Internet

30/04/2012 17h24 - Atualizado em 30/04/2012 17h30

A cada quatro casos de perseguição, três ocorrem na Internet

Priscila Martz
por
Para o TechTudo

Conforme dados da polícia britânica, a cada quatro casos de perseguição, três ocorrem na Internet. Os criminosos utilizam os próprios computadores para criar pseudônimos com o objetivo de realizar montagens ou caluniar vítimas desconhecidas. Há também o caso de pessoas que roubam a identidade de uma pessoa para criar perfis em redes sociais. Por fim, algumas vítimas sofrem assédio de pessoas do seu círculo social. A pena máxima para esse tipo de crime, na Inglaterra, é de seis meses.

Sean Duffy foi o primeiro homem a ser condenado por perseguição online (Foto: Reprodução)Sean Duffy foi o primeiro homem a ser condenado
por perseguição online (Foto: Reprodução)

As infrações cibernéticas só ganharam notoriedade na Inglaterra após a condenação de 18 semanas do britânico Sean Duffy. Ele foi o responsável pela publicação no Facebook de uma montagem da jovem Sophie Taylor, na qual ela aparece com ferimentos no corpo.

Após ser descoberto, Duffy relatou todo o caso em uma carta de defesa, em vão. Taylor, a vítima em questão, foi baleada acidentalmente pelo namorado Calum Murray, que se matou logo em seguida. Durante o julgamento de Duffy, foram apresentadas provas de que ele fez o mesmo com Laura Drew (vítima de epilepsia), Hayley Bates (vítima de um acidente de carro) e Jordan Cooper (vítima de um esfaqueamento).

O professor da Universidade de Bedfordshire Carten Maple explicou que parentes e amigos das vítimas sentem receio em formalizar uma denúncia na polícia, pois temem represálias por parte dos perseguidores. Além disso, o tipo de crime cometido por Duffy é tratado como bullying, que é julgado de forma mais leve se comparado aos demais casos ocorridos na rede. A Associação Britânica de Stalking luta, há alguns anos, para aumentar a pena máxima de seis meses e fazer com que os casos sejam levados mais a sério pelas cortes.

Uma pesquisa coletada pela Universidade de Bedfordshire revela que os maiores casos de perseguições e ameaças costumam ser realizados por e-mail e mensagens instantâneas. Por enquanto, as redes sociais são responsáveis pela maior incidência de assédio.

O professor afirmou que a quantidade de casos entre homens e mulheres é praticamente igual. Maple também alerta que os usuários tenham cuidado ao repassar número de telefone ou algum e-mail corporativo para desconhecidos, embora as pessoas do próprio círculo social das vítimas não estejam livres de praticar esses crimes.

De 2005 a 2009, a perseguição virtual ou bullying, aumentou cerca de 300%. Houve 53 mil denúncias, mas apenas 8.650 casos foram julgados na corte. Desse número, somente 6.646 foram considerados culpados. Em 2010, houve 10.990 julgamentos e 8.487 condenações.

Via Daily Mail

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • victor ichayo
    2012-05-01T00:06:58

    Com um sujeito desses olhando pra gente é muito fácil nos sentirmos perseguidos.