Fabricantes

29/05/2013 15h09 - Atualizado em 29/05/2013 17h44

Europeus buscam inspiração em jogos brasileiros para superar crise

Pedro Zambarda
por
Para o TechTudo

Brasil e Rússia são os mercados de games com maior crescimento. A conclusão é de Martijn van Zwieten, fundador e diretor da empresa holandesa Kirin Media. O executivo e a pesquisadora da mesma companhia, Swenne Larissa Offerhaus, concederam uma entrevista exclusiva à nossa coluna Geração Gamer. Ambos falaram sobre as pesquisas que a empresa está fazendo a respeito do mercado brasileiro de games, para auxiliar desenvolvedores daqui e da Europa.

O Dutch Game Garden, a sede da Kirin Media na cidade holandesa de Utrecht (Foto: Divulgação)O Dutch Game Garden, a sede da Kirin Media na cidade holandesa de Utrecht (Foto: Divulgação)

A Kirin Media faz divulgação de novas desenvolvedoras de jogos digitais, trabalhos de marketing e de conteúdo. Seus criadores são fãs de games clássicos, como Super Mario Land e Fable.

“Há dois anos, eu entendi que as produtoras europeias de games estavam passando por problemas devido a uma falta de divulgação efetiva de seus trabalhos. Foi por isso que eu quis montar esse tipo de negócio", explicou o CEO. Antes da Kirin, Zwieten trabalhou em uma pequena empresa que fazia a distribuição de games da 505Games, da BlackBean e da Capcom para Bélgica, Holanda e Luxemburgo. Fã de Shadow of Colossus, ele começou a apreciar games quando tinha entre 4 e 5 anos de idade, assim que começou a aprender a tocar teclado.

Martijn van Zwieten trabalhou com a Capcom e decidiu criar sua empresa para ajudar desenvolvedores (Foto: Divulgação)Martijn van Zwieten (Foto: Divulgação)

A Capcom foi fundamental para que Martijn van Zwieten decidisse criar uma companhia para ajudar desenvolvedores de games. “Aquele era o meu primeiro trabalho na indústria de games e eu já lidei com um grande player como a Capcom. No entanto, eles mudaram de distribuidor, mas gostaram do meu trabalho e resolveram me chamar para cuidar dessa transição. Foi assim que eu tive a ideia de criar a minha própria empresa, ajudando tanto eles quanto seus novos parceiros comerciais”, diz.

 

O interesse pelos games do Brasil

Mas, afinal, por que a Kirin Media se interessaria pelos jogos brasileiros ou pelos desenvolvedores daqui? Quem responde essa pergunta é Swenne Larissa Offerhaus, que falou ainda da pesquisa que os europeus estão fazendo sobre o cenário de games no Brasil.

Swenne é filha de holandeses, mas nasceu na cidade de Holambra, no Brasil. No entanto, desde pequena, foi incentivada pela mãe a falar o idioma de sua família para não perder os laços com a Europa. “Eu a agradeço pelo esforço porque hoje eu tenho fluência no holandês e por isso tive a oportunidade de vir até Utrecht e ganhar experiência internacional”, disse a pesquisadora da Kirin.

Swenne Larissa Offerhaus pesquisa games brasileiros e portugueses para o mercado europeu (Foto: Divulgação)Swenne Larissa Offerhaus (Foto: Divulgação)

De acordo com as pesquisas de Swenne, existem empresas brasileiras que ainda não conseguiram projeção internacional por falta de contatos. Por esse motivo, ela quer estabelecer uma ponte entre os desenvolvedores brasileiros e os europeus, para divulgar os jogos em novos países. “Eu sou responsável pelas relações públicas no Brasil e em Portugal. Nossos clientes são empresas de games médias e grandes aqui na Europa e, por isso, a maior parte do meu trabalho é pesquisar artigos e reviews de novos jogos que criam tendências no mercado. Ou seja, procuro mapear as empresas que atuam no mercado de games brasileiro para mais tarde poder ajudar a incrementar a imagem de nosso país internacionalmente”, diz a especialista.

Oportunidades para desenvolvedores nacionais

“Existem desenvolvedores de games desconhecidos nos países emergentes, que podem despertar interesse em projetos no mundo todo. Temos dados para embasar isso, através de pesquisas da Distimo e Newzoo Reports. Entretanto, estou fazendo uma pesquisa diferente,  baseada no mapeamento de empresas e jornalistas para expandir nossa própria rede de contatos e ajudar essas pessoas”, disse Swenne Larissa Offerhaus.

Empresa europeia pesquisa desenvolvedores no Brasil (Foto: Reprodução) (Foto: Empresa europeia pesquisa desenvolvedores no Brasil (Foto: Reprodução))Empresa europeia pesquisa desenvolvedores no Brasil (Foto: Reprodução)

Iniciativas como a Kirin Media mostram que os novos criadores de jogos brasileiros podem, e devem, procurar parceiros internacionais para expandir projetos de games e aplicativos para fora de nosso país. E como as empresas da Europa vivem sob uma crise econômica, talentos de países emergentes são bem-vindos.

“A própria Holanda possui diversos desenvolvedores independentes, alguns com fama internacional, enquanto outros estão apenas começando. O que eu gosto dos indies é que eles podem sair do mainstream com mais facilidade do que os desenvolvedores ‘triple A’. Eles possuem, dentro de si, liberdade de experimentar e de inovar”, completa Martijn van Zwieten, sobre a grande virtude que os criadores de games brasileiros podem aproveitar para alcançar sucesso na indústria independente de grandes produções.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Romulo Gualberto
    2013-05-31T21:42:26

    Muito bom espero,que consigam.