Fabricantes

19/10/2012 06h00 - Atualizado em 19/10/2012 06h00

Nissan introduz tecnologia eletrônica de direção

Filipe Garrett
por
Para o TechTudo

A Nissan, por meio de uma de suas marcas, a Infinity, introduzirá uma tecnologia inovadora no mundo dos automóveis. A marca desenvolveu um sistema conhecido como "steer-by-wire": em resumo, com a novidade, os carros da marca passarão a contar com um sistema de direção eletrônico, e não mais mecânico. Sai a coluna de direção e entram em cena os sensores.

Tecnologia deixa de lado a mecânica tradicional e usa sensores para ligar volantes às rodas (Foto: Reprodução)Tecnologia deixa de lado a mecânica tradicional e usa sensores para ligar volantes às rodas (Foto: Reprodução)

Além da direção eletrônica, os carros que oferecerem o sistema terão também câmeras, desenvolvidas para monitorar o rumo e alertar os sistemas do carro em caso de comportamento estranho do sistema, como volante apontando para um lado e rodas para outro.

Do ponto de vista tecnológico, o salto não é tão impressionante. A ideia por trás de recursos eletrônicos dentro do automóvel já tem mais de uma década. Atualmente, mesmo modelos mais simples de diversas montadoras já podem ser comprados com aceleradores eletrônicos, que não usam cabos, mas sensores para determinar a pressão do pedal e o regime de aceleração do motor.

Um dos pontos interessantes da ideia de tecnologias fly-by-wire, extremamente comum em aviões, nos automóveis é o abandono de pesados sistemas mecânicos e hidráulicos (e, ao menos no caso da aviação, muito sujeitos a panes). Com a direção by-wire, dirigir será algo próximo a conduzir o carro como se ele estivesse ligado a um joystick: pela eletrônica, o motorista não precisa fazer esforço nenhum para girar o volante. Ao contrário da direção hidráulica, o sistema eletrônico está disponível o tempo todo, sem a necessidade de ligar o motor.

Dirigir é uma atividade que exige precisão em alguns momentos e agilidade em outros. Numa autoestrada, a 120 km/h, o volante não pode ser leve demais, porque nesse caso, qualquer toque mais brusco pode causar uma catástrofe. No estacionamento do seu prédio ele não pode ser muito pesado, porque desse jeito causaria desconforto na manobra. Um volante eletrônico tem a vantagem de abrir espaço para diversas configurações de calibragem, que se ajustem às várias necessidades do motorista, algo impossível com volantes hidráulicos, por exemplo.

Contudo, direção é algo bem sensível em automóveis. Para driblar o ceticismo de confiar o rumo de um carro numa autoestrada em sensores eletrônicos, Nissan e Infinity continuarão a montar seus carros com o sistema mecânico pronto para ser ativado em caso de necessidade. Além disso, de acordo com a Nissan, o sistema foi concebido com vários controladores eletrônicos: caso um desses computadores falhe, há um computador reserva para assumir.

Via Extreme Tech

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Vinicius Bispo
    2012-10-21T19:34:41

    Megane Dynamique possuem direção eletrica...

  • Gltadeu
    2012-10-21T12:59:44

    Carros da Nissan são muito bons, já na hora de vender é que vem da dor de cabeça e no bolso, a depreciação no valor é um absurdo.

  • Rodrigo Santos
    2012-10-19T15:33:40

    Estava preocupado com a segurança, mas com um reserva caso o primeiro dê pane já fico mais tranquilo. Ainda acho que eletrônicos estão muito mais sujeitos a falhas (e ação do tempo) que mecânicos. Uma dúvida: e na hora do alagamento, essa direção vai continuar funcionando? Porque a direção mecânica não dá nada, o que pifa é o motor, a vela que molha... e por aí vai. E a eletrônica? Quero só ver.

  • Maxwell Diniz
    2012-10-19T14:05:56

    cone