19/02/2014 19h02 - Atualizado em 20/02/2014 15h29

OneDrive, agora em Android e iOS, ganha mais espaço e backup automático

Renato Bazan
por
Para o TechTudo

A Microsoft convocou uma coletiva nesta quarta-feira (19) para anunciar as novidades em torno da recente mudança que fez com o SkyDrive, que a partir de agora passa a se chamar OneDrive. O nome será gradualmente eliminado, trocado em atualizações em datas não especificadas. As novidades vêm em alinhamento com a nova política de integração de plataformas da empresa, que desde o lançamento do Windows 8 se esforça para costurar todos os gadgets em uma única “experiência de uso”, como eles mesmos definem sua nova visão.

Microsoft corrige os problemas de sincronização de mensagens no Skype

Disponível para Windows 7, 8, Android, iOS, MacOS e Windows Phone, o OneDrive é agora um serviço de nuvem completo (Foto: Divulgação/Microsoft)Disponível para Windows 7, 8, Android, iOS, MacOS e Windows Phone, o OneDrive é agora um serviço de nuvem completo (Foto: Divulgação/Microsoft)

Nesse sentido, o uso da nuvem ganhou relevância chave: nos próximos dias e semanas, todos os produtos da empresa receberão atualizações para que se integrem ao dito OneDrive, “o lugar único para todas as coisas”. A interface será unificada, aproveitando o design Metro em todos os aparelhos, e o espaço gratuito será aumentado para 7 GB. Isso beneficia não apenas celulares com Windows Phone e tablets e PCs com Windows 8, mas também os usuários do Xbox One, do Windows 7, e até de plataformas concorrentes como iOS, Android e MacOS.

Um destaque de particular celebração foi a inclusão de elementos do OneDrive no pacote Office, que depois de uma atualização passará a considerar a nuvem como lugar padrão para armazenamento, para salvar documentos em tempo real e possibilitar a coautoria simultânea. Na prática, a empresa tenta equipará-lo ao Google Drive, que já oferece esse tipo de serviço há bastante tempo, mas com uma vantagem: cada licença do Office oferecerá 100 GB de armazenamento por um ano, suficiente para o backup total da maioria dos usuários.

Qualquer documento criado em qualquer aplicativo do Office poderá ser editado, mesmo por pessoas que não possuam o Office ou uma conta de SkyDrive, se o autor original compartilhá-los pela Internet. Para tal, a Microsoft criou um WebApp que simula cada software do Office no navegador, e as mudanças nesse documento espelhado serão vistas automaticamente pelo autor primário. Outro destaque é o fato de que, a partir de agora, qualquer documento terá seu histórico de edições salvo junto com o arquivo, possibilitando ao autor reverter alterações indevidas muito rapidamente (novamente, igual ao Google Drive).

Comprando um tablet é possível aposentar o notebook?  Comente no Fórum do TechTudo

Nos tablets e celulares de todas as grandes marcas, o OneNote se manifestará principalmente pelas câmeras, que receberão uma opção para enviar fotos e vídeos instantaneamente para a nuvem, podendo ser visualizados em qualquer lugar ao término do upload. O usuário poderá acessar tudo o que estiver salvo no OneDrive sem necessidade de ocupar espaço em disco, via streaming. Em conjunção com a integração profunda que o OneDrive terá com o Xbox One e o Windows 8, isso abre possibilidades de visualização remota muito mais ágeis que as disponíveis atualmente.

Outro grande tiro certeiro nesse sentido foi a implementação de códigos para transcodificação de arquivos que estiverem armazenados na nuvem, sejam eles vídeos, imagens ou documentos. Qualquer arquivo acesso pode ser visto de qualquer aparelho, e há até mesmo uma otimização para streaming dinâmico desse conteúdos, que varia a qualidade de exibição de acordo com as flutuações de banda de quem os acesso, na tentativa de suavizar o acesso remoto.

A interface, baseada no design Metro, é bastante prática (Foto: Reprodução/Microsoft)A interface, baseada no design Metro, é bastante prática (Foto: Reprodução/Microsoft)

Pelo que foi dito na coletiva, o Xbox One servirá apenas para visualização dos arquivos em um primeiro momento – edição, nesse momento, foi considerada “improvável” pelos representantes da Microsoft Brasil, embora eles tenham enfatizado que pode haver novas notícias sobre isso a qualquer momento.

A interface de compartilhamento tem alguns elementos surpreendentes: além do manjado compartilhamento por contato e via Facebook e outras redes sociais, é possível criar pastas de nuvem na web, privadas ou públicas. Este segundo caso, bem mais interessante, indexa a pasta no serviço de busca do Google, tornando-a acessível do onipresente buscador. Há até mesmo um redutor de URLs integrado no próprio menu de upload, para reduzir os colossais links de acesso e facilitar esse processo. O mesmo menu pode ser utilizado para visualizar o que já foi compartilhado com o usuário, seja via redes sociais, OneDrive ou de forma direta. Nesta seção, o usuário pode não apenas acessar tudo o que já recebeu, mas alterar a privacidade de itens antigos, entrar com o autor original de cada texto e outras funções.

Espaço para dar e vender

Para celebrar essas novas funcionalidades, que estão disponíveis desde a noite passada no site do OneDrive, a Microsoft planeja até mesmo fazer uma promoção, dando espaço gratuito para mais de 100 mil pessoas. “Daremos a 100 mil pessoas 100GB de espaço para armazenamento gratuito por um ano. Isso são 10PB (petabytes) de armazenamento gratuito – espaço suficiente para armazenar uma foto de cada pessoa no planeta”, diz o comunicado oficial. Para os interessados em participar, é preciso ficar atento às intruções do perfil de Twitter @OneDrive, que fará essa distribuição.

Para quem perder a chance, ainda é possível conseguir espaço de duas outras formas: uma, gratuita, para até 15 GB, e outra paga, até 200 GB. A primeira envolve, como no caso de outros serviços de armazenamento, uma espécie de gincana: usuários que indicarem amigos podem receber até 5 GB adicionais, 500 MB por cabeça (para as duas pessoas), e mais 3 GB apenas por habilitar o recurso de back-up na câmera do celular. Quem estiver a fim de algo sério pode alugar espaço, com um novo plano de pagamento mensal cujos pacotes vão de R$11,99 (50 GB) a R$56 (500 GB) por mês.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares