Jogos de RPG

18/12/2012 06h00 - Atualizado em 18/12/2012 14h30

Final Fantasy completa 25 anos; conheça a história da saga

Thiago Dias
por
Para o TechTudo

Poucos nomes na indústria dos games são mais conhecidos do que Final Fantasy. A série de RPG mais famosa do mundo está completando 25 anos, com mais 15 jogos listados em sua série principal, além de inúmeros remakes e adaptações para diversas plataformas. Pioneira em alguns dos principais avanços da história dos games, a série também é reconhecida por seu impecável trabalho de arte – seja no design ou na trilha sonora – e por histórias envolventes, com personagens complexos e carismáticos.

FinalFantasy--FamicomCover (Foto: FinalFantasy--FamicomCover)Final Fantasy (Foto: FamicomCover)

 

Em 1986, as concorrentes da Square Soft, uma modesta produtora de games de Yokohama, Nintendo e Enix haviam lançado respectivamente The Legend of Zelda e Dragon’s Quest. O sucesso foi imediato e ambos, a seu próprio modo, definiram um gênero que ainda estava nascendo, o RPG. A Square precisava deste mercado, e a situação financeira da produtora não contribuía muito. Foi neste momento que entrou em cena Hinorobu Sakaguchi, designer do game de corrida Rad Racer, que passou a ser o responsável por colocar a empresa no mercado de RPGs.

Segundo o próprio Sakaguchi, se Final Fantasy falhasse, a empresa entraria com pedido de falência – o próprio nome do game, “fantasia final”, era uma ironia com a situação. Sendo assim, não é difícil imaginar a pressão sobre toda a equipe de desenvolvimento. E para alcançar o sucesso necessário, a Square ousou: o próprio Sakaguchi foi o responsável pelo design dos personagens e do mundo, tão vasto quanto o apresentado nos principais games concorrentes, além de um enredo complexo para a época e uma trilha sonora sem precedentes nos games. Final Fantasy era, além de uma aposta financeira, uma aposta artística da Square. A intenção era mostrar o quanto os RPGs eletrônicos poderiam crescer.

E a aposta da Square Soft se pagou. Final Fantasy foi lançado para o NES em dezembro de 1987 e foi um sucesso absoluto de púbico e critica. Ao todo, contando versões japonesas e americana (lançada apenas 3 anos depois) o game vendeu mais de 400 mil cópias, um número gigantesco para a época. Final Fantasy se transformou em um clássico imediato, com inovações na jogabilidade que definiram os RPGs por mais de uma geração.

Final Fantasy 2  (Foto: Divulgação)Final Fantasy 2 (Foto: Divulgação)

O sucesso fez com que a Square lançasse a continuação já no ano seguinte usando praticamente os mesmos sistema do game original, mas com uma história bem maior. A produtora também corrigiu algumas falhas do primeiro game e melhorou alguns aspectos importantes, como um sistema mais simplificado de classes, e tornou a evolução dos personagens mais orgânica para os jogadores. Em resumo, Final Fantasy II era um game maior, melhor e mais simples, o que contribuiu para que repetisse o sucesso e consolidasse a franquia. Mas o primeiro grande feito da Square ainda estava por vir.

Em 1990 o mercado de games estava passando por um grande processo de amadurecimento tanto no Japão quanto no Ocidente, e a nova geração de consoles já podia ser vista no horizonte. Foi neste cenário que Final Fantasy III chegou às lojas japonesas, no mesmo período em que o game original foi finalmente lançado nos EUA. Foi o primeiro grande movimento da Square para popularizar a sua saga no outro lado do mundo, em um mercado que ainda via os RPGs com certo estranhamento.

Quando FF 3 foi lançado para o NES em abril de 1990, ele era o maior game já feito. A história, os cenários, tudo era imenso. O título foi um feito técnico impressionante da Square e já anunciava o que os jogadores veriam na próxima geração de consoles, trazendo o que havia de melhor nas versões anteriores, com gráficos surpreendentes e uma jogabilidade refinada, que serviu de base para os três próximos games.

1107077-ffivet_jp_snes_frontFinal Fantasy 4 (Foto: Divulgação)

Muito aguardado pelos fãs e alvo de inúmeras especulações por parte da imprensa, Final Fantasy IV chegou às lojas japonesas em 1991 depois de uma grande reformulação, tanto em sua equipe de desenvolvimento – que passou a ser dirigida por Yoshinori Kitase – quando em sua proposta, tornando-se mais dramática e com um foco ainda maior no desenvolvimento do roteiro e dos personagens.

Esta também foi a primeira vez que a Square lançou um capitulo da franquia juntamente com o Ocidente, embora lá o game tenha recebido o nome de Final Fantasy 2. O resultado disto foi a consolidação da série como um sucesso nos EUA, que já se encantava com o gênero, graças também ao sucesso de The Legend of Zelda.

O primeiro tropeço da série veio com Final Fantasy V. Feito às pressas, ofuscado pelo sucesso do game anterior e lançado já em meio ao boatos em torno do capítulo seguinte, o quinto jogo não foi lançado nos EUA e frustrou os jogadores por trazer poucas novidades. Tempos depois, soube-se que a equipe principal da Square já estava trabalhando em FF 6, daí o “desleixo” apontado por alguns fãs.

Final Fantasy 5 (Foto: Divulgação)Final Fantasy 5 (Foto: Divulgação)

O fim da era Nintendo

Final Fantasy 6 foi lançado em 1994 com dois objetivos definidos pela Square: redimir a má impressão deixada pelo game anteiro e atingir um público mais maduro. Depois de mais de dois anos de produção, o game chegou às lojas trazendo um sistema clássico de combate por meio de turnos mais ágil que os anteriores. Chamado pela Square de Active Time Battle, o mecanismo facilitava a troca do personagem por parte do jogador. O game também era o maior da franquia até então, podendo levar até 50 horas para ser concluído. FF 6 foi lançado simultaneamente nos EUA, onde recebeu o nome de FF 3, além de passar por algumas alterações para agradar o mercado americano (troca da cor dos cabelos de personagens e outros detalhes).

O game também é lembrado por outro fato marcante: este foi o último jogo da série principal da saga a ser lançado em um console da Nintendo, o Super NES. Com a nova geração de consoles chegando nos dois anos seguintes, a Square fechou um contrato com a Sony que garantiu a exclusividade da marca para a sua primeira máquina, o Playstation, que seria lançado no ano seguinte. Posteriormente, em 1999, o próprio FF 6 foi lançado para o console, em uma coletânea intitulada Final Fantasy Anthology, que também continha Final Fantasy 5.

Ao todo Final Fantasy 6 vendeu mais de 3 milhões de cópias em todo mundo, números que para a época impressionaram. O game é até hoje considerado um dos melhores de toda história e divide com seu sucessor o posto de melhor Final Fantasy. É uma briga difícil de se escolher um vencedor, pois assim como a geração seguinte de consoles revolucionou os games com gráficos e jogabilidade em 3D, Final Fantasy 7 revolucionou os RPGs para sempre.


O ápice da saga

Quando o Playstation foi lançado em 1995 – e o Nintendo 64 em 1996 – a grande dúvida que cercava a indústria de games era como as séries clássicas iriam se adaptar à possibilidade de ter gráficos e jogabilidade completamente novos e diferente do que era feito até então. As produtoras iriam apenas “adaptar” o que já era feito? Ou iria ocorrer uma revolução completa e muitas franquias não sobreviveriam? E uma das grandes dúvidas girava em torno de Final Fantasy.

Acostumados a ter novos lançamentos anualmente, ou pelo menos de dois em dois anos, a expectativa pelo game só cresceu quando ele finalmente foi anunciado para 1997, quando o Playstation já estaria com quase dois anos de vida. O que Square estaria preparando? Por que tanta demora? Não foram poucos os pessimistas que insistiam em apontar dificuldades da empresa para adaptar sua principal joia para os novos tempos.

Seguindo a tradição da franquia, Final Fantasy 7 trouxe um novo mundo, com novos personagens. Estreando no console da Sony, o público foi apresentado a um Final Fantasy completamente novo, com personagens renderizados em 3D, novas perspectivas de cenário e um jogabilidade mais direta e simples, só que ao mesmo tempo que ainda mantinha a série com sua identidade própria. O game agradou tanto a jogadores novos na franquia quanto os veteranos neste aspecto.

final-fantasy-vii-capa (Foto: final-fantasy-vii-capa)Final Fantasy 7 (Foto: Divulgação)

 

Seu sucesso comercial foi acima dos padrões da indústria de games na época. Lançado nos três grandes mercados – Japão, EUA e Europa – o game já vendeu quase 10 milhões de cópias em todo o mundo. Os números de seu lançamento foram sem precedentes para um RPG, com 500 mil cópias vendidas nos EUA nas três primeiras semanas. Se até então Final Fantasy era uma das grandes marcas dos games, não é exagero dizer que com o sétimo volume a franquia se tornou um fenômeno cultural e garantiu seu lugar na história de toda a indústria.

Com personagens icônicos, como o vilão Sephiroth e o herói Cloud Strife, FF 7 foi também um dos grandes passos da indústria na produção de roteiros maduros, comprovando que os games também poderia contar grandes histórias. Não são poucos os jogadores que dedicam ao jogo alguns dos momentos mais marcantes – e porque não emocionantes – da sua infância. Contudo, todo o sucesso trouxe um ônus para a série: a sombra de Final Fantasy VII nunca se foi, e até hoje os jogadores esperam um game superior a este clássico de 1997.

O conturbado novo século

Mesmo com seu sucesso absurdo, a Square resistiu à tentação de copiar ou mesmo criar uma continuação direta de Final Fantasy 7. Com FF 8 a empresa manteve a principal característica da franquia, de apresentar mundos e personagens completamente novos, mas passou a investir pesadamente nas cut-scenes, as cenas em computação gráfica que de tão bem feitas lembravam filmes. O game assombrou não apenas por trazer cenas tão realistas, mas também por mostrar que elas poderiam ser rodadas no Playstation. O mesmo aconteceu com o game seguinte, Final Fantasy 9, que ficou marcado não apenas por ser o último da geração, mas o último da Square antes da sua fusão com a principal concorrente, a Enix, em 2001, criando assim a Square-Enix.

final fantasy x coverFinal Fantasy 10 (Foto: Divulgação)

A geração do Playstation 2 foi de altos e baixos para Final Fantasy. Ao mesmo tempo em que a Sony e a Square investiram muito dinheiro na produção do fracassado filme Final Fantasy: Spirits Within, o décimo capítulo, Final Fantasy X, da saga já estava em desenvolvimento, com a promessa de inovações profundas na jogabilidade, sendo lançado em 2001. A principal mudança foi a adoção de cenários completamente feitos em 3D, abandonando os pré-renderizados que eram marca da série e da geração anterior de consoles. O sistema de combate também foi totalmente alterado, o que gerou opiniões divididas, mas de forma geral o game é considerado até hoje como um dos melhores do Playstation 2. O sucesso fez com que a Square-Enix quebrasse sua tradição e lançasse pela primeira vez uma continuação direta, Final Fantasy X-2.

Os dias atuais

Final Fantasy vive um momento curioso na indústria de games atual. Lançado em meados de 2010, Final Fantasy 13 foi um sucesso de vendas no Japão e nos EUA, mas não impactou o mercado da forma como a franquia costumava fazer, sendo ofuscado – principalmente no Ocidente – por diversos títulos. Outro sinal da dificuldade que a série enfrenta atualmente foi o conturbado lançamento de Final Fantasy 14, que de tantas críticas, será relançado com alterações no ano que vem.

O grande dilema da série hoje talvez seja a sua própria identidade. Não faltam especulações em torno de games, como Final Fantasy Type-0 no Ocidente e os nebulosos Final Fantasy Versus 13 e Final Fantasy 15. Contudo a franquia, pioneira das principais revoluções nos RPGs e no uso de cut scenes, hoje em dia luta para manter a própria relevância em uma indústria cada vez mais ocidentalizada, com menos espaço para “RPGs puros”. Mas nada disto tira a importância e o peso que Final Fantasy teve em seus 25 anos. Alguns dos melhores games de todos os tempos, milhões de cópias vendidas e uma legião de fãs mostram que este nome ainda está longe de perder seu tamanho.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Thiago Gonzales
    2014-04-29T11:07:22

    é indiscutível que até hoje o Vll e o Vlll são os melhores. Lembro quando joguei o Vlll fiquei completamente impressionado. Nada do que eu havia jogado até ali fazia mais sentido, pois o jogo unia enredo, gráfico, jogabilidade, e diversão, tudo de forma excelente

  • Glauco Queiroz
    2013-07-02T14:28:40

    Eu amo FF e se um dia acabar, ficarei muito triste, pois sou um fã incondicional de todas as sagas. Joguei todas sem exceção e acompanho até hoje

  • Pedro Neto
    2013-02-20T04:20:21

    Eu joguei todos os Final Fantasy, inclusive os de NES pelo emulador e para mim o pior de todos, de longe, é o FF 13 seguido pelo FF 13-II. Roteiros ruins, histórias lineares, sem graça nenhuma, personagens sem carisma, conversas totalmente exageradas... armas e armaduras limitadas... não sei o que eles estavam pensando quando lançaram esses dois jogos. Ridículo.

  • Glauco Queiroz
    2013-07-02T14:30:30

    Só para zerar o game e consegui

  • Glauco Queiroz
    2013-07-02T14:30:18

    O game que achei melhor com certeza foi o ff 8do playstation 1. Esse me fez perder várias noites e na época eu não tinha o ps1 então resolvi alugar o console na mão de um colega que era dono de uma locadora e gastei equivalente a 350 reais por diaria.

  • Fabio Fernandes
    2012-12-20T14:17:26

    é faltou o FF XII (bem melhor q o X, na minha opinião) mas os melhores são o FF VII crisis core e o FF VIII...

  • Bruno Oliveira
    2012-12-20T08:34:41

    FFVII o melhor 4ever!

  • Thiago Pereira
    2012-12-18T20:14:26

    O melhor FF q eu ja joguei foi o FF12 cara, muita gente nem se lembra dos personagens, ou até mesmo nunca viu um gameplay do game, isso pq o FF XII não chamou muita atenção, tanto q se vc ver, os personagens pra muita gente, não são tão atraentes como de costume, mas pra mim isso é besteira.Até hj eu lembro do Vaan, Fran, Ashley e etc.O gameplay é incrivel, não existe aquela tela de transição q existia nos outros FF, os inimigos ficam espalhados pelo campo e vc pode atacar eles a hora q quiser e aquele barra de ATB(active time battle) era muito boa, adorava aquele sistema, FF ta longe de cair.

  • Silas Soares
    2012-12-18T19:43:19

    Orra, existem mais jogos do FF do que filmes do Jason!! Tem uma hora que o publico cansa e por isso acaba sendo fiasco... Mas parebens pela reportagem, a historias dos primeiros FF eu não conhecia... =)

  • Mauro Sókrates
    2012-12-18T17:41:36

    O caro colega esqueceu de dizer que existe uma versão do primeiro Final Fantasy pro MSX lançado também em 1987.

  • Leandro Paiva
    2012-12-18T15:00:04

    Seria Final Fantasy é Epica e jogo desde o FF6, gostaria muito que eles revolucionassem o sistema como fizeram no FF12, mas os gamers ortodoxos não aprovaram e eu achei simplesmente perfeito.

  • Antonio Duarte
    2012-12-18T13:37:24

    FF VII ÉPICO!!! O Melhor!

  • Airton Souza
    2012-12-18T13:30:44

    Conheça a verdadeira historia da saga Final Fantasy 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13,13.... O.O

  • Glóbulo
    2012-12-18T10:50:10

    FF acabei jogando só os do PSX (não tive console após ele), então joguei o 7, 8 e 9. Vi meu primo jogando um dos atuais (não sei dizer qual), e na hora da batalha parecia mais um jogo de ação. Não que isso seja ruim, mas eu particularmente acho que perdeu um pouco o charme daqueles RPG tradicionais... assim como Worms qdo virou 3d, XCOM, Heroes of Might and Magic, entre outros.

  • André Vieira
    2012-12-18T13:15:00  

    Entre outros títulos que não foram citados nessa matéria, ressalto Final Fantasy Tatics, um jogo que apesar de ter joagabilidade paralela aos demais citados, trazia um ótimo enredo, além de uma estrutura de evolução e jogabilidade viciantes.

    recentes

    populares

    • André Vieira
      2012-12-18T13:15:00  

      Tinha um save do Tatics com quase 200 horas, melhor jogo de estrategia que joguei, juntamente com Jeanne d'Arc (PSP).

    recentes

    populares

    • André Vieira
      2012-12-18T13:15:00  

      Você ainda pode jogar esse jogo que relamente é ótimo, basta baixar um emulador Psx e a room correspondente ao jogo. Vale a pena.

  • Marcelo Candido
    2012-12-18T21:01:50

    Faltou falar do Final Fantasy XII. Que para mim é um dos melhores, pelo sistema de batalha, pelo sistema de habilidades e pelas quests extras que tinham um bom nível de dificuldade.