obter informações confidenciais de uma pessoa, tais como o número do Seguro Social Americano (equivalente ao CPF), etc.

  • Josias Prazeres
    2011-08-03T09:09:08

    Não entendi o que tem a ver o localizador de foto com descoberta de senhas bancárias. ?????

  • Tereza Andrade
    2011-08-03T08:44:49

    Valha-me, Cristo! Que matéria mal traduzida! É impossível compreender alguma coisa disso!

  • Isabela Maria
    2011-08-02T20:17:55

    Que? Não entendi a relação e nem como eles conseguem os números. Que matéria mais mal explicada. :/

  • Luiz Sereno
    2011-08-02T17:56:36

    responsavel sem acento? Paraxítona terminada com l deve ser acentuada!

  • Maxwell Baliza
    2011-08-02T17:33:15

    Malditas manchetes da globo, mal posso ver seus movimentos.

  • Fernando Aragão
    2011-08-02T17:29:37

    O título "Enviar foto para sites pode revelar dados bancários, diz estudo" não tem nada a ver com a matéria. Desde quando a análise de uma (ou várias) fotos revelam dados bancários? Arf...

  • Sérgio Figueiredo
    2011-08-02T14:11:54

    Redes sociais para que?