Jogos de ação

27/10/2013 11h17 - Atualizado em 27/10/2013 18h27

Call of Duty Ghosts: produtor fala sobre Riley e versões para Xbox One e PS4

Renato Bazan
por
Da Brasil Game Show

Call of Duty: Ghost será o próximo título de uma das franquias FPS mais populares de todos os tempos. O título será lançado no dia 5 de novembro para Xbox 360, PlayStation 3 e PCs. Chance Glasco é especialista em animação de armas para a Infinity Ward e responsável pelo comportamento de todo o arsenal da série desde o primeiro jogo. Em entrevista para o TechTudo, o produtor contou detalhes sobre o game. Confira.

Entrevista com Chance Glasco; especialista em animação de armas para a Infinity Ward fez Call of Duty: Ghosts (Foto: Renato Bazan )Chance Glasco; animador de armas na Infinity Ward fez Call of Duty: Ghosts (Foto: Renato Bazan )

Além dos pormenores técnicos, Glasco comentou sobre sua experiência como veterano da equipe, os desafios de passar um dos jogos mais vendidos do mundo para a próxima geração e sobre a surpreendente opção pela inclusão de um cachorro na aventura do game.

Glasco comenta ainda sobre a existência de cursos universitários voltados à criação de jogos, mas bate o pé sobre o mercado de trabalho. "Quem acha que basta entrar num curso de games para se tornar um membro da indústria vai acabar decepcionado", disse.

Call of Duty: Ghosts será lando no Brasil no dia 5 de novembro para PC, Xbox 360 e PS3, totalmente em português. Para consoles de próxima geração porém, ainda não há data fixa.

Revelado o multiplayer de Call of Duty: Ghosts (Foto: Reprodução) (Foto: Revelado o multiplayer de Call of Duty: Ghosts (Foto: Reprodução))Revelado o multiplayer de Call of Duty: Ghosts (Foto: Reprodução)

TechTudo: Nos conte um pouco sobre o seu trabalho na Infinity Ward.

Chance Glasco: Sou um animador, majoritariamente especializado em fazer as animações em primeira pessoa para as armas. Toda vez que o jogador estiver uma arma em mãos, na sua frente, existe uma boa chance de ter sido o responsável por sua animação.

TT: Você trabalhou em muitos jogos de tiro em primeira pessoa importantes. "Medal of Honor: Allied Assault", toda a linha "Call of Duty, Modern Warfare" ... Como foi essa jornada?

Glasco: Foi interessante. Depois do meu primeiro jogo, que não foi "Call of Duty, Modern Warfare" foi a mudança mais emocionante para nós, porque mudou o foco da II Guerra Mundial para tempos modernos. Fora isso, "Ghosts" é o passo mais importante para a franquia (com participação da Infinity Ward) desde "Modern Warfare". Foi incrível ver um time pequeno, de 22 pessoas, crescer até as centenas de pessoas que temos agora. Há tanta gente que joga nossos games agora, isso é loucura. São tantas garotas, tantos fãs ...

TT: Mas como foi o trabalho? Como vocês se relacionavam com o jogo que estavam fazendo? As experiências de fazer o primeiro "Call of Duty" e esse devem ter sido diferentes.

Glasco: Para o Ghosts, a gente tem que pensar em mais consoles, porque tem a próxima geração vindo aí. O que tivemos que fazer foi criar um jogo de qualidade super alta que pudesse ser exportado para todas as plataformas. A gente cria os materiais com qualidade de cinema, texturas, imagens e modelos muito pesados - aí pegamos o Xbox 360, por exemplo, que não aguenta esses arquivos, e reduzimos tudo para que sirva. Acho que a maior diferença agora é que temos que criar uma engenharia que sirva para todos os consoles.

Call of Duty: Ghosts (Foto: Divulgação) (Foto: Call of Duty: Ghosts (Foto: Divulgação))Call of Duty: Ghosts (Foto: Divulgação)

TT: O processo de desenvolvimento mudou?

Eu não diria que o processo de criação mudou muito. Para mim, é praticamente a mesma coisa ... A gente tem novas ferramentas, novas programações, novos truques, mas programadores ainda programam, animadores ainda animam, eu ainda faço minha parte a 30 quadros por segundo, como eu fazia no primeiro "Call of Duty".

Muito do trabalho não muda, só incorpora novos elementos. Se você for um programador, ainda fará os códigos, mas em vez de usar bump mapping, vai usar displacement maps ou Sub-Ds. No meu caso, houve uma mudança na escolha das armas, mas toda arma funciona mais ou menos da mesma forma. Eu não posso dizer que minha rotina mudou muito, tirando o uso de novas ferramentas, que tornaram as tarefas mais fáceis.

TT: Sobre o "Ghosts". Ele vai se relacionar de qualquer forma aos outros "Call of Duty"?

Glasco: Não. É um mundo novo, com novos personagens. Existem algumas influências. Ainda é um jogo da (Infinity) Ward, vocês verão algumas similaridades nas mecânicas. Mas, o mundo do jogo é novo. A maior diferença é entre essa e a próxima geração. A gente queria fazer tanto no Xbox 360 e no PS3, mas não podíamos. Manter o jogo a 60 quadros por segundo e ter efeitos arrojados ao mesmo tempo era inviável. Agora, com os novos consoles, isso é possível, então as maiores mudanças virão nesse sentido. No final, ainda é um "Call of Duty", entende? É muito fluido, você não terá que reaprender a jogar.

Call of Duty: Ghosts marca a aposta da indústria no que vem dando certo (Foto: forum.98ia.com) (Foto: Call of Duty: Ghosts marca a aposta da indústria no que vem dando certo (Foto: forum.98ia.com))Call of Duty: Ghosts marca a aposta da indústria no que vem dando certo (Foto: Divulgação)

TT: Falando especificamente na parte técnica, quais são as maiores vantagens de trabalhar com a próxima geração? O que vocês podem fazer agora que já não podiam fazer antes?

Glasco: A maior vantagem, que todos os jogadores verão, é o conjunto de melhorias visuais, mas o que eu mais gosto é a incorporação da tecnologia de sub-divisão [de polígonos], ou "Sub-D". Todo personagem é feito de polígonos e, tradicionalmente, quando você se aproxima de um objeto em um jogo, ele começa a ficar mais poligonal, mais chapado. O que a Sub-D faz é pegar um polígono e dividí-lo em três, fazendo uma média que o torne mais natural, então quando você se aproxima de uma arma, ela permanece arredondada. Faz tudo parecer mais orgânico, mais natural. Nós temos novidades como "mapas de deslocamento": a gente os coloca sobre superfícies para que a luz do ambiente reflita de forma inteligente, dando um efeito 3D a ela. Temos melhorias em áudio, com a reverberação do som se comportando de forma diferente de acordo com o material das superfícies. Se um som atinge uma parede de concreto, vai soar diferente do que se bater em um sofá de couro, muito mais chapado e alto. A história é obviamente algo que não é limitado pela tecnologia.

TT: Uma das maiores inovações em "Call of Duty: Ghosts" é a inclusão de um cachorro parceiro do jogador. Como vocês chegaram à idéia de incluí-lo no jogo?

Glasco: Riley é o nome do cachorro. A razão pela qual ele será um sucesso é porque as pessoas estão emocionalmente conectadas com cachorro. Nos videogames, a gente retrata humanos o tempo, mas cachorros... a gente tem um aqui e outro ali. Depois dos humanos, qual é a nossa conexão mais próxima? Provavelmente os cachorros, mais do que tudo. Gatos? Não há gatos militares. Mas trabalhar com cachorros, e capturar seus movimentos, colocá-los em posição, fazê-los usar aquela roupa apertada, cercada de refletores, fazê-los andar pra lá e pra cá... cachorros não aceitam ordens, não recebem dinheiro... No final, acabou havendo uma mistura entre movimentos capturados e feito pelo computador. Foi um desafio, mas muito divertido.

TT: Como vocês buscam inovar seus jogos neste momento, em que tantos concorrentes tentam se destacar?

Glasco: Existe um equilíbrio interessante entre fazer os fãs felizes e dar a eles o que querem - inovando, mas não a ponto de remover tudo o que eles gostam. Se mudássemos tudo, completamente, nós irritaríamos milhões de pessoas. A estratégia é manter o centro da jogabilidade intacto enquanto inovamos ao seu redor, sem que a consistência seja perdida. Novas mecânicas que complementam as antigas, sem tornar "Call of Duty" algo que cairía em um gênero diferente.

Riley, o cachorro de Call of Duty: Ghosts (Foto: Reprodução)Riley, o cachorro de Call of Duty: Ghosts (Foto: Reprodução)

TT: Olhando seu currículo, é possível ver que sua formação na escola de games Full Sail. O quão importante foi ter passado pela educação formal dedicada aos games?

Glasco: Eu realmente gostei da Full Sail, mas eles basicamente te dão as ferramentas para fazer o que for necessário, como um artista. Mas o seu sucesso, seja na animação ou na programação, depende de quanto você se dedica. Você não pode simplesmente ir a uma escola e pegar um pedaço de papel em que está escrito: "Eu tenho um diploma", precisa realmente se esforçar e aplicar as coisas que você aprendeu até que fique bom naquilo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Jocaju
    2013-10-27T18:02:31  

    Tem uns rumores ai que o COD Ghosts and Battlefield 4 roda a 720p no Xbox One e 1080p (full HD) no PS4.

    recentes

    populares

    • Jocaju
      2013-10-27T18:02:31  

      Quem liga pra gráficos ?? Sonic de Mega Drive pões os dois no chinelo kkkkkk

    recentes

    populares

    • Jocaju
      2013-10-27T18:02:31  

      Rumores são que no Xbox One o COD vai rodar em 720p, no PS4 em 1080p. Já o BF4 no Xbox One vai rodar em 1080p e o PS4 em 720p! Ou seja PS4 não consegue rodar games que dependem muito de gráfico e em que o mapa é grande, Já o Xbox One não precisa de 1080p em um jogo como o COD. Um exemplo disso é o PS3 que todos os jogos eram em 720p, já o Xbox 360 todos eram em 1080p! MAS MESMO ASSIM AMBOS COM GRÁFICOS ÓTIMOS! =)

  • Rodrigo Vieira
    2013-10-28T00:28:35  

    O que o Cod apresentou não me agradou muito... Vou comprar o BF4 e o Tintafall para o pc, e talvez futuramente eu compre o "Call of Dogs"

    recentes

    populares

    • Rodrigo Vieira
      2013-10-28T00:28:35  

      Bruno Schmidt Belo comentário, criança...

    recentes

    populares

    • Rodrigo Vieira
      2013-10-28T00:28:35  

      Bruno Schmidt relamente um noob sempre será um noob, que nunca enxergará que ficou para traz e é um atrasado que ainda jogo COD ! sempre tem o ceguetes que não vêem a inovação, o mercado de jogos diz que as coisas mudaram, mais o fãns de cada jogo não enxergam isso. pessoas ainda dizem que PES é melhor que fifa e outras ainda dizem que COD é melhor q BF ! essas pessoas podem ficar nos seus PES e Cods, em jogo de adulto criança não entra. no BF as crianças q eu conheço tem mais QI q muitos marmanjos do COD, isso não é regra mais tem grande parcela de verdade !

  • Lucio Burgos
    2013-10-29T10:00:32

    Essa ediçao limitada com camisa só vende em sites brasileiros ou também tem em sites estrangeiros?

  • Thiago Cleim
    2013-10-28T08:47:57  

    O dia que não existir LAG em jogos de tiro, eu penso em voltar a jogar esses jogos. Acho um absurdo ver todo ano COD ser lançado, bater recorde de vendas, arrecadarem bilhões e a EA não investir em um servidor dedicado. Joguei Socom no Playstation 2 online, na época não havia conexão de 1MB e não havia lag NENHUM. A única presença de lag, era quando a taxa de upload dos caras eram baixas e você via eles dando umas travadas quando andavam. Enquanto não houver servidor dedicado, o HOST e os "vizinhos do host" terão vantagem. Cansei disso.

    recentes

    populares

    • Thiago Cleim
      2013-10-28T08:47:57  

      EA? tá manjando em...

  • Leandro Almeida
    2013-10-28T07:48:13

    Bom, como eu canso de falar aos fanboys que insistem em querer comparar um com o outro... Quem tiver condição COMPRE OS DOIS. Sou fã da franquia da EA, mas COD é COD, se pudesse compraria os dois sem dúvida, mas vou comprar o BF4 que além de estar excepcional está mais barato tb rsrsrs, fora que pretendo adquirir o serviço PREMIUM também. Assim que o CODG estiver mais "baratinho" eu penso na possibilidade, afinal TITAN FALL vem ai.

  • Div Moura
    2013-10-28T00:27:45

    Só sei que estou com 86% do Battlefield 4..louco para testar...

  • Lucas Grisotti
    2013-10-28T22:19:07

    Acho que discutir elementos da campanha é quase que inútil. No final todo mundo compra COD pelo multplayer, cod é sempre cod, mesmo mudando a engine a fluidez dos 60 fps continua. A questão é somente evoluir em alguns aspectos principalmente gráficos para poder acompanhar battlefield que está cada vez mais criando sua própria identidade e trazendo mais player, eu pessoalmente vou comprar e jogar os dois para poder decidir o melhor.

  • Diogenes Machado
    2013-10-28T14:56:31

    o H-HOUR vai ser muito mais jogo que bf4 e call dutty .jogo de tatica nada de morrer e nascer imediatamente ,jogo de equipe,e em terceira pessoa o que e muito melhor!!!old socom back thanks god!!!

  • Caique Vasconcelos
    2013-10-28T11:13:44  

    Só eu acho que esse cachorro vai morrer no final?

    recentes

    populares

    • Caique Vasconcelos
      2013-10-28T11:13:44  

      fato

  • Vasco
    2013-10-28T00:41:50  

    Aí pessoal qual é melhor eu comprar: Call of Duty Ghosts ou Battlefield 4?

    recentes

    populares

    • Vasco
      2013-10-28T00:41:50  

      compra os dois simples

    recentes

    populares

    • Vasco
      2013-10-28T00:41:50  

      Roberto Santana falou pouco mas falou bonito rsrsrsrs.

  • Ricardo
    2013-10-27T18:51:50  

    Kede os defensores dos direitos animals? Us cachoro leva tiro tem q ve iso ae

    recentes

    populares

    • Ricardo
      2013-10-27T18:51:50  

      como vc é burro em kkkkkkk

    recentes

    populares

    • Ricardo
      2013-10-27T18:51:50  

      Ricardo - Acabei de furar meus olhos... Prefiro ser cego do que ler isso outra vez!

  • Santos Maia
    2013-10-27T16:53:29  

    Não que BO2 foi ruim, mas eu não gostei .. as vezes se tornava mais chato por causa de algumas pessoas, na maioria das vezes crianças. Só espero que o Ghosts seja melhor, e to confiante que seja.

    recentes

    populares

    • Santos Maia
      2013-10-27T16:53:29  

      Pior é atirar (atirar mesmo) no cara q ta com a faca e mesmo assim ele vem e te mata.

    recentes

    populares

    • Santos Maia
      2013-10-27T16:53:29  

      eu comprei o bo2 na pre venda. joguei umas 20 partidas dei mihna conta da steam para um amigo.. é ridicolo um cara jogar só de faca e parecer o Dflash te dando facada..

  • Diogenes Machado
    2013-10-27T15:42:43

    galera do tech tudo!!! não acham que o jogo que esta sendo criado H-HOUR vai superar o call of dutty?eu particulamente acho que sim..

  • Alessandro Silva
    2013-10-27T13:46:57  

    Será que esses especialistas são os mesmos dos Black Ops??? Onde quem pula e/ou quem deita no chão na hora de atirar tem mais vantagem de matar, do que o inimigo que esta mirando ou andando normalmente??? Ou então os Snipers que mesmo tomando tiros de LMG que as balas são do tamanho de Batons, não perdem nem um pouquinho que seja o foco... e atiram com precisão

    recentes

    populares

    • Alessandro Silva
      2013-10-27T13:46:57  

      DANIEL DORNELLAS oque ainda não justifica, COD never more !

    recentes

    populares

    • Alessandro Silva
      2013-10-27T13:46:57  

      Uma bala de LMG era para despedaçar o inimigo! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk