Jogos de RPG

29/10/2013 17h40 - Atualizado em 29/10/2013 18h14

'Dark Souls 2 não será mais fácil', conta gerente da Namco Brasil

Leonardo Avila
por
Para o TechTudo

Dark Souls 2, que chega em março para PS3, Xbox 360 e PC, está em uma posição complicada: sem o diretor Hidetaka Miyazaki, o jogo, que ficou conhecido como um dos mais desafiantes jogos desta geração, adotou o objetivo de também tornar acessíveis alguns elementos que tornavam a experiência original um pouco truncada. Missão notável, mas difícil.

Dark Souls 2 (Foto: Divulgação) (Foto: Dark Souls 2 (Foto: Divulgação))Dark Souls 2 será lançado em março de 2014 e promete ser mais difícil que o primeiro (Foto: Divulgação)

O TechTudo teve a oportunidade de conversar com Denny Chiu, gerente sênior de marketing e comunicação da Namco Bandai, durante a Brasil Game Show 2013. Chiu fala sobre o histórico da série Souls, como está sendo vender a ideia do jogo e como a Namco vê o público brasileiro.

TechTudo: Como você avaliam a trajetória da série Dark Souls?

Denny Chiu: Há duas maneiras de olhar para o que temos em mãos: muito felizes, e muito animados. Estamos felizes porque os dois jogos estão se dando bem, e ressoaram com uma comunidade numerosa. Animados, porque isso nos traz muita energia e inspiração para melhorar o game e criar um novo game para este público que já nos acompanha.

TT: Namco Bandai está trabalhando em distribuir o jogo desde Dark Souls – Demon’s Souls que foi feito em parceria com a Sony Computer Entertainment. O que levou vocês a botar fé no projeto?

DC: Acho que foi no momento que soubemos como a From Software é talentosa, tanto em desenvolvimento de jogo quanto de enredo – além da paixão que eles investem em cada jogo que faz. Foi o que nos fez fortalecer os laços com a equipe, e eles obtiveram uma base de fãs tão entusiástica, que é difícil não imaginar que essa parceria é perfeita para nós.

O combate de Dark Souls 2 promete ser mais fluido (Foto: Divulgação) (Foto: O combate de Dark Souls 2 promete ser mais fluido (Foto: Divulgação))O combate de Dark Souls 2 promete ser mais fluido (Foto: Divulgação)

TT: Dark Souls é uma série em uma posição complicada, porque você o vende como o jogo mais difícil de todos os tempos, mas ao mesmo tempo você tem essa mudança na diretoria da From Software, e eles estão criando um produto que seja mais acessível. Parece contraditório, mas não é. Como a Namco está convivendo com essa mudança de hábito da série? Como está sendo passar a mensagem de Dark Souls 2?

DC: Você comentou nosso anúncio sobre acessibilidade, e isso certamente fez nossos fãs ficarem um pouco inquietos, e sim, você tem razão, estivemos falando simultaneamente sobre este ser o jogo mais difícil do mundo, mas as duas palavras (acessível e difícil) meio que não se dão bem uma com a outra. O que quisemos dizer com acessibilidade é que o jogo é mais fluído, estamos descomplicando alguns processos do jogo de maneira que você chegou rápido e de maneira melhor ao conteúdo desafiante do nosso game. Então temos melhorado navegação, animações de personagem, como apresentamos o cenário, itens tem sido retrabalhados para funcionarem de forma mais, entre aspas, acessível. Mas o jogo de verdade, os chefes, as invasões, todas estas coisas que adicionam à dificuldade, estão sendo preservadas, senão ampliadas.

 

A partir das respostas que conseguimos com o beta fechado este mês, percebemos que nossos jogadores também sentiram que esse lance de “acessibilidade” foi um pouco exagerado. O nosso beta continua desafiador. Acho que, em parte, tivemos um problema de ruído quando tentamos falar sobre o jogo. Mas em junho, na E3, apresentamos a demo do Mirror Knight, e quem jogou disse “é, isso definitivamente não está ficando mais fácil”. Meses passaram e agora tivemos essa demo aberta para jornalistas e fãs, e acho que podemos confirmar que está difícil. É parte do DNA do jogo, e isso não vai embora. Mas muitas pessoas ainda estão comentando que é uma experiência mais fluida. E é essa justamente a mensagem que queríamos passa deste o início.

TT: Lembro que na apresentação que vocês fizeram em junho, o primeiro slide era, em resumo, um grande anúncio de “ei, estamos sendo mais acessíveis, mas não mais fáceis!” (risos). É engraçado, e meio complicado.

DC: Foi uma experiência de aprendizado para nós. Quando fizemos o anúncio, não tínhamos ideia que a resposta da comunidade seria tão poderosa, porque, quando a gente está mergulhado na publisher, trabalhando com o time, a gente sabe o que eles estão fazendo. Nós sabemos do objetivo deles. Mas ao comunicar e usar a palavra “acessibilidade”, tivemos um retorno bom e ruim. Bom porque isso mostra que temos muitos fãs por aí, mas ruim porque podemos ter errado a mão e deixado eles nervosos.

O Dark Souls 2 foi uma das novidades apresentadas na conferência da Microsoft (Foto: Reprodução)O Dark Souls 2 é um dos jogos mais aguardados para o começo de 2014 (Foto: Reprodução)

TT: A Namco Bandai em particular está com um portfólio numeroso para esse fim de geração. Algum frio na barriga com a transição de consoles?

DC: Na verdade, pra gente, é um baita momento! Tem sim uma nova leva de plataformas chegando, mas estamos trazendo jogos em um período que é o pico destes hardwares. O que isso permite é que podemos continuar a atender o mais amplo público ao mesmo tempo que estamos no nosso pico, inclusive em habilidades de desenvolvimento. É uma boa combinação.

TT: E nesse momento, como a Namco vê o Brasil? É um território interessante?

DC: Definitivamente. Essa é minha quarta vez no Brasil em um ano e meio, isso é um sinal. Certamente é uma prioridade para a empresa estabelecer a marca aqui. Garantir que vocês consigam acesso aos nossos jogos. Antes deste ano, trazíamos jogos aqui e só localizávamos as embalagens e agora, claro, fazemos um trabalho mais completo, com legendagem e, em alguns casos, menus completamente em língua nativa. Enquanto fortalecemos nossa presença aqui, nossa preocupação principal é garantir que nosso conteúdo chegue aqui devidamente localizado.

TT: O que vocês vão fazer para repetir a difícil mecânica de Curse de Dark Souls (uma doença que divide sua vida pela metade permanentemente e cumulativamente até você achar o medicamento adequado)? Há algo tão desafiador que o time está trabalhando?

DC: Isso é algo que vocês vão ter que descobrir por conta própria. Mas, meu amigo, a gente ainda tem seis meses. Podemos inventar qualquer coisa. Qualquer coisa!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Eduardo Malburg
    2014-01-17T17:19:35

    Melhor enredo, sem aquele lenga-lenga de história digerida... Quem quer entender a história, tem que pensar muito, pegar todos os itens e jogar as 7 vezes pra tirar as próprias conclusões e desenvolver seu próprio enredo com base nas experiências. Mal posso esperar! Voltei a jogar o Souls 1 ontem, e ontem mesmo zerei a primeira vez... hahah!

  • Lucio Burgos
    2013-11-01T14:41:57

    Pra min o jogo mais dificil é o jogo mais dificil do mundo 2 haha

  • Bruno Luz
    2013-10-30T10:43:44

    Melhor RPG já feito... Tenho dito.

  • Thiago Souza
    2013-10-30T07:59:35

    Quem nunca jogou Demon's Souls e Dark Souls não sabe o que a definição de "difícil" em um game! Abraço e fiquem com Deus!

  • Felipe Moraes
    2013-10-29T18:41:42

    Ansioso por este Dark Souls 2, pare ser épico.