Internet

14/08/2013 07h35 - Atualizado em 14/08/2013 07h35

Confira dez sites brasileiros que foram 'enterrados'

Dário Coutinho
por
Para o TechTudo

Lembrar do início da Internet, ainda sem o Google e outros inúmeros sites de buscas, parece estranho, mas foi assim que tudo começou. Páginas como Cadê?, Zaz, Aol e outras eram bem populares entre usuários que ainda usavam um modem de conexão discada para acessar a Internet e guardavam arquivos em disquetes de 3,5 polegadas.

Graças a vários fatores, entre eles a memorável bolha da Internet, ocorrida em março de 2000, muitas dessas páginas deixaram de existir ou acabaram incorporadas por outros sites, perdendo assim, grande parte de sua relevância. Confira os 10 sites brasileiros que marcaram a história da web, foram encerrados nos últimos anos, mas deixaram saudades.

Já seguiu o @TechTudo_oficial no Instagram?

1) Cadê? (cade.com.br)

Site Cadê? era o farol da Internet no Brasil nos anos 90 (Foto: Reprodução / WebArchive)Site Cadê? era o farol da Internet no Brasil nos anos 90 (Foto: Reprodução /WebArchive)

O site Cadê?, lançado em 1996, era um dos destinos mais procurados para buscar novidades. O site de buscas brasileiro foi o primeiro do setor no país e apresentava uma interface muito semelhante à de sites como Yahoo!. Mas, com o surgimento do Google em 1998, o Cadê? caiu em acessos até ser comprado pelo Yahoo! em 2002 e sair do ar.

Um dos motivos que levou o Cadê? a sair do mercado foi a falta de estrutura para competir com o milagroso algoritmo de buscas do Google.com. Para se ter uma ideia de como a busca do Google era “milagrosa”, boa parte do conteúdo dos portais de busca da época, inclusive do Cadê, eram feito por pessoas e não por software como propôs o novo rival.

2) ZAZ (zaz.com.br)

Zaz, um dos primeiros portais de Internet no Brasil (Foto: Reprodução / WebArchive)Zaz, um dos primeiros portais de conteúdo na Internet no Brasil (Foto: Reprodução / WebArchive)

O Zaz foi um dos primeiros portais de conteúdo amplo da Internet brasileira. O site, criado pela união da Nutecnet e da RBS TV, durou de 1996 até 2000, quando foi comprado pelo grupo Telefônica. Entre os destaques do Zaz estavam web novelas, ensaios sensuais e salas de bate-papo. O grande destaque era a produção de vídeo, uma novidade para época.

O Zaz tornou-se em pouco tempo referência no mercado, O site também era um provedor de acesso, oferecendo Internet discada. Era um dos primeiros portais de notícias confiável e estável e era o destino certo de brasileiros procurando por diversão e informação na web.

3) BrasNET (brasnet.org)

Conversar em tempo real sempre foi um dos principais usos da Web e nesse quesito, o IRC era pioneiro (Foto: Reprodução /  Kyrux Wordpress)Conversar em tempo real sempre foi um dos principais usos da web e nesse quesito, o IRC era pioneiro (Foto: Reprodução/Kyrux Wordpress)

A BrasNEt não era um portal, mas sim um site que administrava uma das principais redes de IRC Brasileira. O IRC, Internet Relay Chat, é um protocolo de comunicação para web que utiliza apenas textos, através de um programa cliente de IRC. Por meio desse programa, mais comumente o mIRC, usuários entravam com comandos para acessar salas de bate-papo. Em geral os chats eram divididos por cidades e a boa administração da rede aliada e criação de apelidos únicos faziam com que houvesse muito engajamento dos visitantes.

Por ser bastante rudimentar, o IRC permita conversas em texto em tempo real entre usuários da rede com um tempo de resposta muito rápido. Era algo muito útil para uma época em que a velocidade de conexão média era de apenas 33 kbps.

As redes de IRC tiveram seu auge antes da virada do milênio e começaram a decair por voltar de 2003, quando mensageiros instantâneos como MSN Messenger tornaram-se bastante populares. A chegada do Orkut no Brasil decretou o fim da Brasnet. Mas o protocolo IRC ainda existe. Frente a produtos e sites que visaram o lucro via publicidade, a Brasnet não possuía qualquer tipo de monetização, era um serviço gratuito e mantido por alguns usuários através de doações.

4) HpG (hpg.com.br)

Portal hpG oferecia um ambiente fácil para criação de páginas em HTML (Foto: Reprodução / WebArchive)Portal hpG oferecia um ambiente fácil para criação de páginas em HTML (Foto: Reprodução / WebArchive)

HpG ou Home Page Grátis era um site que oferecia aos usuários uma maneira simples e fácil de criar sua própria página na Internet. Criado em 2000, foi um dos primeiros sites brasileiros a registrar um sucesso “incomum”. O domínio e os sites que ficavam sob ele, ultrapassavam em acesso, no Brasil, portais de gigantes como Yahoo! e Microsoft.

Bastante acessado, principalmente por entusiastas no ramo da computação que desejavam deixar suas pegadas na web, o HpG foi o “professor” de muita gente que queria aprender a linguagem HTML. Foi também, um dos primeiros sites da web brasileira a "dar voz ao usuário", permitindo que ele publicasse seu próprio conteúdo na rede.

Por volta de 2001 o site se tornou tão badalado e rentável que várias gigantes do mercado desejavam comprá-lo. O sucesso do HpG era devida a combinação de serviço gratuito com propagandas que eram inseridas automaticamente quando uma página de um usuário era publicada na web. Comprado pelo IG, o HpG foi perdendo relevância graças a popularidade de serviços similares como Blogger (Google) e WordPress. Em 2011 o HPG foi desativado.

5) AOL (Aol.com.br)

Quem já recebeu um CD da América Online (Foto: Reprodução / Não Salvo)Quem já recebeu um CD da América Online? (Foto: Reprodução / Não Salvo)

A AOL, America Online, chegou ao Brasil em 1999 como provedor de Internet e portal de acesso a web. Mesmo com a massiva publicidade, grande parte dela em forma de CDs de instalação, a AOL não conseguiu emplacar por aqui e em outros países da América Latinha e com isso, amargou um prejuízo de US$ 182 milhões gastos no investimento local.

Nascida junto com a web, ainda no começo da década de 90, a AOL foi um dos primeiros provedores de acesso nos Estados Unidos. Chegou a comprar a Netscape e a criadora do ICQ, até que devido a enormes prejuízos foi incorporada pela Warner em 2000.

6) Starmedia (starmedia.com.br) , Geocities e Zeek!

O portal Starmedia tinha foco no público da América Latina (Foto: Reprodução / WebArchive)O portal Starmedia tinha foco no público da América Latina (Foto: Reprodução / WebArchive)

O Starmedia começou como um portal latino em 1996 e um ano depois desembarcou no Brasil. O portal chegou a oferecer e-mail gratuito, salas de bate-papo e toda tipo de entretenimento que a web podia oferecer na época. Um dos principais serviços do Starmedia e que se destacava dos outros portais era o Geocities. Nele, usuários poderiam criar suas próprias páginas na web e enviá-las via FTP. Era praticamente como ter contratado um serviço de hospedagem, mas os usuários não pagavam nada e a Starmedia lucrava com publicidade embutida nas páginas através de scripts e pop-ups exibidos aos leitores.

Geocities permitia criar páginas web (Foto: Reprodução / Ascii textfiles)Geocities permitia criar páginas web (Foto: Reprodução / Ascii textfiles)

Em um conceito baseado em cidades, o Geocities foi o precursor das comunidades. Tornou-se tão popular que o Yahoo! comprou o serviço em 1999. Com o tempo, o Geocities não conseguiu evoluir da mesma maneira que os concorrentes e, assim como HpG, foi desativado.

O capítulo do Starmedia no Brasil foi grande, mas por volta de 2000, no auge da bolha das “pontocom”, a empresa demitiu 125 funcionários do seu escritório brasileiro e fechou vários sites como o popular Zeek!, voltado para o público jovem. Em novembro de 2001 a Starmedia encerrou suas operações no Brasil. A empresa latina continua trabalhando até hoje, mas não possui nenhuma página voltada para o público brasileiro.

- Canalweb (canalweb.com.br)

Canal Web tinha conteúdo de qualidade revistas famosas (Foto: Reprodução / WebArchive)Canal Web tinha conteúdo de qualidade revistas famosas (Foto: Reprodução / WebArchive)

Outro site que oferecia vários serviços, o Canal Web se destacava por seu layout, bem mais limpo que o da maioria dos portais da época. Era também uma das poucas páginas a suportar resoluções widescreen.

No Canal Web, os leitores encontravam revistas como Internet BR e a Internet Business. O site ainda possuía fóruns e salas de chat, mas se destacava pela produção de um conteúdo de qualidade, voltado a serviços que enriquecessem a experiência do usuário na rede, como tutoriais dicas e além de muitos artigos técnicos. Era também uma fonte de informações.

8) Zipnet (Zip.net)

Zip.Net criou o popular serviço Zipmail (Foto: Reprodução / WebArchive)Zip.Net criou o popular serviço Zipmail (Foto: Reprodução / WebArchive)

Criador do popular e-mail Zipmail (que permanece ativo até hoje) o site Zip.net tinha muitos serviços gratuitos e informações atualizadas em tempo real. Foi um dos principais portais no Brasil, concorrendo com o Zaz. Comprado pelo UOL em fevereiro de 2001 em um acordo cujo valor não foi revelado, o site foi perdendo vários do seus serviços um após o outro.

Zipchat, Ziptravel, Zipshop e muitos outros serviços foram encerrados. O único que permaneceu até hoje é o Zipmail.

9) iBazar (ibazar.com.br)

iBazar foi um importante site de leilões, até ser adquirido pelo eBay (Foto: Reprodução / WebArchive)iBazar foi um importante site de leilões, até ser adquirido pelo eBay (Foto: Reprodução/WebArchive)

O site de leilões iBazar chegou no Brasil em fevereiro de 2000, logo após ter aberto o seu capital na Bolsa de Valores do país de origem, França. Foi o primeiro site de leilões no Brasil a não cobrar comissão de vendas. A divulgação foi ampla, contando com um comercial de TV estrelado pela atriz Nair Bello. O site chegou até mais de 450 mil usuários cadastrados.

Mesmo com a ampla divulgação e potencial retorno, um ano depois do seu lançamento, em 2001, o eBay comprava a matriz francesa do iBazar. Mas o modelo de não cobrar pelas transações e contar apenas com publicidade para monetização não teve sucesso no Brasil. O eBay, ainda em 2001, vende o iBazar para o Mercalivre, em troca de 19,5% das ações.

10) CLICK21 (Click21.com.br)

Click 21Click 21: página foi uma das últimas a promover a conexão discada (Foto: Reprodução/WebArchive)

Sendo um dos últimos provedores de conexão discada de longa distância no Brasil, o Click 21 chegou tarde (2003), mas era muito utilizado em lugares onde a banda larga ainda não havia chegado. Criado pela Embratel, o serviço se destacava por oferecer conexão de Internet discada de qualquer lugar do Brasil com preços do pulso local.

Não era necessário pagar para usar o Click21, e os assinantes do serviço podiam trocar prontos por prêmios. Entretanto, era previsível que o sucesso duraria pouco. Com a adesão cada vez maior da banda larga e a chegada da rede móvel 3G, a Internet discada no Brasil virou algo jurássico, permanecendo apenas na memória os “barulhinhos” do modem.

Tem dúvidas sobre tecnologia? Comente no Fórum do TechTudo!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Joao Cardoso
    2013-08-21T11:48:47  

    América Latinha? HAHAAHAHAHA

    recentes

    populares

    • Joao Cardoso
      2013-08-21T11:48:47  

      Muito obrigado por avisar.