08/12/2012 10h42 - Atualizado em 08/12/2012 17h23

Fotógrafo brasileiro registra maus tratos a animais ao redor do mundo

Raquel Freire
por
Para o TechTudo

O gaúcho Jonas Amadeo Lucas é um fotógrafo que registra animais. Mas diferentemente da maioria, que fotografa bichos fofos e alegres, ele capta o sofrimento desses seres em fazendas, granjas e zoológicos do mundo todo. As fotografias de Jon Amad, como é mais conhecido, documentam os maus tratos cometidos nesses lugares, denunciados por meio de seu site pessoal, o The Animal Day, e no Igualdad Animal, portal da ONG espanhola para a qual trabalha.

O fotógrafo Jon Amad alimentando filhote ovino (Foto: Reprodução)O fotógrafo Jon Amad alimentando filhote ovino
(Foto: Reprodução)

Seu trabalho investigativo inclui disfarce, elaboração de enredos que convençam funcionários dos lugares e, em alguns casos, até invasão dos matadouros. Tudo em defesa da causa animal, luta a qual se dedica integralmente há cinco anos, quando se tornou vegano. A adoção da filosofia aconteceu meio por acaso, em razão de uma pesquisa acadêmica sobre a relação entre comunicador e receptor.

Durante o período como ativista, Jon já passou por Itália, Espanha, Portugal, Alemanha, Marrocos, Holanda, Polônia, França, México, Argentina e Brasil. “Já vi lugares onde tudo era um pesadelo: o cheiro insuportável, os animais vivendo sobre seus excrementos, feridos, loucos… Todas as fazendas são assim. As fotos impressas nas embalagens são uma mentira que qualquer pessoa pode desmascarar em poucos minutos, via Internet, por exemplo. Por mais bonito que pintem, todas as jaulas são iguais vistas por dentro”, relata ao TechTudo.

Macaco em um zoológico, em meio ao lixo (Foto: Reprodução/Jon Amad) (Foto: Macaco em um zoológico, em meio ao lixo (Foto: Reprodução/Jon Amad))Macaco em um zoológico, em meio ao lixo (Foto: Jon Amad)

Para exercer sua atividade, Jon precisa de equipamentos robustos, que aguentem água, barro e golpes. Suas principais câmeras são uma Nikon D4, com a qual usa lentes Nikon 14-24 2.8, 17-55 2.8, 24-70 2.8, 70-200 2.8, e uma Fujifilm FinePix S5-Pro. Em alguns trabalhos, ele também usa equipamento de submarinismo para a S5-pro e para uma GoPro, além de câmeras ocultas. “Todo o material, assim como a manutenção, é muito caro. Dependo de doações para poder mantê-lo”, conta o artista, que tem suas viagens financiadas pela Igualdad Animal.

Seu ingresso no mundo da fotografia se deu em um ambiente bem mais ameno. Há dez anos, Amad era fotógrafo de moda e fazia eventualmente alguns trabalhos para jornais. Depois de muitos cursos na área de um diploma de ensino superior em Direção de Fotografia para Cinema pelo Instituto de Cinema de Madri, Amad decidiu empregar todo seu conhecimento em favor dos bichos por ter percebido que faltava um trabalho fotográfico investigativo de qualidade neste segmento. A função é dura, mas Jon garante que seu compromisso com a causa supera todos os obstáculos. “Quando algum trabalho parece impossível, a dor é o que me faz seguir em frente, sem parar para descansar.”

Pessoas praticando a Tourada, na Espanha (Foto: Reprodução/Jon Amad)Pessoas praticando a Tourada, na Espanha (Foto: Jon Amad)
Macaco do zoológico de Sevilha, Espanha (Foto: Reprodução/Jon Amad)Macaco do zoológico de Sevilha, Espanha (Foto: Jon Amad)
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Ericson Santos
    2012-12-08T11:58:57

    parabens pelo trabalho

  • Maisa Garcia
    2012-12-08T11:17:18

    Quando o ser humano se colocar no lugar desses animais principalmente no lugar desses touros que são sacrificados simplismente para diversao descontrolada e sem noção desse povo ignorante ,talves futuramente não veremos mais essas imagens tão tristes..

  • Maria Moreno
    2012-12-08T12:00:15

    A quem o homem que engana com sua falta de humanidade com relação aos animais.