22/12/2011 15h40 - Atualizado em 22/12/2011 15h40

Pesquisadores melhoram eficiência elétrica de semicondutores orgânicos em 200%

Filipe Garrett
por
Para o TechTudo

Engenheiros da Universidade de Stanford deram um passo fundamental na pesquisa dos semicondutores orgânicos. O avanço obtido foi tornar o material mais eficiente na condução de energia elétrica, o que sempre fora seu maior limitante diante das tecnologias já estabelecidas. O aumento de eficiência obtido chega a 200% sobre o recorde anterior de maior condutividade no material.

semicondutorSemicondutor orgânico (Foto: Divulgação)

Semicondutores são as raízes de qualquer microchip. A ideia de criar modelos orgânicos pode levar a telas dobráveis, processadores que podem ser torcidos e dobrados, dispositivos mais eficientes energeticamente, além de menores – até mesmo com a espessura de uma tela de vidro. Mas o grande problema desta tecnologia era a baixa capacidade do material conduzir eletricidade. Foi nesse problema que a equipe liderada pela engenheira química Zhenan Bao trabalhou.

A técnica é batizada como “strainning the lattice” (em tradução livre do inglês, algo como “esticando a rede”). Os pesquisadores aproximaram as moléculas com os semicondutores orgânicos. A aproximação reduziu distâncias e facilitou o fluxo de eletricidade entre o material. A técnica já é utilizada nos semicondutores convencionais de silício, mas nunca havia sido testada com tanto sucesso no material orgânico.

Além do ganho de 200% na condutividade de energia, a equipe de cientistas relata que a técnica aumenta a eficiência do conjunto em 11 vezes. A equipe de Bao considera que, num primeiro momento, a análise dos resultados permitirá compreender melhor o comportamento em nível molecular dos materiais para aí sim evoluir a arquitetura de semicondutores orgânicos.

Via Stanford

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares