Notebook

12/12/2013 10h09 - Atualizado em 12/12/2013 16h02

Dell anuncia laptop superleve de US$ 300, mas nega 'guerra' à Lenovo

Fabrício Vitorino
por
da Dell World 2013

A Dell lançou, nesta última quarta-feira (11), seu modelo de Chromebook e entrou na briga em uma área que até então só observava: a dos notebooks “populares”. Com uma configuração humilde (Intel Celeron Haswell, tela 11.6 polegadas, 2 ou 4 GB de RAM e SSD de 16 GB), o aparelho começa a ser vendido em janeiro de 2014, e deve custar menos de US$ 300 (cerca de R$ 700, sem impostos).

Testamos o Dell Chromebook 11: bom, bonito, barato e distante do Brasil

Dell apresenta Chromebook de 11 polegadas e configuração enxuta na Dell World 2013 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)Dell apresenta Chromebook de 11 polegadas e configuração enxuta na Dell World 2013 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)



Com isso, a Dell entra numa área extremamente competitiva, e terá como rivais a Acer, Samsung, HP, Lenovo e o próprio Google, idealizador do Chromebook. E o movimento é, aparentemente, surpreendente, já que a gigante mundial sempre fez questão de manter-se à parte desse mercado, com aparelhos mais caros, mas com maior “valor agregado”. No entanto, para Raymundo Peixoto, vice-presidente da Dell, não vê o lançamento do mini-notebook como um ataque às rivais – especificamente à Lenovo, que ultrapassou a Dell no ranking mundial de fabricante de computadores no mundo.

Dell World 2013 apresenta novidades da companhia para 2014 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)Dell World 2013 apresenta novidades da companhia para 2014 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)


Em entrevista ao TechTudo, durante o Dell World – convenção anual da empresa, realizado em Austin, no Texas, EUA – Peixoto explicou a ação: “Nós trabalhamos com portfólio. Não lançamos o Chromebook para declarar guerra a ninguém. Apenas atendemos a uma demanda do mercado”. Ainda segundo o executivo, o aparelho não tem previsão de chegada ao Brasil – e nem está decidido se virá mesmo. Tudo ainda depende de como ele será recebido em outros mercados.

Michael Dell, CEO da companhia na apresentação da Dell World 2013 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)Michael Dell, CEO da companhia na apresentação da Dell World 2013 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)


 Ainda durante o Dell World, o argentino Diego Majdalani, vice-presidente para a América Latina da Dell, comentou a mudança de gestão da companhia – antes, pública, com papéis na bolsa, e agora é essencialmente de capital privado: ˜Para o consumidor nada muda. A mudança da filosofia não mudou com a alteração do status da companhia, de público para a privada. Michael Dell era o líder e continuou sendo. A política da empresa continuou a mesma.”

Empresa reafirma compromisso com seus clientes, com novos lançamentos para o mercado de híbridos e tablets (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)Empresa reafirma compromisso com seus clientes, com novos lançamentos para o mercado de híbridos e tablets (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)

Sobre os recentes fracassos da empresa na área da mobilidade, que resultaram em uma ausência da gigante no mercado de tablets e celulares, o argentino deixou a entender que a empresa não embarcará mais em aventuras. Irá manter a estratégia de compor o portfólio – com produtos em áreas consideradas chave (tablets e híbridos). “Ao contrário de outras empresas, nunca buscamos nos impor no mercado. Sempre trabalhamos ouvindo o consumidor. Como fazemos para prover os serviços que os clientes querem? Ouvimos eles. Se eles pedem, nós entregamos”.

Majdalani também reafirmou o compromisso de estar presente no Brasil – um dos mercados mais importantes para a Dell em todo o mundo. “Estamos lançando cada vez mais produtos para brasileiros. E vocês podem esperar muito mais ainda”.

Qual o melhor notebook Dell ou Samsung? Opine no Fórum do TechTudo!

* Fabrício Vitorino viajou a Austin a convite da Dell

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Antisec Morais
    2013-12-13T04:58:30

    300 Obamas lá fora e 1500 Dilmas aqui.