01/02/2013 16h11 - Atualizado em 02/07/2013 14h27

Conheça as histórias dos casemods mais criativos da Campus Party 2013

Pedro Zambarda
por
Da Campus Party

Campuseiros que fazem modificações em gabinetes de computador, mais conhecidos como casemod, apresentaram suas máquinas na Campus Party 2013. Nesta sexta-feira (01/02), o TechTudo foi atrás das histórias sobre esses casemods. Um dos PCs que mais chamou a atenção no evento foi um gabinete com a carcaça de um robô japonês Gundam de mais de três metros de altura.

Confira a galeria de fotos da Campus Party 2013 no TechTudo

Alexandre Ferreira de Souza é veterano de Campus Party e chamou atenção com um computador que tem a carcaça de um robô japonês Gundam. O casemod tem mais de 3 metros de altura (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)Computador imita robô japonês Gundam e tem mais de 3m de altura (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Alexandre Ferreira Souza, o dono do computador com aparência de Gundam, gastou R$ 42 mil para fazer o trabalho de modificação, mais do que ele investiria num carro zero popular. “Venho na Campus Party desde 2008, quando trouxe um casemod com uma cabeça de Dragão. Em 2010, trouxe um Dragão Vermelho. Virei artista plástico com os trabalhos que desenvolvi aqui”, explicou Alexandre.

O campuseiro pretende melhorar seu Gundam para a próxima edição da Campus Party. “Vou fazer um esqueleto de alumínio para o robô. E, com a troca do material, eu pretendo deixar tudo articulado, como se fosse um boneco”, disse o modder. Alexandre gastou três mil horas ao todo construindo o robô, que vem acompanhado de uma metralhadora.

Homem de Ferro foi o casemod vencedor da Campus Party 2013. Neste ano, ele está de volta (TechTudo|Pedro Zambarda)Homem de Ferro foi o casemod vencedor da Campus Party 2012. Neste ano, ele está de volta (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

O Gundam não foi a única criação dele. Em 2012, Alexandre construiu uma carcaça do Homem de Ferro para seu computador, ganhando o concurso de casemods da Campus Party. O computador super-herói voltou ao evento. “Fiz o Homem de Ferro em dois anos, sem patrocínio algum”, explicou o campuseiro. Ao invés do ferro que foi usado no robô, o super-herói foi construído com fibra de vidro e plástico líquido. Ele custou cerca de R$ 5,5 mil.

Omar Majzoub fez uma modificação de computador mais barata e baseada em um filme. O modder construiu cenários do filme Scarface, que tem como protagonista o mafioso cubano Tony Montana, interpretado por Al Pacino. “Sempre gostei de filmes de máfia. Em 2012, eu fiz um case do Poderoso Chefão. Neste ano, quis fazer um computador nessa linha, com cores harmônicas”, disse Omar.

Casemod do Scarface é atraente para fãs de filmes de máfia (TechTudo|Pedro Zambarda)Casemod do Scarface é atraente para fãs de filmes de máfia (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

O casemod de Scarface demorou 10 meses para ser montado e custou R$ 2 mil na pintura e nas peças de madeira que incrementaram a máquina. Omar, que é comerciante em uma loja de variedades, faz mods há cinco anos e vem desde 2008 na Campus Party. “Fiz os casemods do Boneco Asssassino e de Lost, também”, completou o modder.

O personagem Tony Montana é o destaque do casemod (TechTudo|Pedro Zambarda)O personagem Tony Montana é o destaque do casemod (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Douglas Cunha é estudante e tem 23 anos. Em 9 meses de trabalho, ele fez um casemod baseado no game Call Of Duty: Black Ops II. “Gastei R$ 1,4 mil entre gabinete e material do mod. Gosto muito de jogos de tiro, por isso fiz”, disse Douglas. Todo o dinheiro investido foi dele, sem patrocínio. No ano anterior, na Campus Party 2012, ele fez um case baseado no herói Capitão América.

Para os fãs de tiro, há um casemod baseado no game Call of Duty: Black Ops II (TechTudo|Pedro Zambarda)Para os fãs de tiro, há um casemod baseado no game Call of Duty: Black Ops II (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Mario Viana trabalhava como voluntário na Campus Party 2008, o primeiro evento em São Paulo. Ao ver os casemods na feira, ele decidiu transformar isso em hobby e colocou até seu filho para participar. “Ele gostava muito de Homem-Aranha e gostava da cor verde. Falei para ele pensar em fazer um case com as coisas que ele curte”, explicou Mario, sobre o envolvimento de seu filho Rafael.

O casemod de Mario é vermelho com alguns detalhes em laranja. O gabinete possui uma pintura em forma de fogo e um rosto desenhado na parte frontal. Ele explicou que as partes internas do computador, próximas da placa mãe, estão pintadas de amarelo e revestidas por plástico laranja transparante, dando a sensação que estão brilhando. A base do computador tem diversos coolers, sendo que quatro são visíveis nas laterais. Ele gastou R$ 15 mil no aparelho.

O casemod vermelho com rosto vem ligado com três monitores (TechTudo|Pedro Zambarda)O casemod vermelho com rosto vem ligado com três monitores (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Rafael queria fazer um computador verde com o Homem-Aranha. Como essa não é a cor do aracnídeo, ele fez um casemod do Duende Verde. Um boneco do cabeça de teia com o uniforme negro está preso junto com a placa-mãe do computador. Foi investido R$ 10 mil para fazer o computador com a pintura do Duende.

Casemod baseado no vilão do Homem-Aranha, o Duende Verde (TechTudo|Pedro Zambarda)Casemod baseado no vilão do Homem-Aranha, o Duende Verde (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Débora Rodrigues trabalha como fotógrafa em uma produtora. Como hobby, ela decidiu seguir o marido e montar seu próprio casemod. Inspirada pelos Beatles, ela fez um gabinete colorido com pinturas psicodélicas do Fab Four. E colocou também o submarino do famoso álbum Yellow Submarine. “Eu gosto de Beatles, mas o que me inspirou mesmo a fazer a modificação foram as cores que eles usam, que são bem variadas”. Entre projeto e finalização do casemod, ela gastou entre R$ 3 mil e R$ 4 mil.

Para os fãs de Beatles, um casemod de Yellow Submarino (TechTudo|Pedro Zambarda)Para os fãs de Beatles, um casemod de Yellow Submarino (Foto:TechTudo/Pedro Zambarda)

O marido de Débora, Gabriel Andrade, faz mods há mais tempo e trabalha com sistemas operacionais de mainframe da IBM, além de atuar como cinegrafista. E ele leva seu hobby com casemods muito a sério.

Case com estilo de nave militar (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)Case com estilo de nave militar
(Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

“Gastei R$ 3 mil no modding e mais R$ 7 mil em hardware. O computador tem processador i7 da Intel, 24 GB de RAM, fonte de 1300 Watts da Cooler, gabinete Trooper da Cooler e um HD de 3 Terabytes”, explicou Gabriel sobre o gabinete que ele trouxe no evento. A modificação impressiona não só pelos componentes caros, mas também pelo design, que lembra um avião militar, com uma porta aberta para cima.

Brian Victor faz casemods desde 2008, mas só veio até a Campus Party em 2011. “Decidi, nesse ano, fazer um case baseado nos pixels do jogo Minecraft”, explicou o modder. O hardware do computador custou R$ 3 mil, já a carcaça e o case saíram por R$ 5 mil. Brian desembolsou pelo menos R$ 7 mil na brincadeira. Além dos casemods, ele trabalha em uma empresa de informática e e-commerce.

Um casemod baseado nos pixels de Minecraft (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)Um casemod baseado nos pixels de Minecraft (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)

Adriano Carvalho Ferreira é um dos poucos modders que não trouxe um casemod na Campus deste ano. O campuseiro veio com um computador de fábrica vermelho, chamado Phantom 410, que ele obteve antes do lançamento oficial em 2012. “Não havia nenhum à venda quando recebi esse computador. Ele veio direto de Hong Kong”, disse Adriano.

Phantom 410 é um computador raro que chegou na Campus Party antes do lançamento (Foto: TechTudo/Pedro Zambarda)Phantom 410 é um computador raro que chegou na
Campus Party antes do lançamento (Foto:
TechTudo/Pedro Zambarda)

Mesmo sem um mod em 2013, Adriano Ferreira disse que participa das competições de casemods desde a primeira Campus Party. “Em 2012, eu trouxe um case com óleo de cozinha dentro. O gabinete era transparente e o óleo refrigerava o computador por dentro, quase como acontece com um carro. No entanto, como óleo não conduz eletricidade, alguns componentes deixaram de funcionar depois de um tempo”, disse. Além de fazer modificações, Adriano diz que tem uma empresa de tecnologia.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Marcio Junior
    2013-02-03T11:39:03

    Parabéns pra essa galera ae!