Internet

30/08/2014 07h00 - Atualizado em 30/08/2014 07h00

Google Science Fair: Menina de 13 anos cria projeto contra bullying

Carol Danelli
por
Da Redação

O bullying se caracteriza pela violência física ou psicológica intencional, praticada repetidamente por um indivíduo ou um grupo. Todos os anos o bullying faz milhares de vítimas, principalmente crianças e adolescentes. Em 2013, uma jovem se suicidou na Flórida após sofrer cyberbullying e este fato inspirou Trisha Prabhu, uma menina de Illinois, de 13 anos, a escrever o projeto Rethink no Google Science Fair.

Oito motivos para não criar um perfil no Facebook para uma criança; confira

Jovem americana de 13 anos, Trisha Prabhu, criou projeto que combate o bullying virtual (Foto: Arquivo pessoal/Trisha Prabhu)Jovem americana de 13 anos, Trisha Prabhu, criou projeto que combate o bullying virtual (Foto: Arquivo pessoal/Trisha Prabhu)





Um adolescente jamais deve pensar em suicídio por causa do bullying virtual
Trisha Prabhu

Em entrevista ao TechTudo, Trisha afirmou já ter sido vítima de bullying virtual. "Eu recebia mensagens ofensivas sobre como me vestia. Pode-se dizer que sou casca grossa e forte, então só ignorava e seguia em frente", conta. Mas, para a jovem, um adolescente jamais deve pensar em suicídio por causa do bullying virtual. "Pensando nisso, decidi tentar impedir", explica.

O cyberbullying ou bullying virtual ocorre quando alguém é atormentado, assediado ou envergonhado na Internet, principalmente nas redes sociais. De acordo com as pesquisas de Trisha para o Rethink, 50% dos jovens na faixa etária de 12 a 18 anos são vítimas deste crime. Mais de um em cada três adolescentes já sofreram ameaças online.

O bullying virtual tem sido um problema generalizado para meninos e meninas que passam um tempo significativo usando a Internet e as redes sociais. Segundo Trisha, em suas pesquisas, ela percebeu que as vítimas sofriam com baixa autoestima, depressão e tendências suicidas. Após saber da morte de sua compatriota, a jovem cientista resolveu pensar mais sobre o assunto. "Após muita pesquisa, experimentação e correlações entre o cérebro e o bullying virtual, nasceu a ideia do Rethink", explicou.

O Rethink é um projeto que tem como objetivo reduzir a média de mensagens ofensivas que os bullys (nome dado ao agressor) publicam nas redes sociais a partir de um sistema que dá a chance do adolescente repensar antes publicar a mensagem. A solução seria a criação de um mecanismo que gere um alerta antes da publicação de uma mensagem ofensiva. Recentemente, o polêmico Secret bloqueou segredos com nomes próprios e fotos da câmera com mecanismo semelhante. Segundo a jovem, não há uma solução para o cyberbullying, por isso a importância de um projeto para evitá-lo.

"Sou fascinada pela ciência desde muito jovem, especialmente pelo funcionamento interno do cérebro", afirma Trisha Prabhu (Foto: Arquivo pessoal/Trisha Prabhu)Trisha Prabhu revela detalhes sobre os estudos que fez para o Rethink (Foto: Arquivo pessoal/Trisha Prabhu)


Ela cadastrou seu projeto no Google Science Fair, uma competição internacional on-line de ciência e tecnologia aberta a jovens entre 13 e 18 anos. "Sou fascinada pela ciência desde muito jovem, especialmente pelo funcionamento do nosso cérebro. Completei 13 anos e mal podia esperar para fazer parte desta plataforma, compartilhando ideias e me reunindo com alguns dos melhores jovens cientistas do mundo", afirma.

Quer saber como alterar a privacidade de um álbum no Facebook? Descubra no Fórum TechTudo!

Para Trisha, a reação ao “Rethink” tem sido extremamente positiva. Em abril deste ano ela apresentou o projeto na competição do 1871, centro de empreendedorismo e tecnologia em Chicago.

"Minha ideia de produto teve grande apoio e conquistei o primeiro lugar na competição. Isto não só validou a importância da minha ideia, mas provou ter potencial para mudar o mundo", conta.

Poucas semanas depois, o projeto foi escolhido como um dos finalistas do Google Science Fair. O projeto ganhou apoio e incentivo das mídias sociais, redes tradicionais de TV e rádio e sites de notícias. "Esse tipo de retorno positivo e animador me motivou ainda mais a lutar contra o bullying virtual", disse.

Em setembro deste ano, os 15 finalistas visitarão a sede do Google, em Mountain View, Califórnia. A votação popular vai de 02 a 23 de setembro, quando será anunciado o prêmio online - diferente da premiação do júri que acontece um dia antes (22), em uma cerimônia oficial.

Apesar de ainda não saber se o seu projeto vai ganhar, a jovem conta que já se sente vencedora. "Estou ansiosa para conhecer meus colegas finalistas e me apresentar aos respeitáveis juízes no Google Science Fair. O resultado do evento não importa. Com a consciência criada sobre o bullying virtual e minha forma eficaz de impedi-lo, já me sinto uma vencedora", conclui de forma otimista.

Os finalistas do Google Science Fair podem ser conhecidos no site googleciencefar.com.O projeto Rethink de Trisha Prabhu está disponível também no mesmo site em inglês e português.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Gilmar Faustino
    2014-08-31T02:09:38

    Ela é muito linda que lábios e rostinho lindo se eu pudesse voltaria no tempo para namorar a Trisha!

  • Copadascopas
    2014-08-30T14:39:42  

    Nao aguento mais tanto mimimi e choro. Goleiro aranha chorao. nao aguenta uma brincadeira. Nao sabe brincar, desce do playground.

    recentes

    populares

    • Copadascopas
      2014-08-30T14:39:42  

      Se vc aguenta a pressão, pq se esconde atrás de um nick?

  • Milton Pereira
    2014-08-30T11:12:49

    Excelente... uma ideia simples e consistente.