06/08/2014 06h35 - Atualizado em 06/08/2014 06h35

Doom: veja as curiosidades mais bizarras da história do violento FPS

Dário Coutinho
por
Para o TechTudo

Doom é considerado por muitos o “pai” dos jogos modernos de tiro em primeira pessoa. Responsável por popularizar, junto com Wolfenstein 3D, o gênero FPS, o violento game é repleto de demônios e até figuras satanistas. Ele era, na visão de muitos pais nos anos 90, a personificação do mal. O game que definiu uma geração de jogadores e influenciou outros diversos games é repleto de curiosidades. Confira algumas que selecionados neste especial.

Doom: conheça a história do popular jogo de tiro

Doom (Foto: Divulgação)Doom (Foto: Divulgação)

O software mais popular em 1995

Doom foi o software de computador mais instalado no ano de 1995. Imagine só, um jogo ser tão popular que seu número de instalações seria maior do que que o Windows 3.11 e 95. Doom não exigia o Windows para ser instalado, bastava ter um PC com DOS.


A popularidade de Doom foi tão grande que a própria Microsoft se rendeu ao sucesso do game. Como? Fazedo um comercial quem que Bill Gates aparece em um dos cenários do jogo. Mais uma prova de que as propagandas dos anos 90 eram as melhores.

“Doom Guy”

Uma das coisas mais legais que Doom e Wolfenstein 3D introduziram foi o efeito de vermelhidão na tela, sempre que o jogador era atingido. Hoje, pode parecer algo bem óbvio, mas quando não existia qualquer referencial, para ilustras a cena, a iD Software colocou o rosto do personagem em um dos HUDs do game.

Master Chief e Doom Guy (Foto: Reprodução  / ScrewAttack)Master Chief e "Doom Guy" (Foto: Reprodução / ScrewAttack)

O objetivo era simples, mostrar de modo visual, e não apenas numérico, como estava a saúde do personagem. Cunhado pelos fãs, o termo “Doom Guy” serviu para descrever vários personagens em jogos que utilizavam desse recurso visual. Curiosamente, o personagem de Doom é muito parecido com o de um jogo anterior da id Software, Wolfenstein 3D. Como forma de homenagem, a id manteve o visual do personagem, até mesmo no último jogo lançado, Doom 3.

O Doom Guy, com ou sem capacete, é a personificação do “Brucutu”, o típico machão dos filmes de ação dos anos 90. Uma prova de que Doom influenciou direta, ou indiretamente, quase todos os FPS da atualidade, é a semelhança do “Doom Guy” com Master Chief da série Halo.

Inspirado em filmes clássicos como “Aliens” e “Uma Noite Alucinante 2″

Enquanto uma equipe trabalhava na continuação de Wolfenstein 3D, John Carmack e John Romero trabalham no conceito e engine do seu próximo game, Doom. Eles chegaram a cogitar entrar em contato os estúdios a Fox para licenciar a franquia Aliens, mas desistiram em nome da liberdade artística.

Spider Mastermind ainda faz qualquer um ter pesadelos  (Foto: Reprodução /  Wikipédia)Spider Mastermind ainda faz qualquer um ter pesadelos (Foto: Reprodução / Wikipédia)

A ideia original era que, em Doom, o jogador enfrentasse alienígenas, mas resolveram fazer uma mescla colocando demônios e até uma ida ao inferno. Em Doom II, é possível utilizar uma motosserra para matar os monstros, uma possível referência ao filme “Uma Noite Alucinante 2″ (Evil Dead 2, no original).

O filme de “Doom”

Lançado em 2005, “Doom: A Porta do Inferno” foi o filme baseado no game, que chegou em uma época em que muitos já sabiam de um triste fato: filmes de jogos costumam ser decepcionantes. Mesmo com participações que poderiam ser consideradas ideais para um filme de ação, “Doom: A Porta do Inferno” falhou em capturar a atmosfera dos jogos clássicos, aparentando ser apenas um filme que pega emprestado os elementos do jogo para criar sua própria história.

Apesar de fórmula parecer promissora, o filme de Doom ficou aquém do esperado (Foto: Reprodução / R7)Apesar de fórmula parecer promissora, o filme de Doom ficou aquém do esperado (Foto: Reprodução / Doom)

O filme recebeu nomeações apenas para premiações de chacota, como a de pior ator para Dwayne Johnson (The Rock) no troféu “Framboesa”. Contudo, o filme não era tão ruim assim. A despeito das intermináveis cenas de tiroteio, o filme pecou por ter poucos momentos de suspense.

Massacre na Escola em Columbine

Doom foi um dos primeiros jogos a estar envolvido na polêmica sobre “Jogos tornarem as pessoas violentas”. Essa triste curiosidade se deve ao massacre de Columbine, realizado por dois alunos em uma escola no Condado de Jefferson, Colorado, Estado Unidos. Eric Harris e Dylan Klebold, dois adolescentes, mataram 13 pessoas, ferindo outras 21. Eles suicidaram dentro da biblioteca da escola, quando a SWAT invadiu o local.

Imprensa ligou rapidamente os assassino ao jogo Doom (Foto: Reprodução / Wikipédia)Imprensa ligou rapidamente os assassino ao jogo Doom (Foto: Reprodução / Wikipédia)

Na época, um dos garotos, Eric Harris, mantinha um site sobre o jogo Doom e havia criado dois cenários para o jogo. Naquela época, o código do jogo Doom já havia sido distribuído na internet e era comum jogadores criarem seus próprios cenários para jogar com os amigos. Ainda hoje é possível encontrar as fases criadas por Eric Harris que ficaram conhecidas como Harris Levels.

A Bíblia de Doom

Tom Hall, um dos empregados da id Software criou um complexo documento para povoar a mitologia da série Doom, a qual ele intitulou de “Doom Bible”. Entretanto, um dos co-fundadores da id Software, John Carmack, recusou a ideia dizendo que a história do jogo era tão importante quanto a de um filme "adulto".

Bíblia sobre o jogo Doom foi cancelada, mas ideias foram usadas em outros jogos (Foto: Reprodução / Doomworld)"Bíblia" sobre o jogo Doom foi cancelada, mas ideias foram usadas em outros jogos (Foto: Reprodução / Doomworld)

Apesar da Bíblia de Doom ter sido rejeitada, várias de suas ideias foram incorporadas em Doom e em outros jogos nos quais Tom Hall trabalhou. Rise of the Triad contém vários personagens que seriam protagonistas da série Doom e o Terminal Velocity é situado no planeta Tei Tenga, onde a história de Doom iria se passar, antes da ideia do cenário do jogo ser transportado para uma lua em Marte.

Referências a Dungeons & Dragons e até versículos da Bíblia

Um dos monstros presentes em Doom é uma referência direta ao monstro de Dungeons & Dragons, popular série de RPG de mesa, conhecido como “Beholder” ou “O observador”. Contudo, o visual do monstro foi capturado de outra criatura de Dungeons & Dragons, o Astral dreadnought.

Alguns monstros em Doom foram inspirados em Dungeons & Dragons (Foto: Reprodução / Wikipédia)Alguns monstros em Doom foram inspirados em Dungeons & Dragons (Foto: Reprodução / Wikipédia)

Os últimos níveis da versão definitiva de Doom, conhecida como “Ultimate Doom”, possuem várias referências a versículos da Bíblia Sagrada, mais especificamente ao Livro dos Provérbios, São Mateus, Salmos, João e Lucas.

Referências a bandas de Rock

A vigésima primeira fase de Doom II possui o nome de “Nirvana” e nela o jogador utiliza apenas uma arma calibre 12 (shotgun). Isso, possivelmente, é uma péssima referência ao vocalista da banda, Kurt Kobain, que cometeu suicídio com uma arma do mesmo modelo.


Porém, essa não é a referência mais evidente a bandas de rock. Doom possui várias músicas de sua trilha sonora que são bastante parecidas com músicas ou riffs de bandas conhecidas. Bandas como Alice in Chains, Metallica, Slayer e outras do cenário mais agressivo do rock e heavy Metal podem ser reconhecidas através das músicas de Doom.

Doom 3 e a renovação visual

Doom 3 é um dos capítulos mais icônicos da série. Responsável pela renovação visual, muito pensavam que a série não iria se encaixar muito bem em cenários com alta definição e efeitos de iluminação em tempo real. Ledo engano, Doom 3 chegou com um motor visual que até hoje impressiona.

Doom 3 surpreende até hoje com seus belos gráficos (Foto: trueachievements.com) (Foto: Doom 3 surpreende até hoje com seus belos gráficos (Foto: trueachievements.com))Doom 3 surpreende até hoje com seus belos gráficos (Foto: Divulgação)


Na realidade, até mesmo funcionários da id Software se opuseram a um “remake de Doom”, mas John Carmack estava convencido de que a série precisava de uma nova identidade visual. Lançado originalmente em 2004, Doom 3 recebeu uma edição renovada em 2012, que incluiu todos os jogos da franquia.

Doom “4″

Foi com fervor que a comunidade gamer recebeu a notícia de que um novo Doom estava em produção. Anunciado dia 17 de julho, durante a Quakecon 2014, evento sobre outro jogo da id, Doom “4″ será um reboot da série.


O novo motor gráfico foi apresentado na Quakecon 2014, assim como um vídeo com o gameplay do novo Doom. Durante a apresentação, Marty Stratton, diretor executivo da id Software, disse que Doom “Não é sobre ficar se escondendo” e que a sanguinolência irá correr solta no novo game.

Qual o melhor: Doom ou Shadow Warrior Classic? Responda no Fórum do TechTudo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Isaac
    2015-01-11T21:09:49

    vai ser tenso jogar o 4 pela primeira vez altos sustos, novos cenários, porque marine nunca foi contaminado o jogo não esclarece isso ou os demônios não querem ele no time kkkkkkkkkkkkkk

  • Marcus Diniz
    2014-08-13T10:46:21

    Jogadores de COD - CURVEM-SE.

  • Deivison Sagrillo
    2014-08-06T18:48:26  

    IDDQD

    recentes

    populares

    • Deivison Sagrillo
      2014-08-06T18:48:26  

      IDKFA

  • Hugo Souza
    2014-08-06T11:39:50

    Jogo classico, esses dias tava jogando o doom 3 e o jogo é fantastico, mas não se compara ao 'terror' que era jogar os dois primeiros a duas décadas atras. Jogaço!