Fabricantes

21/08/2012 07h30 - Atualizado em 23/08/2012 13h48

Por que a Curiosity é pior que o seu celular?

Pedro Pisa
por
Para o TechTudo

Às 10h32 (horário da Califórnia) do dia 5 de agosto de 2012, a NASA anunciou que o robô Curiosity pousou no solo de Marte. O objetivo da missão é explorar o planeta vermelho e enviar imagens de alta resolução e dados científicos para a Terra. Nesse artigo, o TechTudo apresenta as especificações de hardware do robô e explica porque o seu celular é, provavelmente, bem mais potente do que o Curiosity.

Ilustração do Curiosity na superfície de marte (Foto: Reprodução / ExtremeTech)Ilustração do Curiosity na superfície de marte (Foto: Reprodução / ExtremeTech)

O computador que opera o robô é um RAD750, produzido pela BAE System Electronics Solutions, que é especializada na construção de equipamentos para ambientes espaciais, sobretudo para a indústria de defesa. O RAD750 é um computador de placa única, que inclui placa-mãe, processador e memórias RAM e ROM.

Lançado em 2001, o RAD750 é, hoje, um dos computadores mais populares para o mercado espacial. O equipamento instalado no Curiosity é composto de um processador PowerPC 750 (mais conhecido como PowerPC G3, o mesmo que equipava os iMacs lançados em julho de 2001) com relógio (clock) em torno de 200 MHz. Na mesma placa, inclui-se 256 megabytes de memória DRAM (Dynamic Random Access Memory) e 2 gigabytes de armazenamento em memórias flash. A memória flash é usada para armazenar vídeos e dados científicos antes de serem transmitidos para a Terra.

Visão da placa do computador RAD750 (Foto: Reprodução / ExtremeTech)Visão da placa do computador RAD750 (Foto: Reprodução / ExtremeTech)

Embora as especificações do Curiosity pareçam ultrapassadas, vale ressaltar que os requisitos de projeto que norteiam os engenheiros da NASA são diferentes daqueles definidos para a construção de equipamentos de uso geral, na Terra. Sobretudo, os requisitos ambientais, como exposição a radiação e a temperaturas extremas. Nesse contexto,  o RAD750 possui alta resistência a esses fatores. O computador resiste a temperaturas entre -55˚ e 70˚ C e níveis de radiação de até 1000 Gr (grays – unidade de medida para avaliar os impactos físicos da radiação). Para se ter uma comparação, exames de raio X e tomografia não passam de 1 Gr de radiação e, se o corpo humano for exposto a níveis de radiação próximos a 5 Gr apenas uma vez, isso pode causar morte em 14 dias.

Além dos requisitos ambientais, existem as necessidades de tolerância a falhas do robô em Marte. De fato, não seria possível levar o equipamento a uma assistência técnica, para um reparo eventual. Por isso, o equipamento precisa ser extremamente testado e avaliado em diversas condições e casos de possíveis erros. Por esse motivo, utiliza-se, para esse tipo de missão, equipamentos consolidados no mercado e reconhecidamente confiáveis. Apesar de toda a preocupação com a confiabilidade do computador, um segundo RAD750 é incluído no Curiosity e automaticamente assume o controle em caso de falha do primeiro.

Logo da NASA (National Aeronautics and Space Administration) (Foto: Divulgação)  Logo da NASA (National Aeronautics and Space
Administration) (Foto: Divulgação)

Por todos esses motivos, pode-se dizer que provavelmente o celular que você leva no bolso tem muito mais poder computacional do que o robô que a NASA acaba de enviar para Marte. E o motivo é o longo período de desenvolvimento do projeto, que definiu uma tecnologia anos antes do lançamento do robô. Tudo isso por causa da grande etapa de testes e correções já realizados com o equipamento utilizado.

E você, leitor? Já imaginou que a NASA usaria um equipamento lançado em 2001 no robô Curiosity, lançado ao espaço em novembro de 2011? Use o espaço dos comentários para deixar sua opnião.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • andre
    2012-09-11T15:04:13

    Prezado Windson ... entenda assim... Se a Nasa utilizasse uma camera de 8MP presente hj no S3... depois de todo tempo testando essa camera... ja teriamos uma camera de 50MP... Tudo é muito rapido hj... e os testes são demorados..

  • Rodrigo Santos
    2012-09-11T11:55:59

    As câmeras do Curiosity são de 2MP que já geram imagens em alta definição.

  • Weberhen
    2012-09-08T21:41:40

    Ow Windson, pelo jeito não entendeu nada, mesmo com a explicação do Pedro. As câmeras usadas também devem ser muito mais resistentes do que as que filmam HD hoje em dia, e o mais importante, já foram testadas por anos e em diversos ambientes.

  • Windson Bezerra
    2012-08-21T13:34:21

    Ainda me pergunto por quê com tanta tecnologia e bilhões em investimento, a NASA não instala uma câmera de alta resolução ao invés de colocarem uma camerazinha de celular de 5ª.