Players

29/09/2014 07h00 - Atualizado em 29/09/2014 15h56

É o fim do iPod? Como fica mercado do clássico player com novo iPhone

Elson de Souza
por
Para o TechTudo

Muitos aguardam o lançamento da sexta geração do iPod Touch, e a há também quem acredite até que o famoso player pode estar com dias contados. Caso não chegue ao fim, a Apple precisará reinventar o seu reprodutor de música, visto que o iPhone 6 já apresenta versão com armazenamento de 128 GB, enquanto o iPod disponível hoje na loja oficial só chega a 64 GB de espaço. A gigante de eletrônicos descontinuou o iPod Classic no mesmo dia do anúncio do esperado celular. O Classic era o único com capacidade de memória superior: 160 GB.

IFA 2014: Sony exibe Walkman A17, MP3 player com 64 GB e som de qualidade

iPods revolucionaram o mundo da música nos anos 2000, mas vendas estão em baixa (Foto: Divulgação/Apple)iPods revolucionaram o mundo da música nos anos 2000 (Foto: Divulgação/Apple)

Uma queda sem retorno?

O primeiro modelo modelo do iPod foi lançado pela Apple em 2001, contendo 5 GB de armazenamento interno e o slogan “Mil músicas no seu bolso”. Dados impressionantes para a época, já que os celulares do momento tinham capacidade ínfima e pouquíssimas funções.

O reprodutor da Apple oferecia ainda várias vantagens sobre outro concorrente de peso na virada do milênio: os Discmans. Além de não serem nada portáteis, esses reprodutores não forneciam a mesma praticidade do iPod, já que era necessário carregar os CDs para todos os lugares e trocá-los quando a música terminasse. Diante disso, o iPod foi um fenômeno.

Desde 2001, a Apple lançou cinco linhas diferentes de iPods: Classic, Mini, Nano, Shuffle e Touch. O aparelho chegou a vender mais de 55 milhões de unidades em 2008, mas, em 2013, o número de dispositivos comercializados foi de 19,74 milhões. Entre os grandes vilões, podem estar o irmão iPhone e outros celulares.

iPod x Smartphones

Se o iPod foi um dos grandes responsáveis por minar o mercado de discmans, o reprodutor de músicas pode estar sendo a vítima da vez na briga com os smartphones. A questão atual é por que valeria a pena comprar um iPod se o celular contém, em único dispositivo, as mesmas funções do player e ainda faz ligações. Além disso, o espaço interno do smartphone ainda pode ser ampliado com um cartão de memória.

No Brasil, o preço mais básico de um iPod é R$ 279 no modelo Suffle de 2 GB. O valor consegue ser consideravelmente mais baixo do que a maioria dos smartphones de entrada, como o Lumia 530 (R$ 399) e o Moto E (R$ 510). Entretanto, é mais alto do que os telefones mais simples como o Asha 501 (R$ 220), que tem o dobro de memória, mais funções e a capacidade de receber ligações.

iPod Touch são os mais completos da linha, mas preço é desvantagem contra smartphone (Foto: Divulgação/Apple)iPod Touch são os mais completos da linha, mas preço não oferece vantagem (Foto: Divulgação/Apple)

Quando a briga chega ao iPod Nano, a situação fica ainda mais difícil para a Apple. O modelo básico da linha é vendido por R$ 829 e tem armazenamento de 16 GB. Com essa quantia, é possível comprar aparelhos como o Moto G (R$ 799) ou chegar perto do valor do Lumia 625 (R$ 899), ambos com acesso à Internet, aplicativos, músicas, vídeos e ligações.

Vale a pena esperar o iPod Touch da sexta geração? Comente no Fórum do TechTudo.

A mesma tendência é observada pelo iPod Touch de 16 GB (R$ 999). No entanto, o modelo conta com a vantagem de ser compatível com o iOS 8, baixar aplicativos e jogos e também fazer fotografias. A maior desvantagem em relação aos telefones fica sempre por conta da impossibilidade de fazer chamadas e de o usuário ter que carregar dois aparelhos ao mesmo tempo.

Um novo “algoz”: o streaming

O iTunes, lançado pela Apple em 2003, foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso do iPod e pela queda da venda de discos físicos. A grande vantagem do serviço é que o usuário poderia comprar uma música digital sem ter que pagar por todo o álbum. Assim, o consumo tornou-se mais flexível e vantajoso ao consumidor.

O modelo de vendas de faixas do iTunes, porém, entrou em declínio nos últimos anos graças a uma novidade: os serviços de streaming. Se, primeiramente, os consumidores abandonaram os CDs para comprar suas músicas individualmente, agora a opção é pelo pagamento de mensalidades para o download de infinitas faixas ou a reprodução online delas gratuitamente, em alguns casos.

iPod Nano tem tela touchscreen e pode ser sincronizado com o Spotify, mas funções são limitadas (Foto: Divulgação/Apple)iPod Nano pode ser sincronizado com Spotify, mas funções são limitadas (Foto: Divulgação/Apple)

Uma das grandes causas da queda do iTunes é o Spotify, que chegou ao Brasil apenas este ano, mas já conta com 40 milhões de usuários em todo o mundo. Destes, 10 milhões são assinantes do serviço pago, que oferece a reprodução offline das faixas e sem propagandas.

O Spotify está disponível em diversas plataformas, como iOS, Android, Windows Phone, Windows e Mac. Contudo, apresenta uma experiência bastante inferior nos iPods Nano e Shuffle, igualando-se no Touch. Algo similar ocorre com outros serviços como o Rdio, Deezer e Xbox Music, que não dispõem de suporte ou são muito limitados.

Futuro ainda incerto

Com a fim de mais um modelo de iPod, fica a pergunta: os revolucionários players da Apple ainda têm espaço no mercado? Uma resposta exata é bastante difícil neste momento, mas dois caminhos parecem ser os mais claro: a reinvenção ou a extinção.

Se optar pelo primeiro caminho, a Apple teria como desafio tornar os iPods um objeto com uma característica única em relação aos smartphones e demais reprodutores. Tal solução foi adotada pela Sony, que relançou o dispositivo Walkman, e por Neil Young, responsável pelo PonoPlayer. Ambos os aparelhos prometem uma reprodução de áudio bastante superior à encontrada atualmente.

iPods perderam espaço no mercado e seu futuro ainda ainda é incerto (Foto: Divulgação/Apple)iPods perderam espaço no mercado e seu futuro ainda ainda é incerto (Foto: Divulgação/Apple)

Outro diferencial poderia estar no lançamento de um serviço de streaming com alguma exclusividades para os iPods, rumor aquecido após a compra da Beats. Se nenhuma das alternativas for bem-sucedida, o famoso player tende a desaparecer gradativamente até ser encerrado de vez pela Apple. Caso isso ocorra, o produto passaria longe de um fracasso graças à sua história de sucesso na indústria da música. Todavia, no mundo da tecnologia, tudo é rapidamente substituído por alguma novidade.

*Colaborou com a matéria Larissa Ferrari

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Rodrigo Nunes
    2016-10-29T15:23:32

    Os ipods são bem complicados pra apple, já que eles podem servir por anos, diferente dos celulares que muitos atualizam todos os anos ou de 2 em 2 anos. Eu tenho um ipod classic super antigo aqui que funciona perfeitamente e tenho certeza que existem usuários da primeira ou segunda geração do ipod nano ou shuffle até hoje, já que a única grande função é tocar músicas e isso eles fazem muito bem. Usuários de ipod só trocam o dispositivo se ele quebrar. Ninguém precisa atualizar só por atualizar, visto que são poucas as vantagens para esse gasto a mais.

  • Rodrigo Nunes
    2015-08-03T23:41:01

    Bom. Pela quantidade de tempo que não atualizam o nano, não sei se vai haver uma atualização nova ou se vai acabar, mas acho que se eles colocassem uma loja pra baixar aplicativos de streaming, é possível que o nano dure mais um tempo. O shuffle provavelmente está com os dias contados, mas ele ainda tem sua utilidade aos que fazem exercícios.

  • Alex Mendonça
    2014-10-05T08:20:40

    Eu AINDA vejo três vantagens interessantes no iPod: (1) Hoje, os smartphones tem baterias ridículas e ninguém se propõe a ouvir música durante horas pois sabe que vai ficar sem celular antes do dia acabar. Com o iPod você ouve músicas sem gastar a bateria do seu smartphone. (2) A qualidade que os iPods tem é excelente. (3) Fora que, quem gosta de fazer exercícios não usará um smartphone pesado e que pode cair e quebrar para correr. Acredito que não acabará o iPod, porque pessoas que querem um player com a qualidade de um iPhone, portátil, para poupar a bateria do celular, vão querer o iPod.

  • Pedro Savio
    2014-10-17T23:47:07

    Podiam ter comprado a Shure, que é uma marca de qualidade incomparável. Mas assim como a Apple, a Beats vive de nome. Casam bem. Apple + Beats... para os leigos, um sonho de consumo.

  • Adilson Santos
    2014-09-29T14:59:05  

    Quem usa estes Ipods Hoje em dia? Com celulares expansiveis de hoje, quem precisa de um Ipod ou Iphone?

    recentes

    populares

    • Adilson Santos
      2014-09-29T14:59:05  

      Quem curte MÚSICA prefere os Ipods. Tenho um Iphone, mas não largo meu Ipod Classic por nada. Para algumas pessoas que gostam de musica, não há nada como um aparelho dedicado a isso, mas nada contra quem coloca pra tocar qualquer barulho só pra não ficar no silêncio enquanto olha o FaceBook. Cada um com seus gostos.

    recentes

    populares

    • Adilson Santos
      2014-09-29T14:59:05  

      Vai trabalhar Adilson !

  • Danilo
    2014-09-29T08:57:55  

    IPod valeu a pena na época que foi lançado,hoje em dia o preço dos cartões de memória caíram muito. A pessoa compra um celular de R$500,poe um cartão 32Gb e tem tudo em um só.

    recentes

    populares

    • Danilo
      2014-09-29T08:57:55  

      Isso se for comprar um bom smart né? pois apartir de R$ 179,90. Voce tem um smartphone com todos esse recursos! O que vem mais caro é maior potencia e marca, mais o basico esses baratos tem!

  • Darlan Walden
    2014-09-29T14:42:35

    Bem seu ciclo chega ao fim, pode-se dizer que fez seu papel na evolucao para o iphone, sem ele as pesquisas sobre memoria flash, mercado musical, baterias mais duraveis e desing inovador, sem falar nos milhoes de fans que a Apple arrastou com eles que a seguem ate hoje.