Jogos de ação

19/02/2013 08h00 - Atualizado em 19/02/2013 08h00

Conheça a história de Crysis, o FPS que revolucionou o visual dos games

Felipe Vinha
por
Para o TechTudo

Com a chegada de Crysis 3, no PC, Xbox 360 e PS3, a produtora Crytek encerra sua trilogia sem fazer feio. A série se tornou conhecida por seus gráficos incríveis, mas também apresenta uma história muito criativa.

Crysis 3 chega para fechar a trilogia (Foto: Divulgação)Crysis 3 chega para fechar a trilogia (Foto: Divulgação)

Conheça um pouco mais da saga dos soldados equipados com armaduras especiais e seus armamentos altamente tecnológicos neste especial que preparamos. Mas vale o alerta: o texto pode conter spoilers, com informações importantes sobre a saga para quem ainda não jogou.

Crysis, o começo de tudo

Como já diziam na série Star Wars, “toda saga tem um início”, e foi em Crysis 1 que a Crytek resolveu surpreender o mundo. Primeiro ela revelou um jogo exclusivo para PC (que mais tarde seria relançado nos consoles) com gráficos de babar e que exigiam uma máquina muitíssimo potente para que pudessem ser conferidos ao máximo.

Crysis 1, onde tudo começou (Foto: Divulgação)Crysis 1, onde tudo começou (Foto: Divulgação)

O primeiro game começa de forma aparentemente simples, quando uma agente americana envia um pedido de socorro, após uma invasão das forças norte-coreanas na ilha na qual ela se encontra. Os Estados Unidos enviam uma equipe de soldados Nano Suit, que são roupas especiais com capacidades tecnológicas, altamente treinados para conter a ameaça e expulsar os invasores.

Com o tempo, o jogador é surpreendido com a presença de seres alienígenas na ilha, conhecidos apenas como Ceph. Com o ataque das criaturas, apenas três guerreiros aliados sobrevivem – Psycho, Nomad e Prophet, que seguem suas missões e passam por maus bocados ao longo do game.

No final, apenas Nomad e Psycho sobrevivem, resgatando a equipe americana da ilha e fugindo após tentar destruir os aliens com uma explosão. O problema é que a explosão deixou as criaturas mais fortes, o que fez com que elas se espalhassem para além do território onde estavam confinadas. Contudo, antes do jogo terminar, a dupla de sobreviventes descobre que Prophet ainda pode estar vivo e retornam para salvar o parceiro.

Crysis: Warhead, o jogo secundário

Antes de Crysis 2, a Crytek lançou uma “expansão” chamada Warhead, que funcionava sem o jogo base e podia ser aproveitada até com modo multiplayer. Trata-se de uma experiência mais simples de Crysis, onde o jogador controle apenas Psycho em uma missão solo, lutando contra aliens em território desconhecido.

Crysis: Warhead foi uma aventura paralela (Foto: Divulgação)Crysis: Warhead foi uma aventura paralela (Foto: Divulgação)

Apesar de ter feito muito sucesso entre os fãs, Warhead acaba sendo pouco lembrado quando se fala sobre a saga, justamente por ser um jogo com proposta mais básica e, assim, um pouco mais curto. Hoje ele é até mesmo vendido junto com Crysis 1 em algumas lojas, apesar de funcionar sozinho.

Crysis 2, três anos depois…

Crysis 2 se passa três anos depois do primeiro game e não explica muita coisa do que aconteceu com seus antigos protagonistas neste tempo, ao menos inicialmente. Tudo que sabemos é que Prophet agora está nas últimas e acaba se matando, mas antes disso ele passa sua Nanosuit para outro soldado, chamado de Alcatraz.

Em Crysis 2, o jogo muda de cenário (Foto: Divulgação)Em Crysis 2, o jogo muda de cenário (Foto: Divulgação)

Alcatraz descobre que Prophet estava sendo caçado por uma força policial chamada de CELL. Antes de morrer, o antigo herói pediu ao novato que resgatasse um cientista chamado Nathan Gould, que mais tarde se junta ao novo personagem na nova luta contra os Ceph. Outros aliados também surgem, como Jacob Hargreave, o criador da Nano Suit.

O mais interessante de Crysis 2 é sua mudança de cenário, já que o jogo agora se passa em Nova York, e não mais em uma ilha aparentemente deserta. Isso ajudou o game a provar que podia fazer gráficos ainda melhores, já que mostrar uma cidade realista não é uma missão muito simples, com todos os detalhes, prédios e muito mais personagens.

Ao final do game, Alcatraz acaba se deparando com memórias de Prophet, que estavam “escondidas” na Nano Suit, o que acaba bagunçando o seu DNA. Não fica muito claro, mas parece que Prophet acaba “vivendo por meio de Alcatraz”, mesmo após tirar sua própria vida, no início do jogo.

Crysis 3 tem o retorno de Prophet (Foto: Divulgação)Crysis 3 tem o retorno de Prophet (Foto: Divulgação)

Crysis 3, o que o futuro nos reserva?

Em Crysis 3, vemos o retorno de Prophet! Mas ele não estava morto? Era o que pensávamos, com o início de Crysis 2. Porém, o final do jogo anterior nos deu a dica que o antigo herói poderia voltar, de alguma forma, ainda que com outro corpo. O derradeiro título da trilogia vai colocar um fim no conflito entre humanidade e os Ceph, e também contra outras ameaças “menores”.

Daqui em diante, só a Crytek sabe o destino de Crysis. Com a história principal se encerrando no terceiro game, dificilmente teremos o retorno dos personagens centrais, como Prophet, Nomad ou Psycho, mas tudo pode acontecer no mundo dos games.

O que você acha da trilogia de Crysis?

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Ivan Araujo
    2015-01-31T16:06:20

    tinha q relançar o crysis war read pro ps3 e xbox 360 é muito bom contando a história palalela agontecento ao mesmo tempo do outrolado da ilha