11/01/2012 11h24 - Atualizado em 11/01/2012 11h24

Game designer americano é condenado à morte no Irã por panfletagem em jogos

Arthur Figueiredo
por
Para o TechTudo

O game designer norte-americano Amir Mizra Hekmati supostamente confessou à Corte Revolucionária Islâmica, no Irã, que é um espião da CIA, e será condenado à morte. Hekmati é um ex-fuzileiro naval dos Estados Unidos e teria admitido, entre outras coisas – durante uma confissão televisonada! –, ter realizado panfletagem americana e divulgado informações enganosas através da Kuma Reality Games, uma desenvolvedora de jogos situada em Nova York.

Amir Mizra Hekmati (Foto: Reprodução)Amir Mizra Hekmati (Foto: Reprodução)

Foi divulgada uma transcrição da confissão de Hekmati, que detalharia seu envolvimento com a Kuma: “Após [trabalhar para o governo americano], fui para a Kuma. Esta empresa de informática recebia dinheiro da CIA para produzir, desenhar e distribuir gratuitamente jogos e filmes especiais, que manipulassem a opinião pública sobre o Oriente Médio. O objetivo da empresa em questão era convencer a população do Irã e de todo o mundo que tudo o que os Estados Unidos fazem em outros países são medidas positivas.”

A Kuma Games é responsável por vários jogos baseados em atividades militares ocidentais reais no Oriente Médio, como a morte de Osama Bin Laden e a execução de Muamar Kadhafi. O estúdio também lançou o jogo Assault on Iran, no qual os jogadores devem se infiltrar em um depósito nuclear iraniano para procurar provas de enriquecimento ilegal de urânio.

Já que o envolvimento de Hekmati com a CIA não foi confirmado, o site Kotaku fez sua própria investigação, e descobriu que o réu, de fato, trabalhou na Kuma Games, e encontrou evidências sugerindo que o seu trabalho na empresa foi financiado pelo Departamento de Defesa estadunidense.

O governo americano negou sumariamente as alegações sobre sua associação com Amir Mizra Hekmati. Em entrevista ao jornal New York Times, Tommy Vietor, do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, afirmou que “As alegações que o sr. Hekmati trabalhou e/ou foi enviado ao Irã através da CIA são falsas. O regime iraniano possui um histórico de acusar falsamente pessoas de serem espiãs e forçar confissões, além de prender americanos inocentes por razões políticas.”

Vietor exigiu a soltura imediata de Hekmati, mas o governo iraniano ainda não se pronunciou, e a sentença permanece. Novas informações sobre o caso devem ser divulgadas em breve.

Via GamesRadar e Edge

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares