26/02/2015 07h00 - Atualizado em 26/02/2015 07h00

Como a Microsoft pretende popularizar o uso dos hologramas em 2015

Elson de Souza
por
Para o TechTudo

Os HoloLens, óculos de hologramas da Microsoft, é visto com muita expectativa pelo público desde a sua apresentação no fim de janeiro. O produto, equipado com o novo Windows 10 Holográfico, deve fazer com que os usuários mudem a forma de interagir com jogos, conteúdo multimídia e até mesmo trabalhar em um cenário que mistura elementos reais com holografia. No entanto, será que o óculos da Microsoft cairá no gosto dos consumidores ou será um grande fiasco como o Google Glass? O TechTudo analisou a questão.

HoloLens: conheça melhor o novo dispositivo de holograma da Microsoft

HoloLens da Microsoft promete transformar o mundo do usuário com holografias (Foto: Reprodução/Microsoft)HoloLens da Microsoft promete transformar o mundo do usuário com holografias (Foto: Divulgação/Microsoft)

Um mundo sem telas

Antes de partir para as suas funcionalidades, é preciso encarar as holografias do HoloLens como uma quebra de paradigmas na relação entre usuários e dispositivos. Ao invés da visualização e interação limitadas pela tela, os óculos da Microsoft prometem objetos virtuais para o mundo do usuário, misturando aquilo que é real com o que é projetado nas lentes do aparelho.

O uso dos hologramas, nesse caso, prometem tornar a computação mais simples e amigável ao usuário. Em outras palavras, a Microsoft pretende eliminar a barreira física entre os computadores que conhecemos hoje, presos em hardwares e telas, para espalhar seus elementos pelo ambiente do usuário, com interações mais naturais e humanas. A adoção por partes dos consumidores, no entanto, não está garantida.

Hologramas da Microsoft devem fazer com que usuário possa ter acesso a informações sem que estas estejam presas a telas (Foto: Divulgação/Microsoft)Dispositivo busca romper barreiras com telas (Foto: Divulgação/Microsoft)

Assim como a Apple mudou a relação do usuário com telas sensíveis ao toque ao lançar o iPhone, em 2007, a Microsoft precisará mostrar ao usuário que a holografia do HoloLens pode ser atrativa e inovadora o suficiente para conquistar o consumidor (e seu bolso). Caso contrário, o produto poderá estar fadado a repetir o fracasso dos primeiros tablets com Windows XP, apresentados em 2002, que nem chegaram perto do sucesso do iPad, cerca de oito anos mais novo.

HoloLens: características próprias

Se os hologramas são a grande aposta da Microsoft para se firmar como uma empresa capaz de inovar, os HoloLens são a forma como a empresa quer tornar isso realidade. No entanto, óculos e tecnologia vestíveis não são exatamente uma novidade inexplorada. Atualmente, é possível encontrar uma série de produtos e projetos conhecidos nesses campos como o Oculus Rift, Google Glass, Gear VR e outros.

HoloLens são a aposta da Microsoft para popularizar a holografia (Foto: Divulgação/Microsoft)HoloLens são a aposta da Microsoft para popularizar a holografia (Foto: Divulgação/Microsoft)

Mas em comparação com os dispositivos de realidade virtual, como Rift e o Gear VR, o HoloLens apresenta propósitos bastante diferenciados. Os primeiros usam smartphones, por exemplo, para criar um mundo virtual onde o usuário verá apenas o que é fantasioso, seja este um game ou um aplicativo. Já os óculos da Microsoft mistura elementos gráficos artificiais com o ambiente onde o usuário está inserido, criando uma mistura entre os dois “mundos”.

Na briga com os demais óculos inteligentes, o HoloLens também apresenta suas diferenças. O Google Glass e o recém-anunciado Sony SmartEyeGlass, por exemplo, buscam inserir informações sobre navegações, pesquisas e notificações nas lentes do usuário, trabalhando em parceria com smartphones durante caminhadas na rua ou passeios.

HoloLens da Microsoft cria hologramas para trabalho e entretenimento em ambientes internos (Foto: Divulgação/Microsoft)HoloLens da Microsoft cria hologramas para trabalho e entretenimento em ambientes internos (Foto: Divulgação/Microsoft)

Os hologramas da Microsoft, por outro lado, tem um perfil mais voltado para atividades internas, inserindo não só janelas de conteúdo no campo de visão, como também criando objetos virtuais. Em outras palavras, a interação promete ser muito mais profunda, baseada no ambiente que cerca o usuário e independente de qualquer smartphone ou tablet.

Aplicativos já conhecidos

Embora o apelo para novidades em holografia seja muito grande, a Microsoft demonstrou que aplicativos clássicos de smartphones e computadores estarão presentes no novo produto da empresa. Com isso, é bastante provável que os usuários encontre seus serviços e ferramentas já adaptados para a holografia.

Skype holográfico poderá ajudar usuário a resolver problemas do dia a dia (Foto: Divulgação/Microsoft)Skype holográfico poderá ajudar usuário a resolver problemas do dia a dia (Foto: Divulgação/Microsoft)

Entre os aplicativos demonstrados, destaca-se o Skype, com o qual o usuário poderá utilizar a videochamadas do serviço para fazer tarefas domésticas ou profissionais com outros usuários de forma mais interativa. Os hologramas farão ainda com que os jogadores de Minecraft possam ter uma outra perspectiva do famoso game, interagindo com os blocos no mundo real e visualizando suas construções sobre superfícies.

Embora tenham sido abordado de forma mais breve, é possível ver na apresentação da Microsoft hologramas para os aplicativos do Netflix, Xbox Jogos e Music. Assim, a Microsoft recorra a serviços já consolidados para popularizar os seus hologramas, algo que aconteceu na migração de computadores para celulares, por exemplo.

Qual é o melhor Windows de todos os tempos? Opine no Fórum do TechTudo.

Novas possibilidades

Tão importante como garantir a transposição de aplicativos é a criação de experiências diferenciadas que agreguem valor à holografia da Microsoft. Pensando nisso, a empresa apresentou o Holo Studio, que promete trabalhar próximo de outro campo bastante popular do mundo da tecnologia atual: as impressoras 3D.

Holo Studio é uma das novas ferramentas que farão uso da holografia (Foto: Divulgação/Microsoft)Holo Studio é uma das novas ferramentas que farão uso da holografia (Foto: Divulgação/Microsoft)

Durante um bom tempo de sua apresentação, a Microsoft demonstrou o quanto os hologramas prometem facilitar a modelagem tridimensional. Ao invés de utilizar programas complexos e com uma série de comandos, a companhia do Windows quer que os donos de HoloLens possam manusear os objetos virtuais com as mãos, mudando sua forma e até mesmo colorindo-os.

Outra tática da Microsoft é atrair a atenção dos desenvolvedores para evitar os problemas que teve durante muito tempo com o Windows Phone e o Windows 8. Para isso, a empresa deve liberar em breve os kits de programação para a sua nova plataforma. A companhia já garantiu também que os Universal Apps presentes no Windows 10 serão compatíveis com o HoloLens.

Bom para trabalho e para o entretenimento

Uma das grandes dificuldades da Microsoft nos últimos anos foi criar ferramentas que sejam boas tanto para o mundo corporativo como para o usuário final, atraído pela Apple e Google nos últimos anos. Para isso, a empresa fez questão de destacar como o Windows Holográfico deve ser uma boa ferramenta tanto no ambiente de trabalho como para as horas de lazer em casa.

Hologramas visualizados a partir dos HoloLens ajudarão a lidar com protótipos (Foto: Divulgação/Microsoft)Hologramas visualizados a partir dos HoloLens ajudarão a lidar com protótipos (Foto: Divulgação/Microsoft)

Para ambientes profissionais, a holografia da Microsoft deve oferecer uma visualização tridimensionais bastante realísticas de protótipos de produtos, com possibilidade de edição em tempo real. Além disso, as telas flutuantes em chamadas via Skype podem garantir uma interação constante entre colegas e até mesmo criar um ambiente interativo à longa distância para o envio de instruções, por exemplo.

Já em casa, os hologramas devem servir principalmente para funções multimídia e para jogos. Os HoloLens poderão criar, por exemplo, telões virtuais para vídeos, reprodução de músicas, entre outros. Informações como mapas e previsão de tempo poderão ser consultados em qualquer lugar com muito mais detalhe. Além disso, jogos e aplicativos educativos, como o criado em parceria com a Nasa, poderão ganhar muito mais profundidade e realismo.

Um longo caminho pela frente

Hololens e hologramas ainda devem demorar alguns meses até estarem disponíveis para o usuário (Foto: Divulgação/Microsoft)Hololens e hologramas ainda devem demorar alguns meses até estarem disponíveis para o usuário (Foto: Divulgação/Microsoft)

Embora as possibilidades apresentadas pelos hologramas da Microsoft já sejam impressionantes, o Windows Holográfico está ainda nas fases iniciais de desenvolvimento. A empresa deve dar mais detalhes sobre a disponibilidade do HoloLens e demonstrar novas funcionalidades para o produto apenas na conferência Build 2015, que será realizada entre os dias 29 de abril e 1º de maio em São Francisco, Estados Unidos.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Fábio Roulien
    2015-02-27T19:12:48

    Fabian Macville também está testando o primeiro cabo Lan retal modelo kid bengala que será lançado em 2016...

  • Flavio
    2015-02-26T13:18:27

    daqui uns dias sera tudo num piscar de olhos

  • Emerson Bastos
    2015-02-26T08:14:25

    Eu acho a iniciativa muito bacana, dentro dessas opções que estão surgindo, a que mais me agradou té o momento foi o projeto RiftGlass por dar a possibilidade de estar dentro de um mundo 3D, a imersão total dentro de um mundo virtual sempre foi fascinante. mas claro que as limitações de iteração ainda são um problema, como para jogos onde o jogador perde a noção de controles externos uma vez que não tem contato visual com estes!, O kinnect eu achei muito ruim para jogos, mas para captura de movimentos foi muito interessante, enfim, estou apostando neste como uma grande novidade no mercado!