Impressora

15/09/2014 09h40 - Atualizado em 15/09/2014 15h20

Cartucho de tinta vazando ou falhando? HP faz alerta contra pirataria

Melissa Cruz Cossetti
por
Da São Paulo

A HP, fabricante de impressoras e suprimentos, enfrenta uma guerra contra a pirataria de cartuchos de tinta e toners. No Brasil, os índices de pirataria desses produtos são superiores aos de mercados mais maduros e a falsificação e o contrabando chegam a 7% do comércio global, uma perda de aproximadamente US$ 3,5 bilhões ao ano e milhares de impressoras danificadas por "mau uso". Alvo de críticas sobre o preço dos suprimentos, a fabricante diz que oferece soluções a partir de R$ 19,90.

Como usar o QR Code da HP e verificar cartuchos de tinta e toners falsos

“É um caso típico em que todos saem perdendo, a economia, o fabricante, o distribuidor e o consumidor", disse Marcio Furrier, gerente de desenvolvimento de negócios de suprimentos da HP. Com a maior fatia do setor, a Hewlett-Packard soma 10 milhões de impressoras em ação no país.

HP 1 (Foto: Melissa Cruz / TechTudo)Marcio Furrier, da HP, Edson Vismona, presidente do Fórum Nacional Contra a Pirataria (FNCP), delegado Carlos Eduardo Pellegrini, da Polícia Federal, e Sirley Lima, da Pernod Ricard no Fórum Antipirataria (Foto: Melissa Cruz / TechTudo)


O que é um cartucho de tinta ou toner falsificado

Primeiro é preciso entender o que a HP chama de cartucho falsificado. São produtos clonados, com embalagens genéricas ou remanufaturados, em embalagens genéricas ou originais reaproveitadas, ou mesmo produtos completamente piratas em embalagens originais da HP, reutilizadas após descarte. Em nenhum dos casos a garantia da HP cobre o conserto, alegando "mau uso" em função do consumidor descumprir as orientações do manual e usar (ciente ou não, no ato da compra) suprimentos de impressão não originais ou remanufaturados. É comum do cartucho ou toner borrar papéis e documentos oficiais, danificar a impressora por vazamento de tinta ou provocar problemas mecânicos.

"O mercado de impressão é mais complexo que a dicotomia entre produto falsificado e original. Existe uma série de cartuchos recarregados e remanufaturados cuja atividade não é ilegal e não devem ser barrados do ponto de vista de hardware", explica Furrier, ao citar cartuchos com chips autenticadores falsificados da China. Porém, a reutilização de cartuchos em remanufaturados a exaustão prejudica o produto. O cartucho novo com a tinta original patenteada seca na velocidade prometida, diz o executivo.

Qual o impacto do consumo desses produtos

Para os lojistas e distribuidores é dor de cabeça, na certa: ocorrem devoluções de produtos que deram defeito ou foram insatisfatórios, há danos na relação com as marcas e perda de confiança do consumidor (tanto na loja, como na fabricante) e também possível repercussões legais como processos por venda de produto pirata. Para o consumidor, nada distante disso: os produtos apresentam má qualidade e baixo desempenho, é gerado um custo maior e por vezes desnecessário de manutenção em função de problemas nas impressoras gerados pelo uso de cartuchos e toners falsos, sem contar nos milhares aparelhos perdidos todos os anos por um estouro de tinta repentino ou falha mecânicas.

O consumidor esperto joga o dinheiro fora e causa prejuízos, temos inúmeros exemplos disso. Diante desse panorama grotesco temos que estar preparados para mudar a cultura no nosso país
Edson Vismona, presidente do FNCP

Quem consome cartuchos falsos

Cartuchos de tinta e toners falsificados, muito populares, ainda, em ambientes corporativos, no comércio de varejo e também para uso doméstico, são consumidos por todos esses públicos, incluindo instituições do governo, um alvo dos criminosos que agora miram licitações para passar grandes quantidades de produtos piratas por lote. Em todos os casos citados, as quadrilhas se aproveitam da falta de informações dos consumidores sobre como ter certeza sobre a origem dos produtos. Por vezes, misturam produtos originais aos falsificados, para confundir ainda mais e despistar denúncias imediatas.

Edson Vismona, presidente do Fórum Nacional Contra a Pirataria (FNCP), representando a sociedade civil, alertou para o senso comum equivocado de que produtos falsos e piratas são apenas versões genéricas e de que não causariam nenhum dano. Boa parte desses consumidores, quando não são enganados, assumem comprar produtos piratas apenas para evitar pagar impostos e outras taxas.

HP 3 (Foto: Melissa Cruz /TechTudo)Qual destes cartuchos de tinta são falsos? Cópias ganham nota 6, em média (Foto: Melissa Cruz /TechTudo)

De onde vem os suprimentos falsos

A dinâmica do crime é internacional. Há grupos responsáveis apenas por embalagens, outros por selos de autenticidade e outros pelos próprios suprimentos. Há cartuchos e toners que vem do Equador, caixas do Peru, materiais impressos da Colômbia, tanto caixas quando impressos do Brasil e falsos selos de segurança da Rússia. Do Paraguai e da China, vem de tudo. Toda América Latina, incluindo também o México, já entrou no que a HP chama de alerta vermelho para a pirataria. Porém, a prática não é exclusiva aos países citados, há crescimento considerável nos Estados Unidos e no Canadá.

Falsificações nota 6, às vezes 8

O problema fica ainda maior quando esses produtos falsos, que são remanufaturados muitas vezes, causam danos por usarem tinta inadequada ou mesmo apresentarem imperfeições mecânicas, são muito parecidos com os originais. Embora com uma análise mais cuidadosa seja possível apontar os cartuchos falsos, a maioria deles conseguem enganar o consumidor.

Pirataria de impressoras

Ainda segundo a HP, há um outro tipo de falsificação que acontece com menor frequência. Porém, chama a atenção a importação paralela de impressoras. Máquinas fabricadas com outros padrões, de países não compatíveis com os cartuchos vendidos no Brasil, são vendidas de maneira ilegal, com o objetivo de enganar o consumidor. São usadas caixas originais de impressoras HP que foram descartadas após o consumo mas em bom estado de conservação ou embalagens falsificadas. Quando usadas com cartuchos vendidos no país, se mostram inúteis e incompatíveis com suprimentos locais.

A saída é o consumo consciente

Furrier aponta que não existe correlação entre penetração de pirataria e classe social. O consumo de produto falso está igualmente presente em todas as classes, independente do poder aquisitivo. Muitos desses produtos se passam por originais, com preços semelhantes aos originais. Segundo o executivo, a única saída é educar o consumo, distribuindo informação de forma consistente para todo mercado.

"Todas as ferramentas [antipirataria] do fabricante só são efetivas se existir um prévio conhecimento para que o consumidor possa se precaver da pirataria antes que isso cause algum dano", diz Furrier.

Na maioria dos casos atuais não existe mais o benefício de preço ao comprar um cartucho pirata se comprada a relação performance e custo, e também manutenção
Marcio Furrier, executivo da HP

Veja como identificar cartucho original de impressora e evitar pirataria

A fabricante trabalha com quatro frentes no combate à pirataria: são 209 investigadores, para garantir a aplicação da lei e descobrir novas fraudes, equipes dialogam com legisladores regionais para manter o respeito às leis de propriedade intelectual em todos os mercados, há esforço também em produtos e embalagens, além da conscientização e divulgação da prevenção ao consumo de falsificados.

Para os consumidores também há quatro maneiras de evitar o consumo de um cartucho falso: comprar em sites e lojas oficiais e confiáveis, checar selos de segurança e características de embalagens como impressão e acabamentos, e também usar a validação online por QR code, sem nenhum custo.

Dicas para evitar comprar cartuchos falsos de qualquer fabricante:

- Tente inviabilizar a reutilização de embalagens após o uso;

- Use validação por QR na embalagem do produto;

- Fique atento à qualidade da impressão das embalagens, sobras de cola, idiomas e validade;

- Tente comprar sempre em lojas confiáveis ou oficiais dos fabricantes;

HP 4 (Foto: Melissa Cruz / TechTudo)Caixa de cartuchos originais apresentam selo HP e QR Code com código válido (Foto: Melissa Cruz / TechTudo)


O preço do original

Contra as críticas recebidas pelos consumidores de produtos piratas sobre o alto valor dos cartuchos de tinta e toners oficiais, a HP afirma que vem reduzindo seus preços e tentando oferecer soluções para o mercado brasileiro nos últimos anos. Na loja oficial da fabricante, atualmente, há cartuchos que custam a partir de R$ 19,90, com uma carga reduzida de tinta. Entre os toners, o valor mais baixo é R$ 174,90. 

O Fórum Antipirataria da HP (Hewlett-Packard) aconteceu no Instituto Tomie Ohtake na última terça-feira (9) e contou com a presença do delegado Carlos Eduardo Pellegrini, da Polícia Federal, Edson Vismona, presidente do Fórum Nacional Contra a Pirataria (FNCP), e Sirley Lima, da Pernod Ricard. 

*O TechTudo viajou para o Fórum Antipirataria em São Paulo a convite da HP. 

Impressora não reconhece o cartucho? Troque dicas no Fórum do TechTudo.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Joao Souza
    2014-09-18T10:09:36

    Por isso que eu comprei a EPSON L355 com bulk ink original muito mais economica

  • Gabriel Ribeiro
    2014-09-15T15:35:25

    A unica forma de acabar com o cartucho pirata é diminuir ao estremo o valor, essa solução dita pela hp 19,90 seria 5 xerox e pronto acabo a tinta........ dai adianta nada, se o valor fosse 5,00 ou 10,00 o cartucho cheio acabaria com a pirataria ou diminuiria drasticamente....

  • Rick Val
    2014-09-15T14:39:40

    Aí vc compra uma impressora por R$ 1200,00 (HP 3015) e o seu toner custa R$ 800,00 (CE255X). Sendo que o compatível custa no máximo R$ 200,00, quantas impressoras vc compra com a diferença de valores num lugar que se usa de 5 a 6 tonners por ano? HP, abaixe o preço que o povo compra...

  • Adilson Santos
    2014-09-15T14:09:28

    Não comprem nada desta empresa: MAXPRINT. Tudo nela é Pirata. Produto Chinês de péssimas qualidades.

  • Adilson Santos
    2014-09-15T14:08:56

    Não comprem nada desta empresa: MAXPRINT. Tudo nela é Pirata. Produto Chinês de péssimas qualidades!

  • Jose Fernandes
    2014-09-15T12:16:36

    Só há uma forma de se evitar a pirataria. É baixar o preço dos cartuchos, principalmente dos 901. Onde se viu um litro de tinta para cartuchos custar cerca de R$ 13.000,00 (treze mil reais), nos cartuchos originais, quando a mesma tinta no varejo é muito mais barata