Jogos de aventura

17/12/2012 12h20 - Atualizado em 17/12/2012 12h40

Dubladores de Detona Ralph falam sobre sua experiência com o filme e games

Felipe Vinha
por
Para o TechTudo

Durante a pré-estreia especial de Detona Ralph no Rio de Janeiro, o TechTudo entrevistou os principais dubladores do filme: MariMoon, que faz a voz de Vanellope, e Tiago Abravanel, que dá vida ao próprio Ralph. Confira o que os dois acharam do trabalho e suas relações com o mundo dos games:

Tiago Abravanel é a voz de Ralph (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)Tiago Abravanel é a voz de Ralph (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)

TechTudo: Como foi o trabalho de dublagem com o filme? Foi o primeiro trabalho de vocês neste ramo? Curtiram a experiência?

Tiago Abravanel: Foi meu primeiro trabalho. Foi bem difícil e muito louco! Ainda mais no meu caso, já que sou bem autocrítico. Acho que algumas coisas eu teria feito diferente… Mas nosso diretor (de dublagem) fez um bom trabalho. Chegou uma hora que você esquece que quem está ali é o Tiago, e não o Ralph, e o personagem se mistura na sua vida. Quando acontece isso eu acho bem legal!

MariMoon: Foi minha primeira vez, e acho que não poderia ser melhor, né? Dublando um filme da Disney! Minha personagem é maravilhosa! Ela é uma pequena fofa, muito querida, com um grande coração e que sofre “bullying”! Mas ela é uma ótima amiga, tem seus defeitos, mas é legal. Não posso contar o final, mas ela tem uma revelação especial. Sobre a dublagem, foi um processo muito difícil, mas a Disney é muito bem preparada e isso contribuiu com o trabalho.

TT: O tema do filme, claro, é videogames, qual a relação de vocês com os jogos?

Tiago Abravanel: Eu jogava quando era mais novo. Era viciado em Mario Kart, Donkey Kong. Quando eu era bem pequeno, jogava no Atari da minha mãe, mas nunca fui “viciado” em videogame. Estou muito mais envolvido com videogame agora, dublando o filme, do que antes.

MariMoon: Eu jogo desde pequena, cheguei a jogar o Space Invaders original em um PC velho de tela verde e preta. Eu tive o Super Nintendo, na verdade tenho até hoje… Tenho também meu primeiro Game Boy guardado com Tetris. Meu jogo favorito no iPad é o Civilization, de estratégia. Também gosto muito dos games da série da Alice, que começou em 2000 e agora tem o Alice Madness Returns.

Mari Moon segura Vanellope, sua personagem no filme (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)MariMoon segura Vanellope, sua personagem no filme (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)

TT: E qual foi o último aparelho de videogame que vocês tiveram contato?

Tiago Abravanel: Foi o Nintendo 64! Foi o que eu joguei mais… Ah, eu joguei depois um pouco do Wii. Mas o aparelho que eu realmente joguei mais, chegava do colégio e ia logo jogar, foi o Nintendo.

MariMoon: Depois do Dreamcast eu fiz uma pausa nos games, mas cheguei a jogar no Dreamcast. Hoje eu tenho um PlayStation 3, já fiz minhas compras de Natal, com um monte de jogo! (risos)

TT: E na opinião de vocês, qual é o “melhor jogo já feito”? Aquele inesquecível, de todos os tempos?

Tiago Abravanel: O que eu gostava muito de jogar mesmo era o Donkey Kong, no Super Nintendo! Tanto que o personagem também não deixa de ser uma inspiração para a dublagem do Detona Ralph, já que são parecidos.

MariMoon: Se eu tivesse que escolher um só eu escolheria a saga da Alice mesmo. Tem uma pegada de terror legal, uma jogabilidade muito boa, gráficos incríveis. A cada fase ela troca de roupinhas, é muito legal, muito divertido! Acho que esse seria, atualmente, meu favorito!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Thiago Araujo
    2012-12-24T11:47:51

    Não sei se o problema é que vi muitos trailer no áudio original, mais na versão brasileira achei o lips sync muito ruim, infelizmente a disney optou usar atores ao invés de dubladores, mais da pra perceber que a direção foi extremamente trabalhada, tambem deu pra sentir que apesar dos esforços da direção, a tradução foi muito básica, se tivessem dado um pouco mais de liberdade para para os atores e direção eles poderiam ter umas perolas mais engraçada e mais ligadas ao tipo de humor brasileiro