22/06/2014 06h02 - Atualizado em 22/06/2014 06h02

Criadores de cooler que gela cerveja em 2 minutos são acusados de plágio

Pedro Zambarda
por
Para o TechTudo

Os brasileiros que lançaram o projeto Super Cooler no site de crowdfunding Catarse estão sendo acusados de plágio por uma dupla de norte-americanos. “O design do Super Cooler é uma cópia do Spin Chill. Nós não abrimos um processo contra eles ainda, mas pedimos gentilmente para o Catarse tirar a campanha deles do ar”, informou Trevor Abbott, um dos criadores do Spin Chill, em entrevista ao TechTudo.

Será que os brasileiros copiaram a ideia dos norte-americanos? O TechTudo ouviu os dois lados da história. Confira.

Robôs ganharão 'língua eletrônica' que identifica sabor de cervejas

Super Cooler (abaixo) é um plágio de Spin Chill (acima)? (Foto: Divulgação)Super Cooler (abaixo) seria um plágio de Spin Chill (acima)? (Foto: Divulgação/ Montagem Pedro Zambarda)


Os dois produtos têm design parecido

Spin Chill já arrecadou bem mais do que precisava por crowdfunding (Foto: Divulgação)Spin Chill já arrecadou bem mais do que precisava por crowdfunding (Foto: Divulgação)


Os norte-americanos Trevor Abbott e Ty Parker criaram o projeto do Spin Chill em setembro de 2013 e, assim como a dupla Gustavo Moraes e Rafael Schiavoni, tentatam arrecadar fundos através de um site de colaboração coletiva, o Kickstarter. Ambos os aparelhos têm formatos semelhantes a pistolas de plástico que '"agarram" a latinha e a gira no gelo para resfriá-la rapidamente. 

Super Cooler tem um formato similar ao de uma pistola, para gelar sua cerveja (Foto: Reprodução/ Catarse)Super Cooler tem um formato similar ao de uma pistola, para gelar sua cerveja (Foto: Reprodução/ Catarse)

Mas as semelhanças não terminam nas aparências: os vídeos de divulgação dos produtos também são bem parecidos e têm estruturas semelhantes. Há uma dupla de apresentadores carismáticos, o trabalho para transformar um protótipo em um produto, a proposta de financiamento coletivo e o produto em ação. Confira os dois vídeos abaixo:


Agora compare com o do Super Cooler:



Os brasileiros compraram o Spin Chill antes de lançar o Super Cooler?

De acordo com Trevor Abbott, um dos criadores do Spin Chill, ao descobrirem o produto brasileiro, eles acharam parecidos demais com o seu, acreditando se tratar de uma cópia. Eles procuram uma solução amigável para o caso, pedindo para que o aparelho seja retirado do site Catarse.

Abbott, em entrevista ao TechTudo, fez uma acusação a Gustavo Moraes e Rafael Schiavoni: “Nós descobrimos que os dois cavalheiros do Brasil que começaram o Super Cooler compraram um modelo nosso em dezembro de 2013 e tentaram entrar em contato com nossos fornecedores”.

Spin Chill em uma caixa de gelo (Foto: Divulgação) (Foto: Spin Chill em uma caixa de gelo (Foto: Divulgação))Spin Chill em uma caixa de gelo (Foto: Divulgação) (Foto: Spin Chill em uma caixa de gelo (Foto: Divulgação))


E o que diz a dupla de brasileiros?

“Nós não nos inspiramos no Spin Chill e foi realmente infeliz quando descobrimos a existência do produto, por volta de dezembro", disse Rafael Schiavoni, um dos criadores do Super Cooler, em entrevista ao TechTudo. "Foi bastante impactante, pois vimos que era como se tivéssemos copiado, mesmo tendo trabalhado a ideia inspirados no Enviro-cool, que gelava cerveja em 45 segundos”, explicou.

O engenheiro disse que desde o dia em que descobriram o produto americano buscaram todo tipo de informação para saber se era possível continuar o projeto ou se estavam realmente infringindo alguma lei e cometendo plágio. "Uma das coisas que descobrimos é que o termo plágio não se aplica a produto”, informou.

De acordo com Schiavoni, foi feita uma pesquisa enorme sobre patentes de cada um dos elementos que compõem o Super Cooler. “Descobrimos as primeiras patentes que utilizam o mesmo método desde o ano de 1966", explicou. De acordo com ele, algumas delas já estão em domínio público.

"Um dos trabalhos fundamentais para se fazer antes de lançar qualquer coisa no mercado é identificar concorrentes. Encontramos quase todos no mercado internacional, com exceção de um concorrente local que já tirou seu produto de linha”, concluiu.

Rafael, criador do Super Cooler: "Nós não nos inspiramos no Super Chill" (Foto: Divulgação) (Foto: Rafael, criador do Super Cooler: "Nós não nos inspiramos no Super Chill" (Foto: Divulgação))Rafael, criador do Super Cooler: "Nós não nos inspiramos no Super Chill" (Foto: Divulgação)



De acordo com os criadores do Super Cooler, há 11 produtos similares no mercado, além do americano Spin Chill. A lista segue abaixo:

- Chill and Chug: que conta apenas com encaixe para garrafa se rotaciona manualmente;
- Chill Wizard – Can Chiller: uma caixa que gira lata;
- Cooper Cooler:  caixa que gira lata ou garrafa e utiliza roletes no lugar de encaixe específico;
- Enviro-cool: tem um processo de rotação um pouco diferente, girando em dois eixos a lata ou garrafa;
- Frost Boss: gira a lata e vem com caixa específica, mas também poderia ser utilizado fora dela;
- Gela Latinha: caixa que gira a lata (único brasileiro, que está fora do mercado);
- Spin & Cool: rotaciona a lata e vem com caixa específica, mas também poderia ser utilizado fora dela;
- Tinchilla: caixa que gira lata;
- Turbo Cool: também foi lançado no Kickstarter e funciona apertando um botão-alavanca que gira o recipiente;
- Instancool: caixa que gira lata;
- Beer 90 Chiller: foi uma das primeiras ideias da área, sendo um produto à manivela.

Qual o melhor software para fazer acesso remoto? Opine no Fórum do TechTudo.

Além da lista, Rafael Schiavoni afirma que eles já estão tomando providências para evitar uma disputa na justiça ou mesmo para tirar seu produto de circulação. “Estamos trabalhando para mostrar que não foi plágio. Nós trabalhamos em tudo antes de chegar no Super Cooler. Tomamos uma rasteira com essa acusação", disse.

Schiavoni informou ainda que acha bem triste que exista um prejulgamento de que americano é isento de qualquer acusação por parte dos brasileiros. Segundo ele, o site Catarse já está a par da situação. "Temos continuamente conversado com eles mostrando transparência e o nosso trabalho sério desde o princípio do projeto”, finalizou.