26/06/2013 15h32 - Atualizado em 26/06/2013 17h44

SBGames 2013 trará para São Paulo discussões acadêmicas sobre games

Pedro Zambarda
por
Para o TechTudo

O Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital (SBGames) ocorrerá entre os dias 16 e 18 de outubro na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo. O evento tem caráter acadêmico e traz discussões acerca do desenvolvimento e do papel de jogos eletrônicos na sociedade. Para a coluna Geração Gamer desta semana, o TechTudo entrevistou duas das organizadoras do SBGames 2013, a professora Ivelise Fortim, responsável pela Trilha de discussões de Cultura nos Games, e a professora Pollyana Mustaro, que levou o evento até o Mackenzie.

SBGames 2013 (Foto: Divulgação)SBGames 2013 (Foto: Divulgação)

SBGames: a proposta do evento e as novidades para a edição de 2013

O simpósio ocorre desde 2001, é promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e está em sua XII edição. Segundo a professora Ivelise “o SBGames é o maior evento acadêmico de Games no Brasil". Na edição deste ano, além das atividades acadêmicas e do tradicional festival de jogos, haverá uma feira com expositores e várias atividades paralelas, como a iniciativa Criança em Jogo, que pretende descobrir, dentro do evento, a relação entre games, pais e professores no processo de educação das crianças.

Ivelise Fortim, organizadora da SBGames (Foto: Divulgação) (Foto: Ivelise Fortim, organizadora da SBGames (Foto: Divulgação))Ivelise Fortim (Foto: Divulgação)

Além de palestras e discussões como esta, o SBGames tem temas mais consolidados, segundo Pollyana: “O simpósio possui quatro Trilhas, como Arte & Design, Computação, Cultura e Indústria. Essas Trilhas recebem artigos completos e pôsteres, um festival de jogos independentes, tutoriais, mostra de arte, e neste ano, teremos um workshop de Realidade Virtual e Aumentada Aplicada a Games”.

O SBGames 2013 também terá a primeira edição do Consórcio Doutoral, voltado à discussão de dissertações e teses, focado no aspecto acadêmico do evento, que é atraente para professores e pesquisadores da área.

 


As pessoas por trás da SBGames

Pollyana Mustaro, responsável pelo simpósio neste ano, é uma gamer mais conservadora. “Jogo desde os 11 anos, quando ganhei um Odyssey, da Magnavox e da Philips. Depois, tive uma Atari e fui adquirindo os consoles mais modernos. Academicamente comecei a trabalhar com games em propostas de informática na educação em 1998, junto ao Ensino Médio”, explica a organizadora. Ela acredita no potencial de motivação que os games podem trazer no aprendizado escolar.

Fã de títulos como Marvel vs. Capcom 3, Journey, Little Big Planet, Onimusha, Ico, e Metal Gear, Pollyana diz ter preferência pelo PlayStation "não só pela parte gráfica, mas também por franquias como Metal Gear. Eu realmente gosto de games que possuam uma narrativa diferenciada ou propiciem uma experiência de ação focada”.

Pollyana Mustaro (Foto: Divulgação)Pollyana Mustaro (Foto: Divulgação)

Já Ivelise Fortim é uma jogadora completamente diferente de Pollyana Mustaro, menos hardcore. “Não tenho mesmo o perfil tradicional do gamer de console. Mas os games estiveram na minha vida desde sempre: aos 7 anos ganhei um Nintendo Game and Watch do Snoopy”, explica a organizadora da Trilha de Cultura. Ivelise foi jogadora de games tipo MUDs (Multiuser Dungeons) por muitos anos, e sua primeira pesquisa de games, em mestrado, foi sobre esse tema.

“Hoje tenho jogado e estudado Jogos Casuais e Sociais”, confessa a professora, que é psicóloga formada. E ela completa: “Meu interesse agora é nas contribuições que a psicologia pode dar ao desenvolvedor de games, principalmente com a teoria de Carl Jung, que fala sobre os arquétipos. Tenho trabalhado em como os jogos podem ter personagens melhores e mais bem construídos”. Ivelise também investiga e pesquisa um tema que interessa às feministas, que é o tema da mulher nos games, seja enquanto jogadoras ou representações como personagens.

O papel das ciências humanas na criação de jogos

As ciências humanas como literatura, filosofia, psicologia, sociologia e comunicação podem ser utilizadas em jogos como repertórios capazes de enriquecer a experiência proporcionada pelo game. Sendo também uma forma eficiente e sutil de passar conhecimentos enquanto o jogador está concentrado em cada etapa da diversão eletrônica. Ivelise e Pollyana explicaram algumas utilidades dessas ciências na criação de novos games.

“Quando se pensa em design de jogos para crianças, por exemplo, é necessário o conhecimento das fases do desenvolvimento infantil. Caso contrário, você pode construir um jogo pensando em uma faixa etária que não tem capacidade de jogar o que você produziu”, explica Ivelise, ressaltando a importância da psicologia da criança em games educativos.

Pollyana lembrou outro aspecto interessante da aplicação destas ciências nos games: “Elas podem apresentar aspectos diferenciados e mesmo propiciar o desenvolvimento de ferramentas que possam contribuir para a análise de games existentes”. Ou seja, segundo a organizadora da SBGames, os jogos também podem gerar discussões na literatura, filosofia ou sociologia, por exemplo, sendo objetos de estudos mais aprofundados sobre suas potencialidades e impactos nos jogadores e na sociedade em si. O próprio encontro entre áreas diferentes com os games fundamenta sua crescente importância na sociedade.

Confira nossa lista de download de jogos educativos.

Um olhar crítico em relação ao mercado brasileiro de jogos

Ivelise Fortim e Pollyana Mustaro não respondem por todos os organizadores do SBGames, mas oferecem visões interessantes sobre o mercado brasileiro de games. “Estamos crescendo e nos desenvolvendo. Temos muitos designers talentosos, mas ainda temos muito o que caminhar com relação a profissionalização das empresas aqui”, diz Ivelise.

SBGames 2013 receberá trabalhos e artigos até julho (Foto: Divulgação) (Foto: SBGames 2013 receberá trabalhos e artigos até julho (Foto: Divulgação))SBGames 2013 receberá trabalhos e artigos até julho (Foto: Divulgação)

Pollyana completa a visão otimista de Ivelise: “O Brasil possui desenvolvedores criativos e profissionais competentes que desenvolvem atividades aqui no nosso páis ou mesmo no exterior”. Ou seja, os talentos em jogos digitais também se destacam fora do Brasil e podem complementar seus trabalhos com conhecimentos de outras áreas, como a filosofia, a psicologia e as ciências humanas.

Além das abordagem acadêmica, o SBGames 2013 trará discussões sobre questões práticas da indústria de jogos. Confira no vídeo abaixo um resumo do que será apresentado sobre o tema:


De qual jogo de videogame você mais sente saudade da sua infância? Compartilhe sua opinião com nossa comunidade de gamers.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Sandra Araujo
    2013-06-26T16:58:26

    Muito boa a divulgação desse Simpósio, bastante estimulante a informação sobre o conteúdo das propostas a serem apresentadas.