01/03/2015 12h31 - Atualizado em 01/03/2015 12h54

'Em quatro dias revelamos mais produtos do que em todo o ano', diz CEO da CES

Tainah Tavares
por
Da redação

Imagine a maior feira de tecnologia do mundo, que apresente o que há de mais inovador e reúna as principais marcas do mundo. Essa é a CES, que abriu 2015 para ditar as tendências do ano. Pelo menos é isso que defende Gary Shapiro, uma das mentes mais influentes do mercado e que está por trás do evento. Em entrevista exclusiva ao TechTudo, Shapiro não economizou palavras ao falar da edição da feira de 2015 e fazer suas apostar para o ano e o futuro: “A CES é o mais importante encontro de inovação do mundo”. 

Resumo da CES 2015: relembre em vídeo os melhores momentos da semana

Gary Shapiro e durante CES 2015 (Foto: Divulgação/CES)Gary Shapiro e executivo da FCC, Tom Wheeler, durante CES 2015 (Foto: Divulgação/CES)






A idealização da CES parece ser brilhante: um grande evento que abre todos os anos para mostrar os rumos, apresentar o que há de mais inovador na tecnologia e reunir os maiores investidores e a imprensa internacional. Mas será que essa fórmula ainda dá certo? 

Shapiro, que também é presidente da CEA, órgão que cuida de toda indústria de bens de eletrônicos do Estados Unidos (e por tabela, do mundo), admite, porém, que a feira “corre riscos”. Afinal, em um mundo em que os próprios nomes das marcas se tornam objeto de desejo e consumo, e com uma tendência desses grandes nomes fazerem seus lançamentos sozinhos, o risco de feiras como a CES chegarem ao fim é provável. 

Mas parece que isso não aflige o organizador do evento. “O ritmo da inovação tem mudado tão rapidamente que as empresas introduzem novos produtos e serviços durante todo o ano. Mas feiras como a nossa permanecem vitais. Durante os quatro dias do nosso evento, mais produtos são introduzidos no mercado do que em qualquer outra época do ano”.

Ok, ok. A CES 2015 realmente foi um sucesso. A sua repercussão na mídia foi enorme e as inovações apresentadas nela impressionaram. “Superamos todas as nossas expectativas e o evento foi, sem dúvida, o mais importante encontro de inovação do mundo”. Com o início MWC (Mobile World Congress), parece que as feiras que querem tirar o título de “top” da CES terão uma missão quase impossível pela frente.

Qual o produto mais esperado do MWC 2015? Opine no Fórum do TechTudo.

E os números só ajudam a continuar acreditando na supremacia da feira. A edição de 2015 reuniu mais de 170 mil profissionais (entre compradores, investidores e representantes da imprensa) e lançou mais de 20 mil produtos, de 3.600 empresas diferentes. Mas o público certamente sentiu falta de nomes de grandes marcas, como o da Apple.

Shapiro tenta amenizar essa ausência: “Executivos do Facebook, Apple, Google e mais vêm a feira todo ano para ver as últimas tendências da tecnologia e se reunir com parceiros atuais e potenciais”. É fato que muitos gadgets exclusivos para os aparelhos da marca da maçã foram lançados na feira, mas também é certo que ninguém conheceu o novo iPhone na CES. “Caso a Apple opte por expor na feira, certamente vamos recebê-la muito bem”. É, parece que não vamos ver a Apple efetivamente na CES tão cedo. 

pendrive-iphone-mais-memoria (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)O iBridge, um pen drive para iPhone, foi um dos gadgets para os produtos da Apple lançados na CES 2015 (Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo)



Mas os fãs da marca que se doam: a CES 2015 já dita tendências, com ou sem iPhone. A Internet das Coisas, inclusive, é uma das apostas como grande tendência para 2015. “A ideia é de que no futuro praticamente tudo possa ser conectado à Internet e controlado a partir de um único aparelho, como um smartphone. A conectividade em casa também se destacou muito”. Os produtos inteligentes conectados tiveram um espaço dedicado considerável na feira, com lâmpadas inteligentes, persianas smarts, sistemas de segurança conectados e ecologicamente corretos. 

Parece que o sonho de um futuro em que todos os aparelhos serão inteligentes está mais próximo de se tornar real do que imaginávamos. Uma realidade em que praticamente tudo poderá ser impresso em 3D também. “Nossos participantes viram avanços em impressão 3D. A quantidade de espaço de exposição dedicado à área mais do que duplicou no evento desse ano, confirmando essa tendência”. A impressão 3D ganha cada vez mais investidores e se torna mais acessível, principalmente em função de aparelhos que conseguem financiamento em sites de crowdfunding.

“A CES serve não só para exibir produtos e serviços, entreter e informar, mas está se expandindo para melhorar a vida de todos através da inovação em áreas como transporte, saúde e até mesmo a agricultura”. Shapiro realmente está muito otimista quanto ao futuro da tecnologia, que pra ele parece ser um sinônimo do termo “inovação”. A animação é tanta que revelou um lado sensível do homem de negócios: “A tecnologia e seus serviços vão resolver problemas do mundo”. 

Romantismo? Pode até ser, mas encontrar iniciativas na área tecnológica que visam a melhorar a qualidade de vida se torna realmente cada vez mais comum. São invenções como bolas de futebol que geram energia, casas para população carente e próteses impressas em 3D. As apostas de um dos homens que mais conhecem o mundo dos eletrônicos são promissoras, mas para termos certeza se elas se tornarão realidade precisaremos esperar os próximos capítulos dessa história. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares