Internet

16/05/2013 18h54 - Atualizado em 17/05/2013 16h43

Criador da web elogia Marco Civil: 'Brasil se destaca por isso'

Gabriela Viana
por
Do WWW 2013

Tim Berners-Lee, o criador da Web, afirmou que o Marco Civil da Internet garantirá ao Brasil uma tremenda vantagem em relação aos demais países. De acordo com Lee, a iniciativa foi tomada de um ângulo positivo, já que observou-se primeiro a forma como os internautas navegavam na web. O tema foi debatido nesta quinta-feira (16), na 22º Conferência Internacional WWW, que acontece no Rio de Janeiro. Também esteve presente no debate o deputado Alessandro Molon (PT-RJ), relator do Projeto do Marco Civil da Internet.

Já seguiu o @TechTudo_oficial no Instagram?

Tim Berners-Lee, o criador da web, e o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) participaram do evento sobre a web no Rio de Janeiro  (Foto: TechTudo/Gabriela Viana)Tim Berners-Lee, o criador da web, e o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) participaram do evento sobre a web no Rio de Janeiro (Foto: TechTudo/Gabriela Viana)

Segundo o físico britânico, é fundamental, para o exercício da democracia, que a Internet seja livre. "Precisamos disso tanto quanto precisamos de uma imprensa livre. A web é o reflexo da sociedade. É por onde as pessoas se expressam. Se controlarmos isso vamos perder o ponto mais importante da democracia: o direito de expressão", disse.

Molon, que explicou os princípios básicos de seu projeto, fez coro com Lee. "Uma das características mais importantes da Internet é a liberdade. Queremos evitar qualquer controle do governo sobre isso. E esse é o maior desafio para quem quer se manter como democracia. Não queremos controlar o que as pessoas fazem online. Precisamos de regras que possibilitem o acesso fácil àqueles que usam a web para fins como o cibercrime. Essa é a proposta do Marco Civil".

Evento acontece ao longo da semana no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Flickr/NIC.br)Evento acontece ao longo da semana no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Flickr/NIC.br)

Ao discursar sobre a neutralidade da rede e a liberdade do internauta, Bernes-Lee reiterou a importância do projeto de Molon e afirmou que, em termos regulatórios, ainda não se pode comparar os países, uma vez que cada um conta com leis próprias, o que dificulta regulamentar, unicamente, a web.

"Os sistemas legais são muito diferentes e evoluíram em nortes diferentes. Fora isso, não se depende somente de uma lei regulatória, mas também do que dirão os provedores de Internet. É necessário um consenso. Mas também, por outro lado, há aqueles que não respeitam essas decisões tomadas em grupo. Por isso, precisamos de algo que 'fiscalize' a neutralidade da rede, em prol do usuário. O Brasil se destacou por isso, já que parte da perspectiva da questão é baseada nos diretos humanos", declarou.

O físico também falou sobre o desenvolvimento do "Web Index", um índice financeiro sobre o uso da Internet pelos mais variados países. De acordo com Lee, a ferramenta permite medir qual tipo de conteúdo os países emergentes acessam e de que forma o fazem. "Achamos importante este tipo de informação. Com isso, percebemos se o acesso à web é crescente em computadores ou dispositivos móveis, por exemplo".

Tim Berners-Lee, o criador da Internet no WWW 2013 no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Flickr/NIC.br)Tim Berners-Lee, o criador da web no WWW 2013
no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Flickr/NIC.br)

Por falar em dispositivos móveis, Lee se animou ao ser indagado sobre o Google Glass e o futuro da web. "Ainda não testei. Acho que a Internet, daqui a um tempo, será uma extensão do cérebro humano. Inclusive, já foram feitos testes deste nível. Uma vez, usaram um macaco e um robô a quilômetros de distância um do outro. Com vários fios conectados às cabeças de ambos, o macaco enviava funções, pelo cérebro, ao robô. Acho que os óculos são o início disso. Daqui a um tempo, estaremos controlando a web pelo que pensamos", disse.

O físico completou seu discurso, afirmando que essa forma de enxergar o futuro da web é sempre com os olhos - e pensamentos - voltados para o uso humano. "As pessoas que perderam membros, por exemplo, poderão ter suas próteses controladas pelo cérebro, como 'membros automáticos'. Tudo isso pela Internet. É algo incrível", decretou.

O WWW 13 acontece durante toda esta semana, no Rio de Janeiro. É a primeira vez que o evento é sediado na América Latina. E, para Tim Bernes-Lee, não poderia ter sido em um lugar melhor. "É um prazer voltar ao Brasil, ainda mais em tempos como estes, de extremo desenvolvimento com relação à Internet", disse. De acordo com o deputado Alessandro Molon, o Marco Civil não terá mais nada alterado em seu projeto, o que o leva a crer que, em breve, o PL deverá ser votado no Plenário.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Leonardo Santos
    2013-05-17T07:42:37

    Show de matéria.