Sistemas Operacionais

13/03/2013 12h30 - Atualizado em 13/03/2013 12h30

O mercado de computadores começa a atingir o limite de seu crescimento

Felipe Velloso
por
Para o TechTudo

A companhia de pesquisa IDC revelou que o crescimento do mercado de desktops parece finalmente estar perdendo velocidade. E a popularidade de tablets e smartphones aparece como a principal razão para este novo cenário.

Fábrica de PCs no Japão (Foto: Reprodução / The Guardian)Fábrica de PCs no Japão (Foto: Reprodução / The Guardian)

Segundo a IDC, a Microsoft deve perder cerca de US$ 3,3 bilhões pelos próximos 4 anos em vendas diretas, além de mais US$ 2,3 bilhões de lucro durante este mesmo período. Uma série de fatores diferentes estaria contribuindo para este problema.

Nos países desenvolvidos, a tendência de crescimento parece estar paralisada em períodos de quatro anos de duração. Este dado nos sugere que o desktop se tornou um mercado de substituição, isto é, os consumidores não veem mais necessidade de se atualizar sempre com o último computador de ponta, optando por esperar a sua máquina parar de funcionar ou dar problemas graves para trocá-la.

Além disso, dois fatores cruciais inferem nesta mudança de mercado: com o processamento em nuvem, cada vez mais, a vida útil dos computadores tem aumentado, reduzindo a necessidade de atualizá-los constantemente. O segundo fator é justamente a maior crise econômica das últimas décadas, vividas pela Europa e pela América do Norte, o que reduz o consumo demasiado de bens de luxo, fazendo com que os usuários mantenham seus velhos aparelhos.

A gigante Microsoft é uma das mais afetadas pela crise (Foto: Divulgação)A gigante Microsoft é uma das mais afetadas pela crise (Foto: Divulgação)

A esperança da Microsoft e de outros fabricantes repousava justamente nos mercados emergentes, como a América Latina e a Ásia, mas com o mundo cada vez mais globalizado, as aspirações de muitos consumidores destas regiões passaram a ser os tablets, smartphones e aparelhos similares, fazendo com que a estagnação do mercado de desktops se tornesse ainda mais forte.

Para completar o quadro negativo, temos o Windows 8, que tem movido números muito mais baixos do que o esperado.  De acordo com a Microsoft, os números são próximos aos do bem sucedido Windows 7. Entretanto, se levarmos em conta o mercado da época - que era cerca de 20% menor do que o atual -, percebemos um enfraquecimento considerável das vendas do software.

Claro que uma empresa que fatura cerca de 20 bilhões por ano, pode aguentar o período de recessão, mas resta saber quais serão os planos da Microsoft e de outros fabricantes de computadores para deter esta tendência negativa no mercado.

Via The Guardian.

Tem alguma dúvida sobre tecnologia? Pergunte no Fórum do TechTudo!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Fora Lei
    2013-03-13T19:00:30

    carros e cada dia temos mais lançamentos, afinal o que esse pessoal quer? acredito que querem destruir tudo e colocar a culpa em nós!!! SISTEMA CAPITALISTA QUEREMOS O SEU FIM.

  • Fora Lei
    2013-03-13T18:59:13

    A SOLUÇÃO É SIMPLES. Vão criar um vírus que tenha capacidade de queimar os computadores em grande escala, como foi na década de 90, pois o pessoal é preocupado em roubar dados, e logo vão ajudar as grandes fabricantes de PC's. Eu tenho um pc há 6 anos é atende a minha necessidade, não tenho motivos para mudar de máquina, afinal o mercado consumista está chegando ao seu máximo, pois muitas áreas estão reduzindo a sua produção devido a falta de consumo, em média todos os brasileiros já tem número de Tel, e ainda fazem chips, todos já tem celulares e não param de lançar, nossas ruas não aguentam