Internet

11/09/2012 14h42 - Atualizado em 11/09/2012 15h04

Novo vídeo da série 'Gozando de um bom livro' é publicado no YouTube

Gabriela Viana
por
Da redação

Após o vídeo piloto, no ar desde o dia 22 de agosto, o projeto “Gozando de um bom livro” teve seu primeiro episódio publicado na última quarta-feira (06/09) no YouTube. Com uma nova mise-em-scène, semelhante ao da série americana “Hysterical Literature" – no qual o projeto é inspirado -, o vídeo já contabilizou mais de 300 visualizações em algumas horas após a publicação.

Elaine recebe instruções antes de começar a gravar a leitura (Foto: Divulgação)Elaine recebe instruções antes de começar a gravar a leitura (Foto: Divulgação)

Neste episódio, com duração de mais de 10 minutos, Elaine (@DamaAmaldicoada) é quem passa pela experiência de ler um livro enquanto é estimulada sexualmente. No primeiro vídeo lançado, a sex trainer Lu Riva é quem aparecia lendo “O que há na bolsa da mulher inteligente – Guia prático de finanças pessoais”.

Criticados pela escolha do livro do primeiro vídeo que, segundo alguns usuários, “não combina com o tema”, a produção do projeto explicou que a ideia é exatamente descombinar o assunto da literatura escolhida com o desafio. “Um ponto que nos diferencia do projeto estrangeiro é o fato de as leituras não terem contexto sexual algum, justamente para criar essa batalha intensa entre os instintos da carne e o racional”, explica um dos produtores do projeto.

Quanto à produção técnica, se o piloto do projeto foi alvo de reclamações de internautas, o segundo vídeo já apresenta um ar bem mais profissional. Além do cenário diferente e da melhor qualidade da imagem, o áudio desta edição não conta com ruídos. “O primeiro vídeo foi na base de um celular e boa vontade. Nós aplicamos a lição de Glauber Rocha: ‘Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça’”, afirmou um dos integrantes da produção.

O projeto “Gozando de um bom livro”

A ideia de filmar uma mulher sentada lendo um livro, enquanto esta é estimulada por um vibrador por debaixo da mesa, nasceu após a produção da série do renomado fotógrafo Clayton Cubitt, “Hysterical Literature” – Literatura Histérica, em português. Entretanto, os objetivos dos projetos são um pouco diferentes.

Elaine durante as gravações de "Gozando de um bom livro" (Foto: Reprodução)Elaine durante as gravações de "Gozando de um bom livro" (Foto: Reprodução)

Enquanto a série de Cubitt apresenta atrizes pornôs como leitoras, o “Gozando de um bom livro” prioriza mulheres anônimas (tanto que as primeiras convidadas são esposas, namoradas ou amigas dos produtores do projeto). Segundo a produção da série, a ideia é tornar as imagens mais realistas. “Escolhemos mulheres comuns para participarem da experiência justamente para tornar mais real a ideia do ‘gozando’. Afinal de contas, quando tratamos de atrizes profissionais sempre fica a dúvida: ‘Será que ela gozou mesmo, ou está atuando?’”, afirmaram.

A repercussão da versão brasileira foi tanta que, a partir de agora, a série vai contar com a parceira da produtora SF13 Produções, responsável pela correção dos erros técnicos do primeiro vídeo. “O conceito vai ser aprimorado conforme o amadurecimento da campanha, de acordo com participação de novas mulheres e novas parcerias. Vamos sempre evoluindo”, afirmou um dos integrantes da equipe.

Sobre as próximas filmagens, a produção da série faz mistério sobre a possibilidade de criar a versão masculina do projeto, e afirma que muitas mulheres já se manifestaram pelas redes sociais, querendo saber como participar das gravações. “Outras mulheres se interessaram em participar, se manifestaram pelo Twitter e por comentários, perguntando quando teríamos novos vídeos. Pretendemos gravar com garotas desconhecidas do grande público, mas com o diferencial de serem bem resolvidas sexualmente, e que tenham a disposição para compartilhar o que têm de mais íntimo, a hora ‘H’”, declararam.


 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares